Ocorreu um erro neste gadget

HISTÓRIAS DE FÉ - A Mais Linda História de Amor

por Márcio Pacheco




PARTE I

Durante algum tempo em minha adolescência, alimentei um questionamento muito grande: ser padre ou ser pai?

Num encontro vocacional, feito pela Paróquia Sagrada Família, senti Jesus falando forte ao meu coração que eu seria muito mais útil para Ele onde eu me sentisse completamente realizado.

Naquele momento senti que o desejo alimentado em meu coração de ser um pai atencioso e carinhoso falava mais forte e comecei a pedir em minhas orações que o Senhor colocasse em minha vida alguém realmente especial para me ajudar em meus projetos e em minha caminhada.

Sempre compreendi que Deus quer sempre o melhor para nossa vida, então comecei a enumerar as qualidades que eu esperava que a escolhida de Deus para mim trouxesse em sua essência: ser religiosa, educada, carinhosa, estudiosa, fiel, amiga, responsável, sensível, atenciosa, companheira, dedicada, inteligente e, além disso tudo, que fosse linda, senão não chamaria minha atenção.

Como Jesus não deixa nenhuma oração sem resposta, ele começou a planejar um meio de colocar essa pessoa tão especial em minha vida.

Quando eu ainda era coordenador do Grupo de Oração Pentecostes, o Senhor trouxe para o grupo a prima de um dos meus melhores amigos para participar conosco. O nome dela era Anaíle. Eu a conhecia por uma foto de quadrilha de escola que ficava na sala da casa desse meu amigo.

O grupo estava passando por uma reformulação de equipe, precisava de um novo tecladista e, para nossa sorte, nossa nova participante tinha conhecimento na área e me dispus a ensinar as músicas do nosso repertório para ela.

A partir daí começou a nascer uma amizade muito bonita e verdadeira. Se dependesse de nós, ensaiávamos todos os dias para tocar bonito no grupo.

Com o passar do tempo, comecei a perceber que ela fazia falta para mim mais do que deveria ser. Custava esperar pelo final do grupo de oração para dar a paz de Cristo.

Aquela necessidade da presença dela começou a me incomodar. Comecei a perceber que estava gostando dela mais do que devia e não acreditava ser possível um namoro entre nós: eu era 7 anos e meio mais velho que ela e tinha certo complexo de inferioridade em relação às dificuldades financeiras que vivia passando.

Do lado dela, ela me falava que estava gostando de uma pessoa e que estava sofrendo muito, pois sabia que nunca teria chance de ter algo com essa pessoa.

Num momento de oração do encerramento do Encontro Estadual de Servos da Renovação Carismática de Goiás, no dia 13 de fevereiro de 2000, o Senhor tocava forte em meu coração que a garota que eu sempre havia pedido em minhas orações estava ali bem ao meu lado...

Leia Mais

SANTO DO DIA 30/06 - Os Primeiros Mártires da Igreja de Roma

por Danilo Lopes




Hoje a Igreja celebra a memória dos cristãos que sofreram o martírio durante a perseguição de Nero, no ano 64. A culpa do incêndio de Roma recaiu sobre os cristãos, os quais foram cruelmente martirizados: Prendem-se primeiro os que manifestam (seguir ao cristianismo), e depois, conforme as indicações que eles dão, prendem-se outros em massa, condenados menos pelo crime de incêndio, do que pelo ódio que lhes têm o gênero humano. Aos tormentos juntam-se as mofas, homens envolvidos em peles de animais morrem despedaçados pelos cães, ou são presos a cruzes, ou destinados a ser abrasados e acendidos, à maneira luz noturna ao anoitecer ... Nero oferece os seus jardins para este espetáculo; vestido de cocheiro, corre misturado com a multidão, ou em cima dum carro. E, se bem que tais homens sejam culpados e dignos dos piores suplícios, a gente tem pena deles, porque são sacrificados, não pelo bem público, mas para satisfazer a crueldade de um homem apenas ... (Apud José Leite, S. J., op. cit., Vol. II, p. 266-267.) A perseguição movida por Nero prolongou-se até o ano 67. E entre os mártires mais ilustres estavam São Pedro e São Paulo. O primeiro foi crucificado no circo de Nero, atual Basílica de São Pedro. São Paulo foi decapitado nas Águas Salvianas.


(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 29/06 - São Pedro e São Paulo

por Danilo Lopes

A solenidade dos Santos Pedro e Paulo é uma das mais antigas do ano litúrgico e foi introduzida muito antes da festa do Natal.

São Pedro - seu verdadeiro nome era Simão, mas Cristo lhe mudou o nome e o chamou “pedra” para nele realizar o tema da pedra fundamental da Igreja -, é um dos primeiros a testemunhar a Ressurreição, ao encontrar o sepulcro vazio. Quando foi à Roma, Pedro cumpre sua missão de “pedra angular” e “ratifica” esta vocação com seu sangue.

São Paulo – também chamado “O Apóstolo dos gentios”converteu-se ao cristianismo na estrada de Damasco e se tornou o grande missionário do cristianismo. Percorreu a Ásia Menor, atravessou todo o Mediterrâneo em 4 ou 5 viagens. Elaborou uma teologia cristã e ao lado dos Evangelhos. Suas epístolas são fontes de todo pensamento, vida e mística cristãs. Sofreu o martírio em Roma cerca do ano 67.
Leia Mais

SANTO DO DIA 28/06 - Santo Irineu

por Danilo Lopes








Santo Irineu foi bispo de Lião. Nasceu provavelmente em Esmirna, na Ásia Menor, por volta de 130-135. Viveu em uma época dilacerada por heresias que colocavam em risco a unidade da Igreja na fé. Discípulo de São Policarpo - que havia conhecido pessoalmente o apóstolo São João e outras testemunhas oculares de Jesus -, Santo Irineu foi, sem dúvida, o escritor cristão mais importante do século II. Foi o primeiro a procurar fazer uma síntese do pensamento cristão, cuja influência se faz notar até nossos dias. Santo Irineu, cujo nome significa "paz", lutou para a preservação da paz e da unidade da Igreja. Era um homem equilibrado e cheio de ponderação.

Escreveu ao papa Vítor, aconselhando-o mui respeitosamente a evitar toda e qualquer precipitação no que dissesse respeito às comunidades cristãs da Ásia. A Florino, seu amigo de infância que se tornou gnóstico, escreveu: “Não te ensinaram estas doutrinas, Florino, os presbíteros que nos precederam, os que tinham sido discípulos dos apóstolos. Eu te lembro, criança como eu, na Ásia inferior, junto a Policarpo ... Recordo as coisas de então melhor que as recentes, talvez, porque o aprendemos de crianças parece que vai acompanhando-nos e firmando-se em nós segundo passam os anos. Poderia assinalar o lugar onde se sentava Policarpo para ensinar ... seu modo de vida, os traços de sua fisionomia e as palavras que dirigia à multidão. Poderia reproduzir o que nos contava de seu trato com João e os demais que tinham visto o Senhor; e como repetia suas mesmas palavras ... Eu ouvia tudo isto com toda a alma e não o anotava por escrito porque me ficava gravado no coração e continuo pensando-o e repensando-o, pela graça de Deus, cada dia.”

Eleito bispo de Lião para substituir ao bispo Potino, que morrera mártir, também ele acabou morrendo mártir.

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia. São Paulo, Paulinas, 1998; PALACÍN S.J., Carlos & PISANESCHI, Nilo. Santo nosso de cada dia, rogai por nós! São Paulo: Loyola, 1991)
Leia Mais

SANTO DO DIA 27/06 - São Cirilo de Alexandria

por Danilo Lopes






Cirilo nasceu em 370, no Egito, e durante muitos anos foi o firme condutor da Igreja do Egito. Lutou pela ortodoxia da doutrina católica e presidiu o Concílio de Éfeso que definiu a maternidade de Maria, derrotando seu adversário Nestório que colocava em discussão a maternidade divina de Nossa Senhora. Durante o Concílio pronunciou o célebre “Sermão em louvor à Mãe de Deus” que marca o início do florescimento dos hinos em honra à Virgem Maria.

A coragem e a persistência com a qual defendia a verdade católica deram a santidade a este bispo de Alexandria: “Nós – dizia – , pela fé em Cristo, estamos prontos a sofrer tudo – algemas, cárcere, a própria morte”.

São Cirilo morreu em 444. Sua santidade foi reconhecida no pontificado de Leão XIII que lhe outorgou também o título de Doutor da Igreja. Seu culto foi assim estendido a toda a Igreja latina.
Leia Mais

Mensagem do Pe. Raimundo

Depois de falar de mim mesmo quero, nesta oportunidade, deixar a minha mensagem a todas as famílias de Inhumas:

“Como escolhidos de Deus, santos e amados, vistam-se de sentimentos de compaixão, bondade, humildade, mansidão, paciência. Suportam-se uns aos outros e se perdoem mutuamente, sempre que tiverem queixa contra alguém...
Que a paz de Cristo reine no coração de vocês. Para essa paz vocês foram chamados, como membros de um mesmo corpo. Sejam também agradecidos.” (Col.3,12-13.15).


Quero a partir de agora, comungar com vocês estes sentimentos, me colocando a serviço de todas as famílias (crianças, jovens, casais e anciãos). Quero contar, também, com o apoio de todos para que juntos possamos fazer um bom trabalho em beneficio de nossa Igreja e do crescimento do Reino de Deus em nosso meio. Contem com minhas orações e um forte abraço a todos.
Leia Mais

SANTO DO DIA 26/06 - São João e São Paulo

por Danilo Lopes





São João e São Paulo eram irmãos. Deram testemunho de sua fé durante a perseguição de Juliano, o Apóstata, em junho de 362. Eram ricos, e tudo indica que haviam sido oficiais da guarda imperial. Renunciaram aos cargos e se recolheram em sua propriedade no Monte Célio, dedicando-se à oração e ao serviço dos necessitados. Juliano, o Apóstata, entretanto, exigiu que retornassem às suas funções anteriores. São João e São Paulo recusaram-se a obedecer ao tirano e a compartilhar de suas crueldades. Assim diz a inscrição de São Dâmaso: "Paulo e João de ilustre linhagem ... deram juntos a vida, unidos pelo casto vínculo da fé. Foram vassalos fiéis do Rei da eterna mansão. Os dois irmãos tiveram na vida a mesma casa e a mesma fé; agora no céu cingem a mesma coroa imortal. Ficai sabendo que Dâmaso teceu o panegírico dos dois irmãos, para que o povo cristão aprenda a celebrar os novos protetores". (Apud José Leite, S. J., op. cit., p. 241.)


(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

Autobiografia - Pe. Raimundo




Nascido aos 15 de Janeiro de 1957, em Candeias – Minas Gerais. Filho de José Lopes Salgado (+) e de Tarcila Lopes Salgado. Eu sou o terceiro de cinco irmãos. Fui batizado na minha cidade natal e crismado ao mesmo tempo.

Em 1963 mudamos para Itauçu-GO, no meio rural. Depois fomos para a cidade, onde realizei os meus estudos até o término do 1° Grau. Na cidade pude me aproximar mais da igreja e me preparar para a 1ª Eucaristia. Fui crescendo no amor a Deus e ao próximo.

Em 1975, ano do falecimento do meu pai, mudamos para Goiânia à procura de melhores condições de estudo e trabalho. Nesta época eu já tinha meus 18 anos.

Só depois de terminar o 2° grau é que eu descobri a vocação de ser padre. Aí eu tinha meus 20 anos de idade. Foi uma vocação um pouco tardia, mas veio a partir de um engajamento na Igreja junto aos jovens e através dos trabalhos na comunidade.

Em 1980 fui para o Seminário Arquidiocesano de Goiânia, na época de Dom Fernando Gomes dos Santos. Fiz os estudos de Filosofia e Teologia e fui ordenado diácono em 1985, por Dom Fernando, e presbítero em 29/06/1986, por Dom Antônio Ribeiro de Oliveira.

Nesses 21 anos de padre tive a oportunidade de servir a Deus e ao povo em muitas comunidades e paróquias da Arquidiocese, no Seminário Santa Cruz e no Centro Pastoral Dom Fernando.

Em maio de 2007 saí de Bela Vista de Goiás, depois de 6 anos de trabalho na Paróquia, para servir ao povo de Inhumas e de Araçu , especificamente nas Paróquias Nossa Senhora Aparecida e Santa Rita de Cássia, como Pároco e Vigário Episcopal do Vicariato de Inhumas.
Leia Mais

SANTO DO DIA 25/06 - São Próspero da Aquitânia

por Danilo Lopes



São Próspero nasceu na Anquitânia, França, no século IV. Filósofo e poeta, foi contemporâneo de Santo Agostinho. Pelo poema De um esposo à esposa, julga-se que fosse casado, pois dirige-se à mulher nestes termos: Se o orgulho me elevar, corrija-me! Seja a minha consolação nos sofrimentos. Demos ambos exemplos de uma vida santa e verdadeiramente cristã. Cumpra comigo os deveres que estou obrigado a cumprir com você. Levante-me, se por ventura eu cair. Esforce-se por se levantar, quando eu corrigí-la ... Não nos contentemos com ser um só corpo, sejamos também uma só alma" (apud José Leite S. J., op. cit., Vol. II, p. 237). Em 426 tomou parte ativa na luta contra os erros doutrinais divulgados por Pelágio, que negava a necessidade da graça divina e o pecado original. Daí a origem de sua obra Carmen de ingratis. Por sua vez, Santo Agostinho, instado por ele, escreveu Da predestinação dos santos e Dom da perseverança. Por volta de 435, São Próspero transferiu-se para Roma e escreveu Enarrationes, um comentário sobre os Salmos; escreveu também sobre Santo Agostinho, seu mestre, apresentando o seu pensamento e corrigindo certos exageros do bispo de Hipona. Faleceu por volta do ano 455.

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

5 PEDRINHAS - Sacramento da Confissão

por Pe. José Bento CSsR











Todavia, "aquele que esconde os seus crimes não será purificado; aquele, ao contrário, que se confessar e deixar seus crimes, alcançará a misericórdia"
(Prov. 38, 13).

"Não vos demoreis no erro dos ímpios, mas confessai-vos antes de morrer"
(Ecl 17, 26).


Desde o Antigo Testamento já vimos sinais da confissão. Ela foi elevada à dignidade de Sacramento por Jesus Cristo que conhecendo a fraqueza humana desejou salvar seus filhos. Assim, no dia da ressurreição, como para significar que a confissão é uma espécie de ressurreição espiritual do pecador, Jesus aparece no meio dos apóstolos e mostra-lhes o lado... Desejando lhes a paz e os envia; “assim como o Pai me enviou, eu vos envio a vós... soprando sobre eles: recebei o Espírito Santo... Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos” (Jo 21,21-23...) e também Mt 28,20 continua nesse itinerário do envio dos discípulos.

Jesus tinha o poder de perdoar os pecados “quem é este que até perdoa pecados?” (Lc 49). Ele transmite esse poder aos seus Apóstolos dizendo: "assim como o Pai me enviou", isto é, com o poder de perdoar os pecados, "assim eu vos envio a vós", ou seja, dotados do mesmo poder. E para dissipar qualquer dúvida, continua: "soprando sobre eles: Recebei o Espírito Santo..." como se dissesse: Recebei um poder divino... só Deus pode perdoar pecados: pois bem... "Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 21, 21 - 23). Assim, Cristo comunicou este poder aos Apóstolos e por eles aos sucessores dos Apóstolos: pois a Igreja é uma sociedade "que deve durar até o fim do mundo" (Mt 28, 20).

Queridos irmãos e irmãs, tenho tido em minha vida de Padre uma profunda e amorosa experiência com a “confissão”. Atendo semanalmente uma média de 50 pessoas e o que me chama muita a atenção é a experiência que tenho feito da absolvição. Saio do confessionário cansado, não fisicamente mas espiritualmente e nessa experiência eu percebo a ação de Deus que, através deste Sacramento, retira toda a culpa do penitente e a recolhe para si. Parece-me que absorvo todos os pecados do confessor e fica para mim a missão de destruí-los incinera-los.



A graça da confissão hoje é que ela tornou-se um momento de diálogo e de desabafo, num mundo onde há tanto individualismo, onde não há mais diálogo e aceitação do outro, a confissão é uma ótima oportunidade para que a pessoa possa se abrir e dividir com o Padre (pois só este pode exercer esse sacramento) aquilo que lhe deixa angustiada e muitas vezes sem visão de uma possível saída. Além do que ela é absolvida e perdoada daquele pecado que a afasta de Deus.

Assim, se você, caro irmão, irmã, não tem o hábito de se confessar, procure refletir sobre o assunto e creia na misericórdia do Deus que é unidade no Pai, no Filho pelo Espírito Santo.

A todos vocês Paz e Bem da parte de Deus.
Leia Mais

SANTO DO DIA 24/06 - Nascimento de São João Batista

por Danilo Lopes



São João Batista era filho de Zacarias e de Santa Isabel. Chamava-se "Batista" pelo fato de ser um "batizador" (cf. Lucas 3,3). João, cujo nome significa "Deus é propício", veio à luz em idade avançada de seus pais (cf. Lucas 1,36). Parente de Jesus, foi o precursor do Messias. É João Batista que aponta a Jesus, dizendo: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Dele é que eu disse: Depois de mim, vem um homem que passou adiante de mim, porque existia antes de mim (João 1,29ss.). De si mesmo deu este testemunho: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor ..." (João 1,22ss.). São Lucas, no primeiro capítulo de seu Evangelho, narra a concepção, o nascimento e a pregação de João Batista, marcando assim o advento do Reino de Deus no meio dos homens. A Igreja o celebra desde os primeiros séculos do cristianismo. É o único santo cujo nascimento (24/06) e martírio são evocados em duas solenidades pelo povo cristão. O seu nascimento é celebrado pelo povo com grande júbilo: cantos e danças folclóricas, fogueiras, quermesses fazem de sua festa uma das mais populares e queridas de nossa gente.



(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 23/06 - São José Cafasso

por Danilo Lopes








Nascido em 1811 em Castelnuovo d’Asti, Itália, São José Cafasso tinha temperamento manso e reflexivo: dedicava várias horas por dia à meditação diante do Santíssimo Sacramento. Foi ordenado padre aos 22 anos e logo se tornou conhecido por sua bondade e paciência. Grande parte de seu ministério sacerdotal foi dedicado à escuta de confissões e confidências de todos os que freqüentavam a sua igreja atraídos pelos dons daquele pequeno padre que compreendia os problemas de todos e sabia falar tanto aos doutos como aos simples.
Morreu em 23 de junho de 1860. Foi canonizado por Pio XII em 1947, foi declarado o patrono dos encarcerados e dos condenados à pena capital, pois durante a vida tinha feito das prisões o lugar preferido por seu apostolado sacerdotal.
Leia Mais

SANTO DO DIA - São Tomas More

por Danilo Lopes



Nasceu em Londres, em 1477. Estudou na Universidade de Oxford. Era de caráter extremamente simpático. Pai de família, teve um filho e três filhas. Era jurista e amigo de Erasmo, que lhe dedicou sua obra-prima: Elogio da loucura. Foi nomeado chanceler do Reino. Deixou várias obras escritas, versando sobre negócios civís e liberdade religiosa. Sua obra mais conhecida intitula-se Utopia. Opôs-se duramente ao divórcio de Henrique VIII, que desejava anular seu primeiro casamento a fim de casar-se com Ana Bolena. Recusou-se a comparecer aos cerimoniais de coroação da nova rainha. Por ordem do rei, foi preso e lançado na Torre de Londres. Na prisão escreveu Diálogo do conforto nas tribulações. Mesmo condenado à forca, não perdeu seu peculiar bom humor cristão, sua naturalidade e simplicidade. No dia da execução, pediu ajuda para subir ao cadafalso. E disse ao povo: Morro leal a Deus e ao Rei, mas a Deus antes de tudo. E abraçando o carrasco, disse: Coragem, amigo, não tenhas medo! Mas como tenho o pescoço muito curto, atenção. Está nisso a tua honra! E pediu para que não lhe estragasse a barba, porque ela, ela, ao menos, não cometeu nenhuma traição. (Apud José Leite e S. J., op. cit., Vol.II, p. 227.) Morreu no dia 6 de junho de 1535.


(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 21/06 - São Luís Gonzaga (Patrono da Juventude)

por Danilo Lopes




Luís, primogênito da famosa fa­mília dos Gonzagas, nasceu em Castiglione (Itália) em 1568. Destinado a herdar o poder e o dinheiro do principado da família, abraçou o dever do estudo com grande responsabilidade. Na sua formação foi submetido ao pro­tocolo das cortes italianas e espanholas. Todavia, tendo recebido da mãe a educa­ção cristã, desde criança mos­trava forte inclinação à oração e à penitência. Reagiu fortemente contra a futilidade daquele mundo, carregado de vaidade e corrupção, escolhendo as insígnias de Cristo. Lendo as cartas dos missionários jesuítas e seus grandes feitos, decidiu entrar na Companhia de Jesus e, para isso, teve que vencer muitas dificuldades e resistências por parte de sua família. Faleceu aos 25 anos, quando ainda era estudante de teologia em Roma, enfraquecido e extenuado pelo trabalho que suportou socorrendo aos contagiados pela peste. Vítima da caridade, foi canonizado por Bento XIII em 1726.

“Digo tudo isto para que vós, Senhora minha mãe, e toda a família, aceiteis a minha morte como um dom precioso da graça. Que a vossa benção de mãe me assista e me ajude a alcançar com felicidade o porto dos meus desejos e esperanças. Escrevo-vos com tanto maior prazer quanto é certo que não me resta outra ocasião para vos testemunhar o respeito e o amor filial que vos devo.”
Leia Mais

Reze o terço com o Pe. Jonas Abib




É só entrar no blog todos os dias às 18h que você terá a oportunidade de rezar o terço com o nosso amado Pe. Jonas!


É muito mais saudável que ficar assistindo novela de bruxaria... concorda?

Vale a pena conferir!


Leia Mais

SANTO DO DIA 20/06 - Beato Pedro Rinscel

por Danilo Lopes




Pedro nasceu no Japão, em Faciram, em 1588. Depois de ter realizado os estudos no seminário de Anima, colaborou como catequista com os jesuítas na evangelização dos seus compatriotas. Depois de 1618, permaneceu sempre às ordens do provincial Pe. Francisco Pacheco, português, que tinha escolhido sua sede Cocinótzu de Anima, em lugar de Nagasáqui, considerando-a mais segura e tranqüila durante a violenta perseguição nos anos de 1620-24.

Quando o provincial, mediante denúncia de um renegado, foi capturado em 1625, Pedro Rinscel teve a mesma sorte, sendo levado para a prisão de Scimabata, onde a alimentação era escassa e péssima e o ambiente malsão sujeito aos rigores do tempo. Todas essas condições desfavoráveis eram, porém divididas pela presença de outros irmãos de fé, com os quais Pedro passava o dia em oração e conforto recíproco.

Durante o período de prisão, Pedro foi admitido, por concessão especial, pelo Pe. Francisco Pacheco na Companhia de Jesus. No dia 17 de junho de 1626, o governador Caváci ordenou a transferência de Pedro e dos outros cristãos para Nagasáqui sob forte escolta. Na colina dos mártires dessa cidade, Pedro Rinscel foi amarrado a um pau para ser queimado vivo em fogo lento. Seu martírio se consumou dia 20 de junho de 1626, juntamente com seu provincial Pe. Francisco Pacheco, Baltazar de Rorres, jesuítas, espanhol, João Batista Zola, jesuíta, italiano, Vicente Carun, jesuíta coreano, João Kinsaco, Paulo Xinsuki e Miguel Tozo, todos os três jesuítas japoneses, e Gaspar Sadamatzu, irmão coadjutor japonês, todos queimados vivos.
Leia Mais

Rádio Canção Nova no Ar!!

Pessoal,

Agora temos a graça de podermos escutar a Rádio Canção Nova 24h ao vivo no nosso blog!

A opção padrão traz a versão FM para tocar assim que você entrar no site. Se você quiser mudar de FM para AM basta dar STOP no primeiro player e apertar a tecla de PLAY no segundo tocador, que ficam no canto superior direito.

Espero que vocês gostem!

Paz e bem!
Leia Mais

Louvor

por Ziad Joseph Esper*






Talvez muitos já saibam dos benefícios do Louvor, como cura, libertações, milagres entre outros. Vários já até experimentarão estas bênçãos, quando, sem almejar nada, louvaram por alguma dificuldade ou problema, e obtiveram a Graça.

A Palavra de Deus nos conta de três jovens (Sidrac, Misac e Abdênago) que, recusando adorar o deus de Nabucodonosor, foram jogados na fornalha ardente, segundo decreto do rei. A ira do rei era tão grande, pois além da recusa dos três jovens, eles ainda o enfrentaram. Por isso a fornalha foi aquecida com intensidade sete vezes superior a de costume. Mesmo assim eles não vacilaram (Daniel 3,1-21).


Os que lançaram Sidrac, Misac e Abdênago na fornalha ficaram surpresos com o que viram. Diz a palavra: “Ora, estes passeavam dentro das chamas, louvando a Deus e bendizendo o Senhor (Daniel 3,24).” O que parecia loucura estava acontecendo. Três jovens, que tinham tudo para estarem se queixando de Deus, pois, ao fazerem opção pela fidelidade, poderiam ter morrido, louvavam a Deus. Esta confiança e fidelidade não foram em vão. Sem pedir que os livrassem da morte, apenas louvando, o Senhor não somente os salvou, como também os coroou de glória a ponto de, com seus testemunhos, e ajuda de Daniel, ocuparam altos cargos no governo de Nabucodonosor.


Quantas bênçãos o Senhor revela àqueles que despretensiosamente elevam a Ele o seu mais profundo e sincero agradecimento. Deus prepara grandes Graças e benefícios para os que através do Louvor, entregam na totalidade suas vidas.


Todos nós enfrentamos vários tipos de fornalhas, com intensidade comparável aos três jovens, como:

  • O medo do futuro – Com sucessíveis planos econômicos e a mudança do poder no cenário mundial, é difícil prever o que irá acontecer, e como estará o mundo nos próximo anos.

  • Desestrutura Familiar – Em tempos ditos “modernos” cresce o número de casais que se separam para buscar a dita “felicidade”.

  • Individualismo – Num mundo onde a Internet e os meios de comunicação incentivam a individualidade é um desafio para o cristão viver celebrando com os irmãos em uma comunidade ou Grupo de Oração.

  • Apelo Sexual – Viver a castidade, a fidelidade e a pureza, em meio ao bombardeio de imagens eróticas é um desafio para todos. Não ceder a tantas facilidades que são oferecidas (filmes, internet, televisão) é com certeza passar pela fornalha ardente.
As dificuldades acima apresentadas são alguns exemplos das fornalhas enfrentadas pelos cristãos que, assim como Sidrac, Misac e Abdênago, têm totais condições para, com o louvor, saírem intactos, sem que um só fio de cabelo seja queimado.


Ainda os apóstolos, depois de serem presos e açoitados por causa do Nome de Jesus diz a palavra: “Eles saíram da sala do Grande Conselho, cheios de alegria, por terem sido achados dignos de sofrer afrontas pelo nome de Jesus(At 5,41).”

O exemplo dos três jovens e dos apóstolos, deve servir para todos nós. Em meio às dificuldades, não lamentarmos ou questionarmos a Deus, dizendo, por ser cristão, que o Senhor nos livre. Quando rezamos o “Pai Nosso” e dizemos: “Livrai-nos de todo mal”, façamos com toda fé. Porem, se o Senhor permitir alguma provação, devemos acolher com respeito, ou, por que não dizer, com gratidão. E em meio a esta realidade, elevar o nosso louvor, sem esperar nada em troca. Apenas louva-lo, com todo nosso coração, toda nossa alma, toda nossa força!


“Aleluia. Louva, ó minha alma, o Senhor! Louvarei o Senhor por toda a vida. Salmodiarei ao meu Deus enquanto existir.(Salmo 145,1-2)”





*(Ziad Joseph Esper é o atual coordenador estadual da Renovação Carismática Católica de Goiás)

Leia Mais

Rosas para Nossa Senhora

por Eliana Terezinha Flôres de Paula


Olá, hoje vou contar-lhes a minha história com Nossa Senhora.

Tenho em minha casa um pequeno oratório e nele as imagens de Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora das Graças, Imaculado Coração de Maria e Santa Terezinha, minha santa de devoção... sem deixar de falar do Sagrado coração de Jesus.

Pois bem, eu não tenho muito tempo pra ficar diante do oratório rezando, mas sempre acho um tempinho para colocar rosas pra Nossa Senhora, acender uma vela e conversar com ela e com as rosas... estranho, né?

No entanto, podem acreditar, as rosas sentem e permanecem bonitas durante uma semana e, sabem por quê? Por que eu falo pra elas alegrarem o dia de Nossa Senhora... gostaram? Lindo, né?

Abraços a todos e tentem viver essa experiência, é legal pra caramba.
Leia Mais

SANTO DO DIA 19/06 - São Romualdo

por Danilo Lopes











São Romualdo nasceu na Toscana e viveu no final do século X e início do século XI. Reformador da vida monástica, chegou à vida religiosa marcado por um triste acontecimento: seu pai matara em duelo um parente. Primeiramente foi monge beneditino, na abadia de Ravena. Fundou depois o mosteiro de Campo Maldoli, dando origem assim à Ordem Camaldulense, procurando conciliar vida de solidão absoluta e vida comunitária. Apesar de monge, foi um homem comprometido com o seu tempo, preocupado com a evangelização dos povos e com a reforma do clero. Ao pressentir a morte, despediu-se de cada um dos monges e quis morrer sozinho, sem ninguém por companhia.



(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 18/06 - São Gregório Barbarigo

por Danilo Lopes

São Gregório Barbarigo nasceu em Veneza, Itália, em 1625. Em 1648, acompanhou o embaixador de Veneza, Contarini, às negociações realizadas em vista do Tratado de Vestefália. Em Münster travou conhecimento com Fábio Chigi, núncio apostólico. Eleito papa com o nome de Alexandre VII, Fábio Chigi nomeou Gregório Barbarigo cônego de Pádua e prelado da Casa Pontifícia (1655). Em 1657 foi nomeado bispo de Bérgamo e, em 1660, cardeal.
As suas atividades apostólicas marcaram profundamente sua época. Dotou o seminário de Pádua com professores notáveis, provenientes não somente da Itália mas também de outros países da Europa. Fundou uma das melhores tipografias que a Itália teve conhecimento na época. Fundou instituições para o ensino da religião, para orientação de pais e educadores; criou escolas populares e cuidou da assistência à saúde, com mais de treze mil assistidos. Foi canonizado por seu conterrâneo, o papa João XXIII.

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 17/06 - São Bessário

por Danilo Lopes


São Bessário era egípcio e viveu no século IV. Segundo a tradição, foi discípulo de Santo Antônio e de São Macário de Sceta. Nada possuía de seu, a não ser um "evangeliário", o livro dos evangelhos. Conta-se que, um dia, São Bessário encontrou o cadáver de um homem completamente nu. Desfez-se de seu manto e cobriu-o. Mais adiante encontrou um mendigo completamente nu e tremendo de frio. São Bessário tomou, então, a sua túnica e lhe deu para vestir. Isto porque não queria ser homicida de seu irmão. Ao ver o santo despojado de suas vestes, perguntaram-lhe a razão de tal atitude. Ele, mostrando o "evangeliário", respondeu: Tudo por causa disso! Deram-lhe, então, um casaco para que cobrisse sua nudez. Não tardou, porém, a encontrar outro pobre. Que fazer? São Bessário vendeu então o "evangeliário" e deu o dinheiro ao pobre. Seu discípulo perguntou-lhe: Que fizeste de teu livro? Ele respondeu: Vendi-o! Sim, vendi o livro em que se lê: "Vende tudo o que tens e dá aos pobres!".

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

À Espera de Jesus

por Danilo Lopes




Há alguns dias atrás, logo pela manhã, enquanto eu pensava nas coisas de Deus e nas grandes maravilhas que Ele realiza em nossas vidas, me peguei fazendo a seguinte pergunta:

E se Jesus voltasse hoje?

De repente me vi um pouco perturbado por aquela questão que não parava de ressoar em minha mente, e logo comecei a refletir sobre a minha vida, sobre como eu estava vivendo e me preparando para a volta de Jesus.

Naquele momento então me dei conta de que muitas vezes, ou melhor, na maioria delas, nós levantamos de nossa cama, começamos a rotina do nosso dia-a-dia e não reservamos um momento para pensarmos no que vamos fazer durante o dia para estarmos mais próximos de Jesus, para estarmos nos preparando para a sua vinda definitiva. Pelo contrário, deixamo-nos tomar conta pelas preocupações com o trabalho, com os estudos, com as contas que vencem naquele dia, e deixamos para pensar em Jesus quando sobrar um tempo...

Da mesma forma como eu me questionava sobre o meu preparo para a vinda de Jesus, eu te faço a seguinte pergunta:

E você, irmão, como você tem se preparado para a volta de Jesus?

Você já parou pra pensar sobre isso? Se você ainda não pensou sobre isso, ou até mesmo não começou a se preparar para a vinda definitiva do Filho de Deus, então comece a se preparar! A hora é agora! “Pois não sabemos em que dia virá o Nosso Senhor.” (Mt. 24,42) “Se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que sua casa fosse arrombada. Por isso, também vós, ficai preparados! Pois na hora em que menos pensais, virá o Filho do Homem.” (Mt. 24,43-44)

Comece então fazendo uma reflexão sobre a sua vida, sobre como anda sua intimidade com Deus e o que você tem feito para estar mais perto Dele. Não se esqueça de algo muito importante, que vai te ajudar a tomar a sua decisão: Você é filho do Céu! O seu lugar é o Céu! O seu objetivo maior deve ser o Céu! Levante seus olhos e fixe o olhar na meta que você precisa alcançar, o Céu. Só assim poderemos nos preparar para a vinda Daquele que é a fonte de vida eterna!

Que o Nosso Senhor Jesus Cristo abençoe o nosso tempo de preparo e de espera da Sua vinda gloriosa.

Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!
Leia Mais

SANTO DO DIA 16/06 - São Francisco de Régis


por Danilo Lopes




Este grande missionário jesuíta da França do século XVII nasceu em 31-1-1597. Com 14 anos, seu pai, um homem abastado que tinha lutado na liga contra os huguenotes, o enviou para o colégio dos jesuítas de Béziers. Já nessa época, como aluno externo hospedado numa casa de família, começou a exercer o seu apostolado, de forma que transformou a casa onde vivia, uma pensão, quase num internato com regulamento e leitura nas refeições. Aí surgiu a sua vocação jesuíta e entrou no noviciado em 1616.

Nos anos de estudo se dedicou, nas horas vagas, ao seu apostolado de catequista junto ao povo simples, e era muito estimado. Em 1628, quando começava a estudar teologia, surgiu uma epidemia de peste bubônica. Tanto fez pelo seu desejo de trabalhar entre os empestados que anteciparam a sua ordenação e foi ordenado padre em 1630.

Sua primeira missão foi ser pacificador no seu país natal, entre os seus parentes que estavam em desacordo por interesses de família, o que conseguiu por causa da sua profunda santidade e força interior. Pensou em ir para o Canadá, como missionário, mas não lhe foi permitido. Iniciou então uma vida de missionário em sua pátria.

S. Francisco exemplificou o zelo e os padecimentos dos pregadores das missões. Mesmo sob intempéries percorre a pé, durante anos, as regiões montanhosas do centro da França; dias inteiros e até semanas, sem intervalos, pregando às multidões, ouvindo confissões noite adentro, administrando os sacramentos. Incompreendido e caluniado muitas vezes. Esgotado de tanto trabalho, morre em plena missão em dezembro de 1640. Foi canonizado por Clemente XII em 1737.

(Cf PALACÍN S.J., Carlos; PISANESCHI, Nilo. Santo nosso de cada dia, rogai por nós!, São Paulo: Loyola, 1991)
Leia Mais

Jesus, O Pão Vivo Descido do Céu

por Carlos Antonio









No evangelho de São João (6, 28-34), encontramos uma situação que provavelmente cada um de nós, seja uma pessoa de muitos anos de caminhada ou que está começando, já deve ter se deparado: a de indagar Jesus sobre o que fazer para fazermos sempre a vontade do Pai.

Sim, temos as mesmas dúvidas daquela multidão. Queremos saber o que faremos para praticar melhor as obras de Deus. Buscamos conhecer os milagres que Jesus realizou em seus 33 anos de vida na terra e, por muitas vezes, nos esquecemos de olhar à nossa volta e vermos os milagres que Ele continua realizando em nosso dia a dia.
Jesus vem nos dizer que é simples, basta que creiamos nele, o Deus Filho, que foi enviado por Deus Pai para remir os nossos pecados e dar a salvação a todo aquele que crer. Sua resposta é bem simples ao nos apontar que "...a obra de Deus é esta: que creiais naquele que Ele enviou" e que o "Pai nos dá o verdadeiro pão do céu, porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo".

Somos fracos, somos de carne, muitas vezes incrédulos. Porém, Jesus nos dá o pão descido do céu que é fonte de vida e libertação para todos nós Cristãos. Na Eucaristia, temos o nosso refúgio, respostas para nossas dúvidas, angústias e é o que verdadeiramente impulsiona a nossa caminhada. É o nosso combustível. Logo, todo cristão tem que amar a Santa Eucaristia e a Santa Missa, onde comungamos o alimento do espírito.

Jesus, não deixa perecer as pessoas que nEle crêem, não nos abandona. Ele faz a vontade de seu Pai (João 6, 40): “que todo aquele que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna;” portanto, não tenhamos medo de sempre buscar a Jesus na santa Eucaristia.
Leia Mais

SANTO DO DIA 15/06 - São Vito

por Danilo Lopes




Segundo consta nos Anais, São Vito nasceu na Sicília e sofreu o martírio por volta do ano 300. A sua vida está envolta em lendas e fatos extraordinários. Conforme as Atas do seu martírio, São Vito foi instruído secretamente na doutrina cristã por Modesto, seu perceptor. Ao descobrir, Hilas, seu pai, tentou persuadir o filho a abandonar a fé, temendo que o fato viesse a público. De fato, o que o pai temia acabou acontecendo: o garoto foi preso e levado perante o tribunal. Como persistisse em se declarar cristão, foi açoitado e posto em liberdade.

São Vito, Modesto e Crescência, sua ama-seca, fugiram de Sicília e alcançaram as costas de Nápoles, em Lucânia. Vagaram errantes às margens do rio Siluro, até que um dia chegaram à Roma. Não tardou para serem presos, novamente açoitados e condenados às feras. Uma forte tempestade desabou sobre os espectadores, possibilitando a fuga dos prisioneiros para Lucânia. Somente mais tarde sofreram o martírio sob o imperador romano Diocleciano. São Vito é invocado contra a doença nervosa chamada coréia ou "dança de São Vito", ou ainda "dança de São Guido".

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

SANTO DO DIA 14/06 - São Fernando de Portugal

por Danilo Lopes




Chamado também "o infante santo", "o príncipe perfeito" e "o abanderado" (porta-estandarte), nasceu em Santarém em 29-9-1402, filho do rei de Portugal D. João I e Felipa de Lancaster que o educou muito piamente. Muito austero consigo mesmo, teve um delicado senso da justiça social unido a uma grande compaixão para com os escravos, os navegantes e os doentes, que socorria com abundantes esmolas.Conservou-se sempre casto, recusando casamentos. Foi obrigado pelos irmãos a aceitar o título de Grão-mestre da ordem monástica-militar de Avis, conferido a ele pelo papa Eugenio IV em 1434, mas recusou humildemente o cardinalato que lhe foi oferecido pelo mesmo papa. O fato mais famoso de sua vida deu-se no dia 22 de agosto de 1437. Em estado de febre, partiu juntamente com irmão, Henrique, o navegador, à frente de um exército de 7 mil homens para conquistar Tânger, mas no mês de outubro foram obrigadas a suspender o cerco da cidade e aceitar as condições impostas pelos mouros, entre as quais a promessa de restituição da cidade de Ceuta. Fernando e 12 homens ficaram como reféns. Fernando foi levado de Tânger para Arzila, onde ficou 7 meses.

Com a recusa das cortes portuguesas de restituir Ceuta, em maio de 1438, foi transferido para Fez, onde foi reduzido à condição de escravo e como tal obrigado a trabalhar duramente. As tratativas para a sua libertação foram todas inúteis pelas exigências exorbitantes feitas pelo sultão de Fez. Debilitado pelas privações, foi acometido por violenta desinteria, devido às péssimas condições de higiene em que era obrigado a viver.

Foi confortado pelos últimos sacramentos, que permitiram se lhe administrassem e morreu rapidamente no dia 15 de junho de 1443, em êxtase por visões celestes que teve. O seu corpo teve as entranhas extirpadas e foi dependurado nos muros da cidade de cabeça para baixo. Apenas o seu coração foi levado para Portugal. Anos depois permitiram que o seu corpo fosse levado para Portugal e foi sepultado no mosteiro da Batalha.


(Cf PALACÍN S.J., Carlos; PISANESCHI, Nilo. Santo nosso de cada dia, rogai por nós!, São Paulo: Loyola, 1991)
Leia Mais

SANTO DO DIA 13/06 - Santo Antônio de Pádua

por Danilo Lopes











Antônio, cujo nome de batismo é Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo, nasceu em Lisboa em 1195. Aos 15 anos entrou no Colégio dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, onde adquiriu e aprofundou conhecimentos de teologia, filosofia e ciências.


Em 1220 entrou na Ordem Franciscana com o nome de Antônio Oliveira partindo logo depois para o Marrocos. Acometido por uma doença durante a viagem teve frustrados seus planos de missionário. Na volta do Marrocos um acidente arrastou sua embarcação para as costas sicilianas. Morou alguns meses em Messina, no convento dos franciscanos, até que seu superior o levou a Assis onde conheceu pessoalmente "o trovador de Deus", Francisco de Assis. Viveu a vida eremítica num convento perto de Forlí onde foi incumbido das funções de cozinheiro. Frei Antônio viveu na obscuridade até que, percebendo seus dons de pregador, os superiores enviaram-no a pregar pela Itália e França. Antônio passou a ter morada fixa num convento de Arcella, de onde saia para pregar aonde quer que dele precisassem. Percorreu toda a Europa combatendo as heresias de sua época. Morreu em Arcella no ano de 1231. O "santo" , como era chamado em Pádua, foi canonizado um ano após sua morte, apoiado por uma crescente popularidade.


Santo Antônio é doutor da Igreja e padroeiro de Portugal . Foi um dos pregadores itinerantes mais conhecido do século XIII e São Francisco o chamava de "meu bispo". Sua popularidade chegou ao Brasil via colonização portuguesa, mais precisamente por influência dos frades franciscanos.A popularidade de Santo Antônio advém também do fato de ele ser considerado pela tradição um santo casamenteiro.
Leia Mais

Dia dos Namorados

por Prof. Reginaldo Pacheco



“Ah! Se não der certo a gente separa!” Como é triste ter que ouvir isso! Esta expressão tão comumente utilizada pelos casais de noivos está enraizada na forma moderna de namoro e na concepção de “Amor” que as pessoas concebem atualmente.

O que mais presenciamos no nosso cotidiano é o surgimento de “namoros vazios”, nos quais não se buscam mais a vivência do Amor verdadeiro, mas sim, as experiências de paixões e desejos individuais e egoístas - encontramos até namorados (as) que medem o Amor do companheiro (a) de acordo com o valor do presente recebido no Dia dos Namorados! E se não recebem nada! Ai, ai, ai.

Essas paixões, que por várias vezes são desenfreadas, e esses desejos egoístas deturpam o sentido do verdadeiro Amar, fazendo com as pessoas não encontrem a sua verdadeira essência, o Amor.

Por essa razão é que ainda encontramos diariamente pessoas que julgam o Amor como uma coisa abstrata – o que é lamentável. Exemplo disso foi o que aconteceu em um dos programas do Show do Milhão do SBT, quando a pessoa respondeu que o Amor era um substantivo concreto e acabou perdendo porque o jogo o considerava abstrato.

O namoro é fase da nossa vida que nos preparamos para vida matrimonial, mas, infelizmente, nossos casais de namorados de hoje não andam preocupados com essa questão, que é tão importante. O que assistimos é a ridicularização dos namoros sérios e puros – “vocês são novos demais”, “ aproveitem mais a vida”.

Muitos cometem o erro de achar que coisas erradas ou desajustadas, que surgem ou são identificadas no namoro, são capazes de serem corrigidas após o casamento – o que é um terrível engano.

Os relacionamentos amorosos se iniciam e se desfazem com uma facilidade incrível. Tem gente que chega ao absurdo de disputar com “colegas” quem já beijou mais bocas diferentes.

Precisamos retomar os valores cristãos! Um namoro em Deus tem que ser pautado na castidade, na oração, no respeito mútuo, na transparência, na partilha dos sonhos e em família.

Do contrário, continuaremos assistindo a um crescimento demasiado do número de jovens vazios e carentes, além do crescente número de casamentos que já nascem condenados à separação e ao divórcio.

Que especialmente neste dia 12 de junho, dia dos namorados, Jesus possa abençoar todos os casais e derramar o teu Amor entre cada um, para que se descubra e viva a maravilha que é Amar!

Leia Mais

SANTO DO DIA 12/06 - São Gaspar de Búfalo

por Danilo Lopes






Gaspar nasceu em Roma, em 6 de janeiro de 1786. Teve como armas pacíficas a palavra e caridade, tendo sido definido como "terremoto espiritual" pelas prédicas veementes e de "anjo da paz" por seu amor para com o próximo. Porém muitos outros méritos teve este santo que o papa João XXIII definiu "glória toda resplandecente do clero romano, verdadeiro e maior apóstolo da devoção do Preciosíssimo Sangue de Jesus no mundo".


Gaspar começou, às ocultas, sua obra de evangelização do povo da periferia dedicando-se aos camponeses e aos carroceiros. Em 1815 fundou a Congregação dos Missionários do Preciosíssimo Sangue e em 1834 o Instituto das Irmãs Adoradoras do Preciosíssimo Sangue. Quando morreu, em Roma, a 28 de dezembro de 1837, seu contemporâneo São Vicente Pallotti teve a visão de sua alma que subia ao encontro de Cristo, como uma estrela luminosa. Sua fama de santidade espalhou-se pela cidade, pela Itália e não demorou a atingir o mundo todo. São Gaspar foi beatificado em 1904 e canonizado por Pio XII em 1954.
Leia Mais

ESPECIAL: Semana dos namorados!



Vamos comemorar juntos a semana dos namorados!!!


Declare seu amor a quem você ama! Basta enviar uma mensagem para o e-mail a.boa.semente@hotmail.com.

Não se esqueça de enviar seus dados e os dados da pessoa amada!

Dados a serem enviados com a mensagem: nome, cidade, estado, grupo de oração que participa e outros dados mais que quiser. Se quiser alguma imagem específica, mande-a em anexo em seu email.
Leia Mais

NAMORO - Segundo um Pai de uma Pré Adolescente

por Lernardo Fernando*





Nós, pais de adolescentes, devemos ser, antes de qualquer outra coisa, amigos e companheiros de nossos filhos. Precisamos passar para eles a confiança que eles encontram nos amigos. Nossos filhos devem sentir em nós a fortaleza, sentir que somos as pessoas nas quais eles devem confiar.

Ser pai de adolescente é uma tarefa nada fácil, porque precisamos assumir um caminho em que deve prevalecer o bom senso, pois a desgastada comparação com o passado nunca será eficaz. Os tempos são outros, os jovens são outros e com mentalidade bem diferente da nossa.

Adolescentes e jovens devem estar conscientes de que “o namoro” é o caminho que leva ao matrimônio e não uma simples maneira de diversão. É algo muito bonito, porém precisa ser encarado de forma séria e no tempo certo.

Nós, pais cristãos, devemos orientar nossos filhos e esta orientação começa primeiramente com bons exemplos, com diálogos sinceros, respeito mútuo e, principalmente, com uma verdadeira vida de oração.




*(Leonardo Fernando é Ministro da Eucaristia na Paróquia Nossa Senhora Aparecida e pai de dois filhos, sendo um deles uma pré-adolescente)
Leia Mais

SANTO DO DIA 11/06 - São Barnabé

por Danilo Lopes






Barnabé nasceu na ilha de Chipre e é assim apresentado nos Atos dos Apóstolos: "José, a quem os apóstolos haviam dado o cognome de Barnabé, que quer dizer "filho da consolação", era um levita originário de Chipre. Sendo proprietário de um campo, vendeu-o e trouxe o dinheiro, depositando-o aos pés dos apóstolos"(At 4, 36-37). Embora não pertencesse aos Doze, foi uma figura de primeira grandeza na primitiva comunidade cristã que floresceu em Jerusalém após o Pentecostes.

Sob a inspiração do Espírito Santo, Barnabé resolveu anunciar o Evangelho em Antioquia, levando consigo Paulo. E foi assim que começou a espalhar a palavra de Deus pelo mundo. Após Antioquia, onde os discípulos foram chamados pela primeira vez cristãos, Paulo e Barnabé partiram para Chipre, Perge e cidades da Licaônia. Em seguida Barnabé participou do Concílio de Jerusalém e depois se separou de Paulo.
Depois disso não se tem mais notícias suas. Escritos apócrifos falam de uma possível viagem a Roma e de seu martírio em Salomina, por volta do ano 70.
Leia Mais

SANTO DO DIA 10/06 - Santa Olívia

por Danilo Lopes


Santa Olívia nasceu em Palermo, na Sicília, no século IX. Contava 13 anos quando Genserico, rei dos vândalos, invadiu a Sicília. Feita prisioneira dos sarracenos, foi levada à Tunes e colocada à disposição de Amira, governador da cidade. Por não se entregar a seus caprichos e paixões, Amira mandou açoitá-la e abandoná-la em meio a densa floresta. Desejava que ela fosse devorada pelos animais selvagens. Santa Olívia conseguiu sobreviver e construiu um refúgio contra as intempéries. Passou a viver ali, entregue à oração, à penitência e à meditação.

Certo dia, entretanto, foi descoberta por alguns caçadores. Estes, impressionados com sua força espiritual, converteram-se ao cristianismo. Sentindo-se ameaçado pelas numerosas conversões operadas por Santa Olívia, Amira mandou prendê-la e lançá-la na prisão.

Padeceu várias crueldades e tortura. Todavia, seu sofrimento e sua morte por decapitação contribuíram ainda mais para mover os corações à conversão. Foi canonizada em 1664, por Alexandre VII.
Leia Mais

SANTO DO DIA 09/06 - Beato José de Anchieta

por Danilo Lopes









José de Anchieta nasceu na ilha de Tenerife nas Canárias. Em 1551 ingressou na Companhia de Jesus e em 1553 partiu para o Brasil. Chegou ao colégio de São Paulo, no planalto de Piratininga, contribuindo para a fundação da cidade de São Paulo ocorrida em 25 de janeiro de 1554, data em que a Igreja relembra a conversão do apóstolo São Paulo ocorrido a caminho de Damasco.José de Anchieta, também chamado o Apóstolo do Brasil, esteve sempre ao lado dos índios e intercedeu a favor da paz entre índios e brancos. Em 1565 participou da expedição de Estácio de Sá contra os franceses que invadiram o Rio de Janeiro. Foi eleito superior dos jesuítas de S.Vicente e de S. Paulo e, de 1577 a 1587, dirigiu a província da Companhia de Jesus no Brasil.

A atividade apostólica de José de Anchieta foi intensa e profícua. Por certo não lhe faltaram dificuldades e sofrimentos mas, homem de fé e de espírito missionário, superou provações sempre em união profunda com Cristo, a quem se unia no mistério eucarístico.

Anchieta buscou novas formas de atuação apostólica e não mediu esforços para compreender e se adaptar ao novo mundo. Foi catequista, professor, poeta, gramático, estudioso da flora e da fauna, de medicina e de música. Estudou a língua falada pelos índios e deixou um dicionário e uma gramática tupi-guarani. Em Reritiba (atual cidade de Anchieta –ES) ofereceu-se como refém dos índios, durante a Pacificação dos Tamoios, lá escreveu na areia o "Poema à Virgem".


Morreu no dia 9 de junho de 1597. Beatificado solenemente por João Paulo II em 1980.

“Eis ó Mãe santa, o que outrora eu em verso te prometi em voto, entre o gentio adverso. Enquanto ao cru Tamoio abrandei com a presença, e tratei, qual refém, a obra da paz suspensa, teu favor me acolheu com afeto tão caro que alma e corpo guardou,


sem culpa, teu amparo.


À inspiração de Deus, almejei mil cansaços, cruelmente expirar, preso por duros laços,


Mas minha ânsia sofreu a repulsa irrisória, porque só aos heróis compete tanta glória!”
Leia Mais

SANTO DO DIA 08/06 - Bem-aventurada Maria do Divino Coração

por Danilo Lopes
A bem-aventurada Maria do Divino Coração pertencia à Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor. Natural de Münster, Alemanha, Maria do Divino Coração nasceu em 1863. Em 1888 ingressou no Convento das Irmãs do Bom Pastor, cujo apostolado específico se realiza junto à juventude feminina marginalizada. Em 1894, aos 31 anos, partiu para Portugal.

Foi superiora das Irmãs de sua congregação, na cidade do Porto, conseguindo reerguer e consolidar ali a congregação que passava por dificuldades. Em 1896, caiu doente., afetada por uma osteomielite. Morreu no ano de 1899, às vésperas da realização de seu ardente desejo: a consagração do mundo inteiro ao Sagrado Coração de Jesus, por Leão XIII. Irmã Maria ofereceu a Deus o seu sofrimento, unindo-se ao Servo Sofredor que continuamente oferece a sua vida pela salvação do mundo.

(Cf. ALVES, José Benedito. Os Santos de cada dia, São Paulo, Paulinas, 1998)
Leia Mais

CORPUS CHRISTI - para sua reflexão



"Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre."
(Jo 6, 53-58)
Links interessantes sobre milagres eucarísticos:
  • O milagre eucarístico de Lanciano: um padre, enfraquecido na fé, duvida da presença real de Jesus na eucaristia e vê, na sua frente, a Hóstia se materializar em carne e sangue humanos;
  • O milagre eucarístico de Casia: um sacerdote da cidade de Lamada sai apressadamente para ministrar os últimos sacramentos de um agricultor e coloca a Hóstia entre as folhas de um livro. Ao abrir o livro, as páginas estavam manchadas de sangue.
  • O milagre eucarístico de Hasselt: Um padre sai para ministrar os últimos sacramentos de um fiel. Enquanto conversava com a família, a Hóstia ficou sobre uma mesa. Uma pessoa que estava em pecado veio, a tocou e a mesma começou a sangrar.
  • O milagre eucarístico de Daroca: na época das lutas entre mouros e cristãos na península ibérica, um padre está fazendo a consagração da Hóstia numa missa para guerreiros cristãos, quando o lugar em que se encontram é surpreendido por um ataque. As Hóstias são guardadas sobre um pano e quando vão pegá-las novamente, após uma vitória cristã, o pano se encontra ensangüentado.
  • O milagre eucarístico de Faverney: numa vigília de Pentecostes, alguns monges deixam a Hóstia consagrada em exposição. Ocorre um incêndio na igreja e boa parte dos objetos sacros é destruída, com exceção do ostensório, que saiu ileso: foi encontrado flutuando no ar!
  • O milagre eucarístico de Santarém: uma mulher já cansada dos sofrimentos em casa, através dos maus tratos de seu marido, resolve procurar uma bruxa. Essa lhe pede uma Hóstia consagrada para fazer o serviço... (o milagre se encontra no meio do site, abaixo do milagre de Lanciano);
  • O milagre eucarístico de Offida: mais um caso em que uma esposa desesperada procura os serviços de uma bruxa...
Leia Mais

Hoje irei te visitar

por Márcio Pacheco















Certa vez um jovem estava em oração e teve revelado em seu coração que Jesus iria visitá-lo no dia seguinte. O jovem, mais que depressa, pôs-se a organizar sua casa, preparar um banquete, colocar os móveis no lugar, buscando deixar tudo preparado da melhor maneira possível para que, quando Jesus aparecesse, encontrasse seu lar da melhor maneira possível.

Enquanto estava tirando a poeira das paredes e catando as teias de aranha, eis que apareceu uma mãe aflita em sua porta pedindo auxílio para conseguir comprar remédios para seu filho, que sofria de ataques epilépticos. Ele secamente respondeu "Hoje não, tia!", como se ela estivesse simplesmente oferecendo algum objeto para vender.

Um pouco mais tarde, enquanto preparava um assado bem gostoso, um senhor andarilho sentiu o cheiro da comida maravilhosa que vinha de sua casa, bateu na porta e pediu "apenas um pouquinho de comida" para saciar sua necessidade. O jovem simplesmente respondeu "Desculpe-me, mas não posso tocar no prato enquanto meu convidado não chegar. Venha amanhã e, certamente, lhe darei do que sobrar!".

Como Jesus não havia chegado ainda durante o dia, o jovem estava certo de que durante a noite Ele estaria em seu lar. Como era época de frio, pediu que preparassem a lareira com madeira perfumada, para deixar o ambiente mais agradável ainda.

Nisso bate na porta uma mãe, segurando seu bebê em seus braços, protegendo-o do frio. Pedia um agasalho ou um cobertor velho, pois fazia tempo que não via uma noite tão fria como aquela. Ele até pensou em dispensá-la ali mesmo na porta, mas ficou com pena do recém nascido e pegou uma camisa velha, já em trapos, para que o bebê não passasse tanto frio e os dispensou.

O dia passou. O jovem havia feito várias preparações, mas estava decepcionado: Jesus não havia ido banquetear com ele.

No outro dia cedo, foi logo à igreja orar e se queixar a Jesus:

"Você me prometeu que iria me visitar ontem! Preparei a maior festa para te receber em minha casa e você não foi!! Estou muito decepcionado com você!!"

Jesus, então, simplesmente disse:

"Eu também estou triste. Eu prometi que ia te visitar e estava muito alegre ao perceber que você estava se preparando para me receber. Porém, fui lá três vezes e você não quis me receber..."



"Em verdade eu vos digo, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
(Mt 25, 40)
Leia Mais

SANTO DO DIA 07/06 - Bem-aventurada Ana de São Bartolomeu (virgem)

Ana de São Bartolomeu nasceu em Almendral, província de Toledo, na Espanha, no ano de 1549. Era filha de agricultores e tendo ficado órfã aos 10 anos de idade, para sobreviver foi apascentar rebanhos e tornou-se pastora.

Em 1570 entrou no convento das Carmelitas Descalças fundado por Santa Teresa, em Ávila. Possuidora de espiritualidade profunda, passou a assessorar Teresa d’Ávila e durante muitos anos acompanhou-a em longas e extenuantes viagens.

É considerada herdeira dos ideais de Teresa, vindo esta, inclusive, a morrer em seus braços em 1582. Após a morte da fundadora, Ana de São Bartolomeu iniciou uma intensa atividade na difusão dos ideais das carmelitas: tornou-se priora em Paris, fundou o mosteiro de Tours e em seguida assumiu o cargo de priora em Anvers, na Bélgica. Foi ali que exerceu profunda influência espiritual na ordem carmelita, até sua morte no ano de 1626. Está sepultada no convento de Anvers.
Leia Mais

HISTÓRIAS DE FÉ - Eis que Faço Novas Todas as Coisas

by Joicy Rocha




Outro dia eu estava sentada em minha cama falando com Jesus. E em meio a um grande vazio que eu sentia, por diversos motivos, comecei a questionar meu amigo. Eu perguntava: “Jesus, porque não me amas mais?”.

E, então, Jesus começou a fazer uma viagem comigo, levando-me até certo momento de minha infância. De início eu não pude entender o que significava aquilo. Mas aos poucos fui vendo o que aquela lembrança queria me dizer...

Quando eu tinha nove anos, adquiri o vírus da hepatite A, uma doença não muito grave, que é curada em pouco tempo. Desde muito pequena eu sempre me consultei com um único médico, um verdadeiro anjo em minha vida! Certa vez, vendo que eu não me sentia muito bem, minha mãe me levou ao hospital em que meu anjo da guarda trabalhava, mas ele se encontrava em férias. Tive que me consultar com outra pessoa.

Esse outro médico disse que eu não tinha nada de grave e que minha mãe podia me levar pra casa que logo eu estaria bem. Minha mãe assim o fez!

Porém, minha situação só piorava.

Até que meu médico voltou de férias e minha mãe resolveu me levar ao hospital novamente. Ao me examinar ele pediu alguns exames que constataram a minha doença. Não era para ser nada de grave, mas eu já me encontrava doente há mais de um mês.

Percebeu-se, então, que o vírus que contraí era modificado geneticamente, e reagia de forma diferente em meu organismo. Eu me via pior a cada dia e não entendia o porquê. Eu ia ficando cada vez mais magra, mais fraca, mais amarela. Mas mesmo em toda essa situação eu olhava para o lado e conseguia ver muitas pessoas rezando por mim.

Todos os dias, o grupo de terço da minha avó, juntamente com toda a minha família, paravam seus afazeres às 15h e faziam uma grande corrente de oração por mim.

Eu não entendia porque tudo aquilo acontecia. Eu apenas sentia dores o dia todo, e não sabia por que não podia mais brincar, não podia mais correr com minhas amigas. Todos os dias eu juntava as minhas mãozinhas e rezava ao Papai do céu.

Fiquei quatro meses de cama e seis sem poder ir à escola. Os médicos tinham tirado de minha mãe as minhas esperanças de vida. Se eu levasse uma pancada mais forte, meu fígado não agüentaria.

Mas, graças ao poder da oração e à persistência de pessoas que sempre me amaram muito, fui curada por Jesus.

E hoje, oito anos depois, eu questionava Jesus sobre o seu amor por mim. Ele me fez reviver tudo isso só para me dizer: “Minha filha, você acha que depois de te livrar da morte, depois de lhe dar uma nova vida, eu não seria capaz de continuar te amando?”.

Foi então que eu compreendi que o amor de Deus se baseia em fazer novas todas as coisas, inclusive o amor.
Leia Mais

SANTO DO DIA 06/06 - São Marcelino Champagnat

por Danilo Lopes















Nasceu no dia 20 de maio de 1789. Seus pais eram João Batista Champagnat e Maria Chirat. A mãe era muito piedosa, devota fervorosa da Santíssima Virgem. À noite, recitava o rosário em família e lia para seus filhos a vida dos santos.

O ambiente familiar era por demais propício para a adequada formação da alma de Marcelino, cujo padrinho era um tio que lhe impôs dois outros nomes: José e Bento.

Na casa de Marcelino, vivia refugiada sua tia Rosa, irmã de sua mãe, que fora expulsa do convento quando da Revolução. Ela foi muito útil à educação cristã de Marcelino: falava-lhe de Deus, de Maria e dos santos anjos custódios.

Em outubro de 1805, nosso menino ingressou no Seminário Menor de Virrières.

No dia 22 de julho de 1816 foi ordenado padre na igreja metropolitana de Lion, com apenas 27 anos. Dali ele foi a Fourvières oferecer a Maria o seu sacerdócio.

Tive a inspiração de fundar um instituto de irmãos. Em 1816, em uma de minhas freqüentes visitas ao santuário de Nossa Senhora de Fourvière; uma placa de bronze registra esse fato. Mas o momento escolhido por Deus para que Marcelino lançasse sua obra foi outubro de 1816, quando, solicitado para assistir na morte um adolescente chamado Francisco Montaigne, ele, cheio de amor e zelo, o instruiu e dispôs a morrer como um anjo, tendo chegado a tempo de dar-lhe o perdão sacramental. Marcelino ficou comovido e, pensando nos meninos que estariam na mesma situação, resolveu proceder à fundação dos seus irmãos.

O instituto teve início em 2 de janeiro de 1817. A primeira casa era tão pobre que poderia ser chamada de um autêntico portal de Belém.

Animado por seus superiores eclesiásticos e posto à prova pela cruz da adversidade, Marcelino começou a construção de sua casa no vale que desce da vila para Saint-Chamond, às margens do Gier. No dia da Assunção de 1825, a casa foi benta e dedicada a Nossa Senhora de L’Hermitage.
Leia Mais

SANTO DO DIA 05/06 - São Bonifácio

por Danilo Lopes




São Bonifácio nasceu por volta do ano 673 ou 680, no Wessex, no Kirton, na Inglaterra. Seu nome de batismo era Winfrid, e parece que pertencia a nobre família inglesa do Devonshire. Professou a regra monástica na abadia de Exeter e de Nurshig. Aos 20 anos de idade, já era mestre de ensino religioso e profano. Com a idade de 30 anos ordenou-se sacerdote e dedicou-se a teologia.

Em 718 o Papa São Gregório II outorgou a Winfrid a ordem direta para levar a Palavra de Deus aos hereges em geral. O Santo partiu imediatamente com destino a Alemanha, cruzou os Alpes, atravessou Baviera e chegou em Hesse. Em pouco tempo, pôde enviar à Santa Sé um informe tão satisfatório que o Papa passou a ver o missionário com intenções de lhe confiar o bispado. No dia de Santo André, ano 722, foi consagrado bispo regional com a jurisdição geral na Alemanha. Bonifácio regressou a Hesse e como primeira medida propôs arrancar as enraizadas superstições pagãs, principal obstáculo para a evangelização.

No ano 731, o Papa Gregório III, sucessor de Gregório II, nomeou São Bonifácio como metropolitano para toda Alemanha, autoridade para criar bispados onde julgasse conveniente.

Em sua terceira viagem a Roma foi nomeado também delegado da Sede Apostólica. São Bonifácio e seu discípulo São Sturmi fundaram no ano de 741 o mosteiro de Fulda, que com o tempo converteu-se no Monte Cassino da Alemanha.

Anos mais tarde, quando o Santo dispunha-se a realizar uma Confirmação, na véspera de Pentecostes, apareceu uma horda de pagãos hostis que atacou o grupo brutalmente e Bonifácio foi decapitado. O corpo do Santo foi trasladado para o mosteiro de Fulda, onde ainda repousa e onde se reúne constantemente a Conferência dos Bispos alemães, em homenagem a ele.
Leia Mais

Mensagem do Padre Antônio Martins

por Pe. Antônio Martins

"Estou muito feliz em Goiânia, mas certamente nunca vou esquecer o carinho do povo de Inhumas - DEus abençoe a todos - É o que desejo e rezo todos os dias pedindo a N. Sra Aparecida que interceda e proteja a todos.

Tenho muitas saudades do meu trabalho pastoral junto com a comunidade daí. Tenho muitas saudades de ser o Padre Antônio de Inhumas. Saudades de todos que colaboraram e foram fiéis ao meu pastoreio. Saudades de celebrar a Eucaristia para este povo fervoroso e muito amável. saudades de Ser pai/pastor/padre de vocês.

Abraços e a minha bênção para todos .

Parabéns pelo jornal e pelo Blog."
Leia Mais

SANTO DO DIA 04/06 - São Francisco Caracciolo

por Danilo Lopes






Seu primeiro e verdadeiro nome era Ascânio e morava junto à Congregação dos Brancos da Justiça, que se dedicava aos presidiários e condenados à morte. Aos 21 anos, foi acometido por uma enfermidade terrível na pele, semelhante à lepra, e todos acreditavam ser incurável. Então, Francisco fez a Deus esta promessa: "Se me curas desta enfermidade, dedicarei minha vida ao sacerdócio e ao apostolado". Curado milagrosamente, decidiu cumprir sua promessa, indo para Nápoles e a outros lugares.


Assim que se ordenou sacerdote uniu-se a um grupo de apostolado que se dedicava a atender a presidiários. Em 1588, um grande apóstolo, chamado João Adorno, dispôs-se a edificar uma comunidade religiosa, dedicando a metade do tempo à oração e a outra metade ao apostolado. Para isto, mandou uma carta a um Ascânio Caracciolo, pedindo-lhe conselhos sobre este projeto e propondo-lhe sua colaboração.

Porém, sucedeu que os que levavam a carta equivocaram-se de destinatário e em vez de entregá-la a Ascânio entregaram-na a Francisco Caracciolo, que ao lê-la sentiu que esta comunidade era o que ele havia desejado por muitos anos. Com João Adorno fundaram a nova congregação. Durante uma estada com os padres do Oratório caiu gravemente enfermo e veio a falecer. Seu corpo foi transportado para Nápoles e sepultado na igreja de Santa Maria Maior.

O primeiro de seus numerosos milagres foi a de um aleijado, durante seu funeral. Foi canonizado a 24 de maio de 1807.
Leia Mais

SANTO DO DIA 03/06 - São Carlos Lwanga e companheiros (mártires)

por Danilo Lopes


São Carlos Lwanga e seus 21 companheiros sofreram o martírio durante o reinado de Mwanga, por volta do ano 1885. O rei reuniu a corte numa manhã dando uma ordem estranha: "Todos entre vocês que não têm intenção de rezar podem ficar aqui ao lado do trono; aqueles, porém, que querem rezar reúnam-se contra aquele muro". O chefe dos pagens, Carlos Lwanga, foi o primeiro a dirigir-se até o muro, sendo seguido por outros quinze. O rei perguntou então, mas vocês rezam de verdade? “Sim meu senhor, nós rezamos.”, respondeu Carlos em nome dos companheiros que ficaram a noite toda rezando. Querem continuar rezando? “ Sim meu senhor, até a morte”. “Então, matem-nos”, decidiu bruscamente o rei, dirigindo-se aos algozes. Rezar, tinha se tornado sinônimo de ser cristão, e isso era absolutamente proibido no reino de Mwanga, rei de Buganda, região que atualmente faz parte da Uganda.

Carlos Lwanga foi o primeiro a ser assassinado, foi queimado lentamente a começar pelos pés. Kalemba Murumba, foi abandonado numa colina com as mãos e os pés amputados, morrendo de hemorragia. André Kagua, foi decapitado e o último João Maria, foi lançado em um pântano.

São Carlos Lwanga e os 21 mártires ugandenses, foram beatificados por Bento XV e canonizados por Paulo VI no dia 18 de outubro de 1964, na presença dos padres do Concílio Vaticano II. O próprio Paulo VI consagrou em 1969 o altar do grandioso santuário que surgiu em Namugongo, onde os três pajens guiados por Carlos Lwanga quiseram rezar até a morte.
Leia Mais

Êta Festa Boa, Sô!!



Um abração para todos do Grupo de Oração Semeador que botaram pra quebrar na quadrilha mais animada de 2007!!

Que Deus possa renovar a cada dia nossa alegria de sermos jovens e cristãos!
Leia Mais

SANTOS DO DIA 02/06 - São Marcelino e São Pedro


por Danilo Lopes



São Marcelino era sacerdote e São Pedro cumpria o ministério de exorcista. Foi relatado por São Dâmaso (+384) que, quando menino, ouviu do próprio carrasco dos santos o relato da morte deles.

O algoz referiu que havia disposto a decapitação dos dois no centro de um bosque justamente para não ficar nenhuma lembrança: ambos tiveram de limpar com as próprias mãos a pequena superfície que ia banhar-se de sangue.

Duas piedosas mulheres exumaram os cadáveres e lhes deram correta sepultura na catacumba de São Tibúrcio, sobre a Via Lavicana. O imperador Constantino mandou edificar uma Igreja sobre a tumba dos mártires.
Leia Mais

SANTO DO DIA 01/06 - São Justino

por Danilo Lopes





São Justino nasceu em Flávia Neápolis, na Samaria no início do século II, ano 103. A caminhada de sua conversão a Cristo incursionou pelas escolas estóica, pitagórica, aristotélica e neoplatônica. Aos 30 anos de idade teve um encontro com um velho sábio de Cesaréia que o convenceu que a verdade absoluta residia no cristianismo, tornando-se um propagador e proclamando ao mundo essa sua descoberta. Era definido como filósofo cristão e cristão filósofo.


Escreveu três apologias, a mais célebre delas é o Diálogo com Trifão, porque abre caminhos à polêmica anti-judaica na literatura cristã. Seus escritos também nos oferecem importantes informações sobre ritos e administração dos sacramentos na Igreja primitiva.


Em sua viagem a Roma, foi denunciado como cristão por Crescêncio e Trifão com quem havia disputado por muito tempo. Foi condenado à morte com outros seis companheiros, entre os quais uma mulher. Todos foram decapitados pela sua fé em Cristo, durante a perseguição de Marco Aurélio, imperador romano.


Do martírio de São Justino e companheiros se conservam as Atas autênticas.

Leia Mais

Postagens mais visitadas

Ouça a Rádio Canção Nova



Seguidores

 

Sobre A Boa Semente!

A Boa Semente foi fundada em 2007. É uma criação do Grupo de Oração Semeador, da Renovação Carismática Católica da cidade de Inhumas GO. É um instrumento de evangelização sem fins lucrativos.

Sua principal missão é semear a Boa Semente através de reflexões diárias do evangelho. Você também pode fazer parte dessa família, entre em contato conosco e saiba como!

Os artigos são de responsabilidade de seus respectivos autores.

Deus te abençoe sempre!

Visite Meu Canto Secreto e descubra mais sobre o autor desse instrumento de evangelização. Mais uma criação Vocenanet.com VCN