Ocorreu um erro neste gadget

Evangelho do Dia - Marcos 16,9-15

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.

9Depois de ressuscitar, na madrugada do primeiro dia após o sábado, Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual havia expulsado sete demônios. 10Ela foi anunciar isso aos seguidores de Jesus, que estavam de luto e chorando. 11Quando ouviram que ele estava vivo e fora visto por ela, não quiseram acreditar.
12Em seguida, Jesus apareceu a dois deles, com outra aparência, enquanto estavam indo para o campo. 13Eles também voltaram e anunciaram isso aos outros. Também a estes não deram crédito. 14Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto estavam comendo, repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado.
15E disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura!”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 21,1-14

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: 2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros discípulos de Jesus.
3Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”.
6Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e acha­reis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu sua roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar.
8Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. 10Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.
11Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. 12Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.
13Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. 14Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Evangelho do Dia - Lucas 24,35-48

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 35os discípulos contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão. 36Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz esteja convosco!”
37Eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. 38Mas Jesus disse: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração? 39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho”.
40E dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés. 41Mas eles ainda não podiam acreditar, porque estavam muito alegres e surpresos. Então Jesus disse: “Tendes aqui alguma coisa para comer?” 42Deram-lhe um pedaço de peixe assado. 43Ele o tomou e comeu diante deles. 44Depois disse-lhes: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava con­vosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.
45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras, 46e lhes disse: “Assim está escrito: o Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47e no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Eu Estou Com Você!




Bom dia, filhos muito amados de Deus!

Nessa quinta-feira, o Evangelho trata de uma das aparições de Jesus ressuscitado aos discípulos. Segundo as Escrituras, Jesus aparece e diz: “A Paz esteja convosco!”. Naquele instante, os discípulos se assustam, pensando verem um fantasma. Então, Jesus diz: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração? Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo!” A ressurreição de Jesus atingiu o próprio corpo, e não somente o espírito, levando os discípulos a crerem no Deus de promessas, de alianças, que cumpre Suas palavras.

A presença de Jesus trouxe mais vida àqueles discípulos, pois, ali, Jesus se tornou o fato central da fé cristã: a Sua própria ressurreição, a ressurreição do próprio Senhor Jesus. Ele, com toda sabedoria, soube questionar e tocar no coração daqueles que ali estavam, sendo presença, corpo e sangue.

Em outra passagem, Jesus apareceu a dois discípulos que estavam indo para um povoado, chamado Emaús. Durante a caminhada, enquanto conversavam, Jesus apareceu e começou a caminhar junto deles, mas nem perceberam. Jesus, então, perguntou a eles o que estavam conversando. Um deles, Cléofas, respondeu, contando que Jesus, um profeta poderoso, tinha sido condenado a morte e crucificado. Continuaram a caminhar, e só depois reconheceram Jesus, quando Ele tomou o pão, partiu e deu a eles, percebendo que estavam ao lado d’Aquele que falavam. Nesse mesmo instante, Jesus desapareceu.

Diante do Evangelho de hoje, dessa passagem que contei resumidamente, é possível perceber que Jesus quer nos levar a pensar acerca de tantas vezes que Ele esteve ao nosso lado (lembrando que Ele está SEMPRE!), digo naqueles momentos em que pensamos que Ele não estava, e nos questionou, nos tocou, nos amou, com o intuito de esclarecer nossas dúvidas, de carregar o nosso fardo, de nos amar, e por insensibilidade, ausência de fé, nem demos atenção.

Jesus vem sempre nos trazer paz e alimento! Ele conhece as nossas limitações, nossas fraquezas, nossos anseios, nossos pecados, e é por isso que Ele nos ama e nos perdoa, pois sabe que precisamos da Sua presença. Por que, sendo nós tão fracos, tão miseráveis, tão vulneráveis, ainda desconfiamos das propostas que o Senhor nos faz? Por que nos afligimos? Muitas vezes, quando somos provados, nossa humanidade impede que Jesus intervenha em nós, nos levando a negar a fé.

Entretanto, meus irmãos, Deus, com sua imensa misericórdia, vêm em nosso auxílio e nos faz reconhecermos a marca do Jesus Ressuscitado em nós, que é o Espírito Santo, que nos foi dado através do Batismo, que está gravado em nosso coração, capaz de transformar radicalmente a nossa humanidade. Então, nós abrimos as portas do coração e conseguimos sentir a Sua paz e nos saciarmos do Seu alimento. Quando nós comungamos o Corpo e o Sangue de Jesus nós podemos também escutá-Lo dizer: “Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim!” Que lindo... Quantas pessoas saem da missa do mesmo jeito que entraram, e não sabem a oportunidade que perdem de estarem o mais próximas de Jesus, revigorando a fé, ressuscitando em Cristo.

JESUS ESTÁ BEM VIVO E RESSUSCITADO, meu irmão (a)! A Palavra e a Eucaristia são sinais concretos disso.

Experimente da paz de Jesus! Não perca tempo! Deixe o Espírito Santo te revelar!

Pense:

Será que você tem ouvido Jesus falar com você?

Será que você reconhece Jesus?

Você permite que Jesus se sente junto a mesa para comer?

Afinal, antes de reconhecer Jesus, você O conhece?

Lembre-se: VOCÊ ESTÁ VIVO PORQUE JESUS ESTÁ VIVO!

Que seu dia seja imensamente abençoado e que aquela tal vozinha possa estar cada vez mais alta...



Monike Stival Martins
Leia Mais

Evangelho do Dia - Lucas 24,13-35

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

13Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos de Jesus iam para um povoado chamado Emaús, distante onze quilômetros de Jerusalém. 14Conversavam sobre todas as coisas que tinham acontecido.
15Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. 16Os discípulos, porém, estavam como que cegos, e não o reconheceram. 17Então Jesus perguntou: “Que ides conversando pelo caminho?” Eles pararam, com o rosto triste, 18e um deles, chamado Cléofas, lhe disse: “Tu és o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nestes últimos dias?
19Ele perguntou: “Que foi?” Os discípulos responderam: “O que aconteceu com Jesus, o Naza­reno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras, diante de Deus e diante de todo o povo. 20Nossos sumos sacerdotes e nossos chefes o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. 21Nós esperávamos que ele fosse libertar Israel, mas, apesar de tudo isso, já faz três dias que todas essas coisas aconteceram! 22É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deram um susto. Elas foram de madrugada ao túmulo 23e não encontraram o corpo dele. Então voltaram, dizendo que tinham visto anjos e que estes afirmaram que Jesus está vivo. 24Alguns dos nossos foram ao túmulo e encontraram as coisas como as mulheres tinham dito. A ele, porém, ninguém o viu”.
25Então Jesus lhes disse: “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! 26Será que o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua glória?” 27E, começando por Moisés e passando pelos Profetas, explicava aos discípulos todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele.
28Quando chegaram perto do povoado para onde iam, Jesus fez de conta que ia mais adiante. 29Eles, porém, insistiram com Jesus, dizendo: “Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem che­gando!” Jesus entrou para ficar com eles. 30Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía.
31Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus. Jesus, porém, desapareceu da frente deles. 32Então um disse ao outro: “Não estava ardendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?” 33Naquela mesma hora, eles se levantaram e voltaram para Jerusalém onde encontraram os Onze reunidos com os outros. 34E estes confirmaram: “Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” 35Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 20,11-18

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: ”Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Eu Vi o Senhor!


Muito bom dia, meus amigos!
Estava lendo o Evangelho de hoje e pus-me a imaginar a cena de Maria Madalena chorando na porta do sepulcro, no jardim particular de José de Arimateia, onde Jesus havia sido sepultado...

Uma mulher que chora... desconsolada... De repente ela se curva, olhando para o interior do sepulcro e vê dois anjos, que perguntam o motivo das lágrimas. Em seguida, vê uma pessoa, que julgava ser um jardineiro, que também lhe pergunta o motivo do pranto.

Somente quando Jesus a chama pelo nome que ela reconhece a voz do Rabuni, de seu mestre, dAquele que a havia ensinado verdadeiramente a ter vida plena e vida em abundância. Não se chora por pessoa desconhecida que morreu. Não se chora por quem você não tinha convivência e só se chora compulsivamente (já era o terceiro dia da morte do Senhor) quando realmente existe um profundo amor pela outra pessoa e não se ama o que é desconhecido. Só se ama de verdade quando esse sentimento vem regado de experiências partilhadas, vividas em conjunto.
Assim aconteceu com aquela mulher. Muito havia pecado, muito havia sido perdoada e enorme era sua gratidão, amor e reconhecimento por Jesus tê-la libertado de suas prisões exteriores e interiores. "Só se tem saudade do que é bom"... dá pra imaginar o sufoco que a saudade estava causando no coração daquela mulher?
A experiência vivida por Maria naquela manhã é um convite para nossa reflexão de hoje. Todos nós somos chamados a vivermos nossa experiência concreta com o amor transformador e revigorante de Jesus. Engana-se quem pensa que todas as obras, todos os milagres, todas as transformações de vida efetuadas por Jesus ficaram paradas naquele tempo em que Ele caminhava pelas estradas da Galileia.

A boa notícia do domingo de Páscoa é que JESUS ESTÁ VIVO e continua fazendo as mesmas coisas que lemos nos Evangelhos, pois Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre.Seria ignorância, e muita, se pensássemos que o número enorme de pessoas que dão testemunho da ação libertadora de Jesus em suas vidas é apenas fanatismo ou alguma espécie de lavagem cerebral ou controle mental. Não podemos calar nossas bocas diante de tudo aquilo que temos experimentado e testemunhado.E o convite de viver experiências concretas com Jesus não é apenas para poucos escolhidos, É PARA TODOS!
Olhe para sua vida, sua história... você já experimentou o sopro divino do Espírito Santo te preenchendo? Já experimentou o toque de Jesus? O olhar do Mestre te fitando?

Lembro-me bem de quando era criancinha e parei para observar um crucifixo de parede, que havia em minha casa, pela primeira vez. Não encontrava sentido para aquele homem estar pregado em uma cruz. Achava aquilo estranho. Aos poucos a catequese foi fazendo seu papel em me apresentar aquele homem. Eu o conheci de nome durante muito tempo em minha vida, ouvia a respeito das histórias que Ele havia protagonizado, mas não havia sido apresentado pessoalmente àquela pessoa. Foi há pouco mais de 15 anos que isso aconteceu e eu vi o Senhor, verdadeiramente, pela primeira vez. Ele me olhou nos olhos, me perdoou, me amou e mostrou que sempre havia caminhado comigo. A partir de então, eu busquei sempre caminhar com Ele também. Infelizmente ainda houve momentos em que acabei me distanciando dEle, mas a saudade de seu olhar e de seu amor verdadeiro fazem sempre que busque me aproximar mais e mais.Só sabe bem o que estou falando quem dividiu momentos de suas vidas com o Senhor. É verdadeiramente um laço de amizade que se torna mais forte, mais estreito, à medida em que vamos partilhando momentos de dor e de alegria.O convite de hoje é para você repensar sua vida, analisá-la profundamente para que você possa dizer para si mesmo se, a exemplo do que aconteceu no Evangelho de hoje, você verdadeiramente experimentou e viu o Senhor.
Grande abraço fraternal,

Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Evangelho do Dia - Mateus 28,8-15

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 8as mulheres partiram depressa do sepulcro. Estavam com medo, mas correram com grande alegria, para dar a notícia aos discípulos. 9De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse: “Alegrai-vos!” As mulheres aproximaram-se, e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés.
10Então Jesus disse a elas: “Não tenhais medo. Ide anunciar a meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão”. 11Quando as mulheres partiram, alguns guardas do túmulo foram à cidade, e comunicaram aos sumos sacerdotes tudo o que havia acontecido. 12Os sumos sacerdotes reuniram-se com os anciãos, e deram uma grande soma de dinheiro aos soldados, 13dizendo-lhes: “Dizei que os discípulos dele foram durante a noite e roubaram o corpo, enquanto vós dormíeis. 14Se o governador ficar sabendo disso, nós o convenceremos. Não vos preocupeis”.
15Os soldados pegaram o dinheiro, e agiram de acordo com as instruções recebidas. E assim, o boato espalhou-se entre os judeus, até o dia de hoje.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Ressurreição X Encarnação



Muito bom dia, meus amigos!
Muito interessante e linda a passagem de hoje, não acham? De certa maneira, ela faz parte da certidão de nascimento de nossa igreja: o dia da ressurreição de Jesus!Muitas pessoas vivem um enorme conflito a respeito do que acontecerá depois que morrermos. Quantas discussões acerca do conflito ressurreição X reencarnação. Quantas pessoas que se dizem cristãs e que acabam sendo simpatizantes de ideologias que se opõem completamente ao sacrifício da cruz.
Através dos escritos bíblicos temos conhecimentos de alguns relatos de pessoas que conheceram a morte e voltaram dela:
  • Elias ressuscitou o filho da mulher de Sarepta (1 Reis 17:17-24)
  • Eliseu ressuscitou o filho da mulher Sunamita (2 Reis 4:18-37)
  • Um homem morto ressuscitou após o corpo dele tocar nos ossos de Eliseu (2 Reis 13:21)
  • Jesus ressuscitou o filho da viúva de Naim (Luc 7:11-15)
  • Jesus ressuscitou a filha de Jairo (Luc 7: 41, 42, 49-55)
  • Jesus ressuscitou Lázaro (João 11:1-44)
  • Jesus ressuscitou Mat. (28:5-8; Marcos 16:6; Lucas 24:5, 6)
  • Pedro ressuscitou Dorcas (Atos 9:36-41)
  • Paulo ressuscitou Êutico (Atos 20:9-10)
 
Além dessas passagens, temos ainda no livro do profeta Isaías a seguinte passagem:
  
"Os vossos mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida, e a terra dará à luz os seus mortos."Isaías 26:19


Porém, mais importante do que isso tudo que até agora nos foi apresentado é que, se realmente existir reencarnação, de nada adiantou o sacrifício da cruz feito por Jesus: Ele morreu para nos salvar da condenação do pecado original e deu sua vida em troca da nossa! Fez isso para pagar a dívida de toda humanidade e nos libertar, de uma vez por todas, do peso de nossos pecados. Sendo assim, não há motivo algum para ficarmos "voltando inúmeras vidas" para pagar pelos erros que cometemos em vidas passadas.
Jesus nos aponta uma pista de como será nossa existência após a morte: os justos serão como anjos, portanto, seres espirituais que adorarão o Senhor diante de seu trono, como podemos ver no seguinte trecho do livro do Apocalipse de São João:
Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão,  e bradavam em alta voz: A salvação é obra de nosso Deus, que está assentado no trono, e do Cordeiro.


Portanto, meus amigos, a grande graça para o dia de hoje é a certeza de que o nosso futuro é, certamente, o céu! Estaremos diante do trono do Senhor, adorando-O em um louvor eterno.

Como cristãos verdadeiros, devemos conhecer muito bem os nossos dogmas, principalmente o que Jesus dizia a respeito de certos temas polêmicos, como esse debatido no evangelho de hoje. Isso não significa que temos que criar brigas e enormes discussões a respeito disso, quando formos intercalados. É necessário conhecermos sobre o assunto e sabermos argumentar. Porém, quem convence é o Espírito Santo. Que o próprio Espírito Santo possa nos ensinar sobre os vários mistérios do reino de Deus. Grande abraço fraternal.
 

Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 20,1-9

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quando ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo.
2Então ela saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram”.
3Saíram, então, Pedro e o outro discípulo e foram ao túmulo. 4Os dois corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa que Pedro e chegou primeiro ao túmulo. 5Olhando para dentro, viu as faixas de linho no chão, mas não entrou.
6Chegou também Simão Pedro, que vinha correndo atrás, e entrou no túmulo. Viu as faixas de linho deitadas no chão 7e o pano que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não posto com as faixas, mas enrolado num lugar à parte.
8Então entrou também o outro discípulo, que tinha chegado primeiro ao túmulo. Ele viu, e acreditou.
9De fato, eles ainda não tinham compreendido a Escritura, segundo a qual ele devia ressuscitar dos mortos.





- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

O que Não é Páscoa!




Muito bom dia, meus amigos!

É Páscoa! Jesus ressuscitou!


É incrível como tudo hoje é voltado para o comércio, para o lucro. As grandes redes de televisão do país, nos últimos trinta dias, a todo momento mostravam comerciais voltados para o comércio desenfreado de chocolate.

Será que estamos perdendo nossa identidade cultural religiosa?

Diversas pessoas, quando perguntadas nos formulários diversos de pesquisas e enquetes, como os apresentados por equipes do IBGE, se autodenominam católicas ao serem perguntadas acerca de suas religiões. Acaba que pessoa descompromissada com vida religiosa, que vive dando contra-testemunho na rua engordam o número das pessoas que se dizem católicas e maior ainda passa a ser a acusação de pessoas de outras religiões, que ficam indignadas com as aberrações que tais pessoas acabam cometendo.

Será que pessoas que não guardam dias santos, como a última sexta-feira, que acabam enchendo a cara de álcool, se metem em brigas, orgias, adultérios e tantas outras coisas vãs são, realmente, pessoas que têm consciência do que é uma religião, do que realmente vem a ser o catolicismo?

Melhor ainda, o que realmente vem a ser a Páscoa?

De fato, muito tem se falado nos blogs religiosos sobre o que é a Páscoa, a sua origem, o significado de libertação e sua importância para as igrejas cristãs. Porém, eu gostaria de salientar o que não é a Páscoa.

A Páscoa não é o coelhinho que apela nos out-doors, nos comerciais de televisão, nos anúncios em revistas famosas, implorando para que você compre ovos de páscoa para dar para as pessoas que são importantes para você.

A Páscoa não é você juntar seus amigos, seus familiares, seus colegas de serviço para tomarem uma cerveja e comerem um tira-gosto.

A Páscoa não é você se programar para ir para as baladas especiais de feriado santo, muito menos para aquelas viagens regadas a álcool e muita azaração.

Não é você planejar beijar muito na boca, agarrar o máximo de pessoas do sexo oposto e ser o gostosão ou a gostosona da noite. Não é você dar uma revisada nas suas técnicas mais sexies de sedução do sexo oposto.

Páscoa não é nada disso!

Pelo contrário, Páscoa é a morte da vida velha e ressurreição para nova vida!

Enquanto as pessoas se ocuparem nos diversos afazeres do homem velho (um pouco foi citado acima), infelizmente teremos um diagnóstico de que a grande maioria das pessoas está longe de viver a verdadeira celebração da Páscoa: contemplação do Deus apaixonado que se fez homem, como um de nós, e se deu em sacrifício para a libertação de nossos pecados.

Em que situação você se encontra agora?

É hora de refletir...


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Evangelho do Dia - Mateus 28,1-10

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

1Depois do sábado, ao amanhecer do primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2De repente, houve um grande tremor de terra: o anjo do Senhor desceu do céu e, aproximando-se, retirou a pedra e sentou-se nela. 3Sua aparência era como um relâmpago, e suas vestes eram brancas como a neve. 4Os guardas ficaram com tanto medo do anjo, que tremeram, e ficaram como mortos.
5Então o anjo disse às mulheres: “Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. 6Ele não está aqui! Ressuscitou, como havia dito! Vinde ver o lugar em que ele estava. 7Ide depressa contar aos discípulos que ele ressuscitou dos mortos, e que vai à vossa frente para a Galileia. Lá vós o vereis. É o que tenho a dizer-vos”.
8As mulheres partiram depressa do sepulcro. Estavam com medo, mas correram com grande alegria, para dar a notícia aos discípulos.
9De repente, Jesus foi ao encontro delas, e disse: “Alegrai-vos!”
As mulheres aproximaram-se, e prostraram-se diante de Jesus, abraçando seus pés. 10Então Jesus disse a elas: “Não tenhais medo. Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galileia. Lá eles me verão”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Jesus Está Vivo!




Querido irmão, que o amor de Jesus adentre em seu coração e sua alma, e que esse seja o dia em que Ele escolheu para realizar em você uma obra especial. Creia nisso!

O evangelho de hoje nos traz mas uma boa notícia, a vitória de Jesus sobre a morte, Cristo nasce outra vez em nossas vidas, por meio da ressurreição. Que alegria! O túmulo está vazio a pedra foi retirada, as faixas de linho se encontram no chão, os discípulos viram e creram. De fato Jesus havia ressuscitado dentre os mortos.

Que maravilha! Esse é o motivo de nossa alegria, de nossa esperança e firmeza diante dos reversos da vida, das pedras que nos impedem de ver a luz, a felicidade. Ora, se Cristo não ressuscitou é vã a nossa fé e falsa a nossa esperança. Mas não temos dúvida, a palavra nos trouxe a verdade, a de que Cristo vive em nós e esse é o motivo pelo qual somos capazes de sorrir, de amar e de anunciar sem medo e receio sua maravilhas em todos os lugares .

Os discípulos creram apenas ao ver as faixas jogadas no chão, não precisaram ver o Mestre para compreender que o mesmo havia ressuscitado. Veja bem, o ver significa mais do que simplesmente observar a carne, eles tiveram uma experiência profunda do amor de Jesus, experiência essa, que os fez criar uma intimidade única com o Mestre. Por isso a palavra diz: “ Eles viram, e creram!” Eles só poderiam crer, e nem precisavam ver carnalmente para isso, bastava o Ver espiritual que brotou no coração de ambos ao caminhar lado a lado com o próprio Deus durante tanto tempo. Só quem viu Jesus, que teve uma experiência única e intima com o Mestre, é capaz de acreditar que Ele tudo pode e de caminhar com ele até as ultimas conseqüências como aqueles discípulos que anunciaram suas maravilhas por toda parte chegaram a morrer pela causa do evangelho.

Por isso eu te convido meu irmão, a retirar do seu coração a pedra que impede a luz de Cristo de habitar completamente em você. Jesus está vivo e quer fazer maravilhas em sua vida, tenha essa experiência intima com jesus, deixe-se conhecer, deixe-se ser amado por Ele, deixe-se ser moldado, transformado e restaurado por jesus. E então você sentirá , pela Glória de Deus, que quando o VEMOS verdadeiramente somos capazes de vencer qualquer barreira e jamais desistir da caminhada. Pois, só quem viu Jesus é capaz de chegar até as ultimas conseqüências.

Obrigado(a), Jesus por viver em nós, por nos libertar da escuridão do pecado e da morte. Porque tu vives Senhor, nós viveremos em teu amor!


Ângela Abadia de Jesus
Leia Mais

Via Sacra 2011

            

   

           

           

   

           

   

             


           

       
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 18,1—19,42

Narrador 1: Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo João.

Naquele tempo, 1Jesus saiu com os discípulos para o outro lado da torrente do Cedron. Havia aí um jardim, onde ele entrou com os discípulos. 2Também Judas, o traidor, conhecia o lugar, porque Jesus costumava reunir-se aí com os seus discípulos. 3Judas levou consigo um destacamento de soldados e alguns guardas dos sumos sacerdotes e fariseus, e chegou ali com lanternas, tochas e armas. 4Então Jesus, consciente de tudo o que ia acontecer, saiu ao encontro deles e disse:
Pres.: “A quem procurais?”
Narrador 1: 5Responderam:
Ass.: “A Jesus, o Nazareno”.
Narrador 1: Ele disse:
Pres.: “Sou eu”.
Narrador 1: Judas, o traidor, estava junto com eles. 6Quando Jesus disse: “Sou eu”, eles recuaram e caíram por terra. 7De novo lhes perguntou:
Pres.: “A quem procurais?”
Narrador 1: Eles responderam:
Ass.: “A Jesus, o Nazareno”.
Narrador 1: 8Jesus respondeu:
Pres.: “Já vos disse que sou eu. Se é a mim que procurais, então deixai que estes se retirem”.
Narrador 1: 9Assim se realizava a palavra que Jesus tinha dito:
Pres.: “Não perdi nenhum daqueles que me confiaste”.
Narrador 2: 10Simão Pedro, que trazia uma espada consigo, puxou dela e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malco. 11Então Jesus disse a Pedro:
Pres.: “Guarda a tua espada na bainha. Não vou beber o cálice que o Pai me deu?”
Narrador 1: 12Então, os soldados, o comandante e os guardas dos judeus prenderam Jesus e o amarraram. 13Conduziram-no primeiro a Anás, que era o sogro de Caifás, o Sumo Sacerdote naquele ano. 14Foi Caifás que deu aos judeus o conselho:
Leitor 1: “É preferível que um só morra pelo povo”.
Narrador 2: 15Simão Pedro e um outro discípulo seguiam Jesus. Esse discípulo era conhecido do Sumo Sacerdote e entrou com Jesus no pátio do Sumo Sacerdote. 16Pedro ficou fora, perto da porta. Então o outro discípulo, que era conhecido do Sumo Sacerdote, saiu, conversou com a encarregada da porta e levou Pedro para dentro. 17A criada que guardava a porta disse a Pedro:
Ass.: “Não pertences também tu aos discípulos desse homem?”
Narrador 2: Ele respondeu:
Leitor 2: “Não”.
Narrador 2: 18Os empregados e os guardas fizeram uma fogueira e estavam se aquecendo, pois fazia frio. Pedro ficou com eles, aquecendo-se. 19Entretanto, o Sumo Sacerdote interrogou Jesus a respeito de seus discípulos e de seu ensinamento. 20Jesus lhe respondeu:
Pres.: “Eu falei às claras ao mundo. Ensinei sempre na sinagoga e no Templo, onde todos os judeus se reúnem. Nada falei às escondidas. 21Por que me interrogas? Pergunta aos que ouviram o que falei; eles sabem o que eu disse”.
Narrador 2: 22Quando Jesus falou isso, um dos guardas que ali estava deu-lhe uma bofetada, dizendo:
Leitor 1: “É assim que respondes ao Sumo Sacerdote?”
Narrador 2: 23Respondeu-lhe Jesus:
Pres.: “Se respondi mal, mostra em quê; mas, se falei bem, por que me bates?”
Narrador 1: 24Então, Anás enviou Jesus amarrado para Caifás, o Sumo Sacerdote. 25Simão Pedro continuava lá, em pé, aquecendo-se. Disseram-lhe:
Leitor 2: “Não és tu, também, um dos discípulos dele?”
Narrador 1: Pedro negou:
Leitor 1: “Não!”
Narrador 1: 26Então um dos empregados do Sumo Sacerdote, parente daquele a quem Pedro tinha cortado a orelha, disse:
Leitor 2: “Será que não te vi no jardim com ele?”
Narrador 2: 27Novamente Pedro negou. E na mesma hora, o galo cantou. 28De Caifás, levaram Jesus ao palácio do governador. Era de manhã cedo. Eles mesmos não entraram no palácio, para não ficarem impuros e poderem comer a páscoa. 29Então Pilatos saiu ao encontro deles e disse:
Leitor 1: “Que acusação apresentais contra este homem?”
Narrador 2: 30Eles responderam:
Ass.: “Se não fosse malfeitor, não o teríamos entregue a ti!”
Narrador 2: 31Pilatos disse:
Leitor 2: “Tomai-o vós mesmos e julgai-o de acordo com a vossa lei”.
Narrador 2: Os judeus lhe responderam:
Ass.: “Nós não podemos condenar ninguém à morte”.
Narrador 1: 32Assim se realizava o que Jesus tinha dito, significando de que morte havia de morrer. 33Então Pilatos entrou de novo no palácio, chamou Jesus e perguntou-lhe:
Leitor 1: “Tu és o rei dos judeus?”
Narrador 1: 34Jesus respondeu:
Pres.: “Estás dizendo isto por ti mesmo ou outros te disseram isto de mim?”
Narrador 1: 35Pilatos falou:
Leitor 2: “Por acaso, sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizeste?”.
Narrador 1: 36Jesus respondeu:
Pres.: “O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui”.
Narrador 1: 37Pilatos disse a Jesus:
Leitor 1: “Então, tu és rei?”
Narrador 1: Jesus respondeu:
Pres.: “Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz”.
Narrador 1: 38Pilatos disse a Jesus:
Leitor 2: “O que é a verdade?”
Narrador 2: Ao dizer isso, Pilatos saiu ao encontro dos judeus, e disse-lhes:
Leitor 1: “Eu não encontro nenhuma culpa nele. 39Mas existe entre vós um costume, que pela Páscoa eu vos solte um preso. Quereis que vos solte o rei dos Judeus?”
Narrador 2: 40Então, começaram a gritar de novo:
Ass.: “Este não, mas Barrabás!”
Narrador 2: Barrabás era um bandido. 19,1Então Pilatos mandou flagelar Jesus.
Ass.: 2Os soldados teceram uma coroa de espinhos e a colocaram na cabeça de Jesus.
Narrador 2: Vestiram-no com um manto vermelho, 3aproximavam-se dele e diziam:
Ass.: “Viva o rei dos judeus!”
Narrador 1: E davam-lhe bofetadas. 4Pilatos saiu de novo e disse aos judeus:
Leitor 1: “Olhai, eu o trago aqui fora, diante de vós, para que saibais que não encontro nele crime algum”.
Narrador 2: 5Então Jesus veio para fora, trazendo a coroa de espinhos e o manto vermelho. Pilatos disse-lhes:
Ass.: “Eis o homem!”
Narrador 2: 6Quando viram Jesus, os sumos sacerdotes e os guardas começaram a gritar:
Ass.: “Crucifica-o! Crucifica-o!”
Narrador 2: Pilatos respondeu:
Leitor 1: “Levai-o vós mesmos para o crucificar, pois eu não encontro nele crime algum”.
Narrador 2: 7Os judeus responderam:
Ass.: “Nós temos uma Lei, e, segundo essa Lei, ele deve morrer, porque se fez Filho de Deus”.
Narrador 1: 8Ao ouvir estas palavras, Pilatos ficou com mais medo ainda. 9Entrou outra vez no palácio e perguntou a Jesus:
Leitor 2: “De onde és tu?”
Narrador 1: Jesus ficou calado. 10Então Pilatos disse:
Leitor 1: “Não me respondes? Não sabes que tenho autoridade para te soltar e autoridade para te crucificar?”
Narrador 1: 11Jesus respondeu:
Pres.: “Tu não terias autoridade alguma sobre mim, se ela não te fosse dada do alto. Quem me entregou a ti, portanto, tem culpa maior”.
Narrador 1: 12Por causa disso, Pilatos procurava soltar Jesus. Mas os judeus gritavam:
Ass.: “Se soltas este homem, não és amigo de César. Todo aquele que se faz rei, declara-se contra César”.
Narrador 1: 13Ouvindo essas palavras, Pilatos levou Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado “Pavimento”, em hebraico “Gábata”. 14Era o dia da preparação da Páscoa, por volta do meio-dia. Pilatos disse aos judeus:
Leitor 2: “Eis o vosso rei!”
Narrador 1: 15Eles, porém, gritavam:
Ass.: “Fora! Fora! Crucifica-o!”
Narrador 1: Pilatos disse:
Leitor 1: “Hei de crucificar o vosso rei?”
Narrador 1: Os sumos sacerdotes responderam:
Ass.: “Não temos outro rei senão César”.
Narrador 2: 16Então Pilatos entregou Jesus para ser crucificado, e eles o levaram. 17Jesus tomou a cruz sobre si e saiu para o lugar chamado “Calvário”, em hebraico “Gólgota”. 18Ali o crucificaram, com outros dois: um de cada lado, e Jesus no meio. 19Pilatos mandou ainda escrever um letreiro e colocá-lo na cruz; nele estava escrito:
Ass.: “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”.
Narrador 2: 20Muitos judeus puderam ver o letreiro, porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. O letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego. 21Então os sumos sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos:
Ass.: “Não escrevas ‘O Rei dos Judeus’, mas sim o que ele disse: ‘Eu sou o Rei dos judeus’”.
Narrador 2: 22Pilatos respondeu:
Ass.: “O que escrevi, está escrito”.
Narrador 2: 23Depois que crucificaram Jesus, os soldados repartiram a sua roupa em quatro partes, uma parte para cada soldado. Quanto à túnica, esta era tecida sem costura, em peça única de alto abaixo. 24Disseram então entre si:
Ass.: “Não vamos dividir a túnica. Tiremos a sorte para ver de quem será”.
Narrador 2: Assim se cumpria a Escritura que diz:
Ass.: “Repartiram entre si as minhas vestes e lançaram sorte sobre a minha túnica”.
Narrador 1: Assim procederam os soldados. 25Perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe:
Pres.: “Mulher, este é o teu filho”.
Narrador 1: 27Depois disse ao discípulo:
Pres.: “Esta é a tua mãe”.
Narrador 1: Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. 28Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse:
Pres.: “Tenho sede”.
Narrador 1: 29Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. 30Ele tomou o vinagre e disse:
Pres.: “Tudo está consumado”.
Narrador 1: E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

(Todos se ajoelham.)

Narrador 2: 31Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. 32Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. 33Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; 34mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.
Ass.: 35Aquele que viu, dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro;
Narrador 2: e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. 36Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz:
Ass.: “Não quebrarão nenhum dos seus ossos”.
Narrador 2: 37E outra Escritura ainda diz:
Ass.: “Olharão para aquele que transpassaram”.
Narrador 1: 38Depois disso, José de Arimateia, que era discípulo de Jesus – mas às escondidas, por medo dos judeus – pediu a Pilatos para tirar o corpo de Jesus. Pilatos consentiu. Então José veio tirar o corpo de Jesus. 39Chegou também Nicodemos, o mesmo que antes tinha ido de noite encontrar-se com Jesus. Levou uns trinta quilos de perfume feito de mirra e aloés. 40Então tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no, com os aromas, em faixas de linho, como os judeus costumam sepultar.
Narrador 2: 41No lugar onde Jesus foi crucificado, havia um jardim e, no jardim, um túmulo novo, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. 42Por causa da preparação da Páscoa, e como o túmulo estava perto, foi ali que colocaram Jesus.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Quanto Amor!




Muito bom dia, meus amigos!


Nada melhor do que começar o dia tendo a oportunidade de testemunhar, mesmo através de uma encenação, todo o sacrifício de amor de Jesus por nós.

Quanto amor Ele tem por cada um de nós! Quanta dor Ele passou, consciente do que teria que passar, para comprar a minha libertação e a sua.

O dia de hoje é um dos dias mais propícios para refletirmos sobre tudo o que estamos fazendo de nossas vidas. No decorrer desses últimos dias o Senhor nos levou a refletirmos muito sobre a condição de sermos ou não traidores também, como Judas.

Porém, a Palavra de Deus não vem apontar os dedos em nossos narizes, não vem nos acusar, não vem nos condenar. Pelo contrário, ela vem nos apontar a melhor direção, o melhor caminho.

Ela nos dá a oportunidade de analisarmos tudo o que temos vivido, o que precisamos manter e, principalmente, o que precisamos corrigir para podermos tomar posse da herança que Ele deixou para cada um de nós: a vida em plenitude!

No dia de hoje podemos testemunhar Jesus cumprindo o que Ele mesmo disse de que o verdadeiro amigo, o verdadeiro pastor é aquele que dá a vida por seus amigos.

Ele deu a própria vida por mim e por você. Mas... e nós? Temos feito algum sacrifício para nos entregarmos ao seu projeto de amor?

As profecias nos contam que Jesus apanhou tanto, foi tão judiado, que ficou com aparência desumana. Nem parecia gente.

O meu e o seu pecado pesou sobre Ele e por suas chagas, suas pisaduras, os escarros recebidos, as açoitadas, todos nós fomos comprados da condenação eterna.

Jesus, literalmente, comprou nossa carta de alforria com seu próprio sangue. Porém, só tomamos posse de nossa liberdade se, de fato, rompermos com as coisas do "homem velho" e passarmos a buscar as coisas do alto.

Não é simplesmente poesia. Não é simplesmente uma encenação. Pela desobediência, todos nós nascemos com a marca do pecdo original. Entretanto, pela total obediência de Jesus, todos nós fomos remidos.

A única coisa que precisamos para tomarmos posse de tamanha graça é "amar como Ele nos amou", ou melhor dizendo, "amando Deus acima de todas as coisas e o próximo como a nós mesmo".

Não podemos ser desatentos em relação a essa última ordem: amar as outras pessoas da mesma maneira com a qual amamos a nós mesmos!

Você tem se amado? Você tem dado o real valor que você possui?

Não se esqueça: você vale o sangue que foi derramado na cruz por você e nada pode tirar esse valor de você! O mundo pode pisar em você, pode te amassar, pode até tentar fazer com que você não se sinta mais como gente, aprisionado a vícios diversos. Porém, você vale a vida de um Deus que te amou até a morte e foi capaz de ressuscitar por você!

Mas um cuidado é muito necessário: devemos nos amar, mas não podemos cair na besteira de sermos egoístas, cheios de nós, narcisistas... achando que o centro do universo está no nosso umbigo.

O limite de cairmos no excesso de orgulho próprio e o de nos amarmos o suficiente para amarmos, bem, o nosso próximo é muito estreito e só o Espírito Santo é capaz de guiar nossoas passos, nossas ações.

Clamemos, então, a santa luz divina para que possamos cumprir aquilo que o Senhor espera de nós, em seu projeto de amor.

Vinde, Espírito Santo!



Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 13,1-15

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + escrito por João.
— Glória a vós, Senhor.

1Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.
2Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus. 3Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, 4levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. 5Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido.
6Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: “Senhor, tu me lavas os pés?” 7Respondeu Jesus: “Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás”.
8Disse-lhe Pedro: “Tu nunca me lavarás os pés!” Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo”. 9Simão Pedro disse: “Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.
10Jesus respondeu: “Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo. Também vós estais limpos, mas não todos”.
11Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: “Nem todos estais limpos”.
12Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo. E disse aos discípulos: “Compreendeis o que acabo de fazer? 13Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. 14Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. 15Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

“Se eu não te lavar, não terás parte comigo”




Olá, novamente, meus amigos!

Já fizemos uma reflexão hoje, né? Mas senti-me tocado a retornar aqui para fazermos uma breve reflexão sobre uma das falas de Pedro que está presente no versículo 9:

“Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça”.

O que levou Pedro a dizer isso? O que isso vem a significar?

Se voltarmos um pouquinho antes de Pedro ter dito essa frase memorável, veremos Jesus, em ato extremo de humildade, lavando os pés de seus discípulos.

Meus amigos, naquela época era comum que uma pessoa, ao chegar na casa de outra, tivesse seus pés lavados. A pessoa responsável por esse ato era sempre um escravo, que se colocava em uma posição, de certa maneira humilhante, de lavar os pés de qualquer pessoa que aparecesse na casa de seu senhor.

Vale lembrar que naquela época e, principalmente naquela região, provavelmente não existia a melhor infraestrutura de estradas e rodovias. Além disso, a maioria das pessoas não dispunha dos melhores calçados para andar, o que fazia com que, indiscutivelmente, os pés ficassem sempre muito sujos.

Ora, Jesus e seus discípulos tinham feito uma longa caminhada rumo à Jerusalém. Estavam prestes a experimentarem um dos momentos mais marcantes de suas vidas, senão o maior deles. Tinham a imagem de que Jesus era quem resgataria o reino político de Israel e, de repente, aquele que seria rei se coloca a fazer um gesto comum das pessoas mais desvalorizadas da sociedade.

Por causa disso, até mesmo querendo proteger seu mestre, Pedro nega que Jesus lavasse seus pés. É quando Jesus fala mais uma de suas frases de significado profundo, no versículo 8:

“Se eu não te lavar, não terás parte comigo”.


Quanta sujeira vamos acumulando, nós mesmos, ao longo da vida? Quanta contaminação com coisas do ocultismo (signos, zodíacos, leituras de mãos, mapas astrais, macumbaria, feitiçaria, simpatias, etc), com prostituição (filmes e imagens pornográficas, visitas a zonas de prostituição, visitas a lugares em que a prostituição é facilitada ou até mesmo, "comprarmos" corpos de outras pessoas, desviando elas mais ainda do caminho do céu), contaminações com mentiras, orgulhos, egoísmos, brigas, ciúmes, contendas, bebedeiras e tantas outras coisas desmascaradas na bíblia.


Ao mesmo tempo em que o Senhor nos convida a uma mudança concreta de vida, Ele ainda fala que é preciso que limpemos nossos corações, nossos corpos espirituais para podermos ter parte com Ele.

Não há como, meus amigos, colocarmo-nos no caminho estreito, andando lado a lado com Jesus, e continuarmos a insistir em nos lambuzar, como porcos que voltam a se lambuzar na lama, mesmo depois de limpos.

O nosso lugar é o céu! Devemos buscar as coisas do alto!

Nem eu nem você temos nariz parecido com tomada para ficarmos "fuçando" nas coisas de baixo, nos lambuzando na lama do pecado.

O recado de Jesus é bastante claro: se não deixarmos que Ele nos lave, não poderemos ser da turma dele, não poderemos ter parte com ele. Em outras palavras, não podemos ter um pacto com Ele, se insistimos em permanecermos sujos, emporcalhados no pecado.

É como água e óleo: não se misturam!

Ou você é de Jesus e busca se limpar, ou... você pode completar do jeito que bem entender...

E o pior de tudo é que não tem como ficarmos sem fazer um pacto: ou é com Jesus ou é com o time do adversário.

De que lado você quer ficar?

Isso não significa que nunca mais vamos ficar sem qualquer sujeira. Ninguém é infalível!

Porém, temos o melhor kit de limpeza que já existiu: água do Espírito Santo, alvejante do sangue que foi derramado na cruz e o sabonete da confissão.

Mais uma vez eu lhe pergunto:

De que lado você quer ficar?



Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Evangelho do Dia - Mateus 26,14-25

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14um dos doze discípulos, chamado Judas Isca­riotes, foi ter com os sumos sacerdotes 15e disse: “Que me dareis se vos entregar Jesus?” Combinaram, então, trinta moedas de prata. 16E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus.
17No primeiro dia da festa dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?” 18Jesus respondeu: “Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos’”.
19Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a Páscoa. 20Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa com os doze discípulos. 21Enquanto comiam, Jesus disse: “Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair”. 22Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a lhe perguntar: “Senhor, será que sou eu?”
23Jesus respondeu: “Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato. 24O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!” 25Então Judas, o traidor, perguntou: “Mestre, serei eu?” Jesus lhe respondeu: “Tu o dizes”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Para Refletir: Torradas Queimadas





Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar. E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho, muito duro...

Naquela noite, minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça e torradas bastante queimadas, defronte ao meu pai. Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato. Tudo o que meu pai fez, foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia, na escola. Eu não me lembro do que respondi, mas me lembro de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geléia e engolindo cada bocado. Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele disse:

"Adorei a torrada queimada..."

Mais tarde, naquela noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai, eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada. Ele me envolveu em seus braços e me disse:

"Companheiro, sua mãe teve um dia de trabalho muito pesado e estava realmente cansada... Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém. A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também não sou o melhor marido, empregado, ou cozinheiro, talvez nem o melhor pai, mesmo que tente todos os dias!"

"O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros."

"Desde que eu e sua mãe nos unimos, aprendemos, os dois, a suprir um as falhas do outro. Eu sei cozinhar muito pouco, mas aprendi a deixar uma panela de alumínio brilhando. Ela não sabe usar a furadeira, mas após minhas reformas, ela faz tudo ficar cheiroso, de tão limpo. Eu não sei fazer uma lasanha como ela, mas ela não sabe assar uma carne como eu. Eu nunca soube fazer você dormir, mas comigo você tomava banho rápido, sem reclamar."

"A soma de nós dois monta o mundo que você recebeu e que te apoia, eu e ela nos completamos. Nossa família deve aproveitar este nosso universo enquanto temos os dois presentes. Não que mais tarde, o dia que um partir, este mundo vá desmoronar, não vai. Novamente teremos que aprender e nos adaptar para fazer o melhor."

"De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos, irmãos, colegas e com amigos.."

"Entao filho, se esforce para ser sempre tolerante, principalmente com quem dedica o precioso tempo da vida, à você e ao próximo".

"As pessoas sempre se esquecerão do que você lhes fez, ou do que lhes disse. Mas nunca esquecerão o modo pelo qual você as fez se sentir."


(autor desconhecido)
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 13,21-33.36-38

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, estando à mesa com seus discípulos, 21Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou: “Em verdade, em verdade vos digo, um de vós me entregará”. 22Desconcertados, os discípulos olhavam uns para os outros, pois não sabiam de quem Jesus estava falando.
23Um deles, a quem Jesus amava, estava recostado ao lado de Jesus. 24Simão Pedro fez-lhe um sinal para que ele procurasse saber de quem Jesus estava falando. 25Então, o discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: “Senhor, quem é?”
26Jesus respondeu: “É aquele a quem eu der o pedaço de pão passado no molho”. Então Jesus molhou um pedaço de pão e deu-o a Judas, filho de Simão Isca­riotes. 27Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: “O que tens a fazer, executa-o depressa”.
28Nenhum dos presentes compreendeu por que Jesus lhe disse isso. 29Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam que Jesus lhe queria dizer: ‘Compra o que precisamos para a festa’, ou que desse alguma coisa aos pobres. 30Depois de receber o pedaço de pão, Judas saiu imediatamente. Era noite.
31Depois que Judas saiu, disse Jesus: “Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. 32Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo. 33Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Vós me pro­curareis, e agora vos digo, como eu disse também aos judeus: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’”.
36Simão Pedro perguntou: “Senhor, para onde vais?” Jesus respondeu-lhe: “Para onde eu vou, tu não me podes seguir agora, mas seguirás mais tarde”. 37Pedro disse: “Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei a minha vida por ti!” 38Respondeu Jesus: “Darás a tua vida por mim? Em verdade, em verdade te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Evangelho do Dia - João 12,1-11

— O Senhor esteja conosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

1Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. 2Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. 3Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo.
4Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: 5“Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?” 6Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela.
7Jesus, porém, disse: “Deixa-a; ela fez isto em vista do dia da minha sepultura. 8Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis”.
9Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus ressuscitara dos mortos. 10Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, 11porque por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Leia Mais

Jesus Visita Seus Amigos...





Muito bom dia, meus amigos!

Depois de algum tempo, estamos aqui reunidos para mais uma reflexão da Palavra do Senhor.

Muito interessante a palavra de hoje. Jesus vai visitar seus amigos...

É interessante pensarmos na condição de uma pessoa vai até a casa de seus amigos e estes lhe oferecem um jantar...

Não sei se acontece assim também com vocês, mas quando chega alguém em minha casa que não seja conhecido meu, não deixo nem entrar pelo portão. Motivos de segurança em um mundo que anda muito conturbado.

Pessoas conhecidas, mesmo que de vista, até deixo entrar e sentar no sofá. Porém, dificilmente, passam daí.

O mesmo não ocorre com pessoas de nossa convivência, né? Quando nos visitam, fazemos aquela recepção e, se for o caso de ser a primeira visita, mostramos a casa toda.

Oferecer jantar é um dos acontecimentos domésticos que só fazemos àqueles que nos são bem íntimos, bem próximos, bem amigos. E é o que acontece na passagem de hoje: a família de Lázaro oferece um jantar ao amigo Jesus.

Infelizmente, um dos reflexos da correria do mundo globalizado atual é que é cada vez menor o número de pessoas que podem dizer, com todas as letras, que são amigos de Jesus. Pessoas envolvidas com os bate-papos da internet, com as novelas da TV, com as baladas, barzinhos e demais badalações, apenas ouviram falar de uma pessoa que foi tão importante na sua época que chegou a mudar a história entre antes e depois do seu nascimento.

Pessoas cada vez mais egoístas, cada vez mais concentradas em seus próprios projetos, próprias vontades fecham os olhos para a verdade que transforma a vida das pessoas: o verdadeiro amor existente no se doar ao próximo, exemplo dado pelo Mestre.

Por não conhecerem Jesus, apenas terem ouvido falar do que Jesus fez, as pessoas não descobrem o verdadeiro sentido da vida. Vivem o mal do século chamado depressão, simbolizado na busca de preenchimento interior que nunca é alcançado. O pior é que buscam sempre alcançar algo ao redor deles e não descobrem que a resposta está mais perto do que imaginam: dentro de si mesmos.

Meus amigos, intimidade vem com convivência. Vem com relacionamento constante. Vem com diálogo, com trocas de experiências em comum, com partilha.

Para ser amigo de Jesus não é diferente: é preciso caminhar lado a lado.

Qual foi a última vez que você conversou com o Senhor? Contou seus segredos? Partilhou suas conquistas e dificuldades?

Infelizmente, a grande maioria das pessoas resumem o seus momentos de vida espiritual com uma oração decorada, na hora em que acordam ou na hora em que dormem. Não que eu tenha algo contra as orações decoradas ou que chegam a nós através dos livros ou folhetinhos. O fato é que se a pessoa fica apenas nessa fase, o que é refletido é uma vida espiritual superficial, apenas de imagem.

Isso também não significa que tais pessoas não sejam pessoas compromissadas com Deus, com a obra de amor e justiça que Ele confia a cada um. Porém, se você é uma dessas pessoas, você já parou para imaginar que seu relacionamento com o Senhor pode ser muito mais profundo?

O segredo é tratar Jesus como um amigo íntimo, como Ele realmente quer ser. Ele mesmo afirmou que os verdadeiros adoradores são aqueles que adoram o Pai em espírito e em verdade.

Mas, como fazermos para adorar o Pai em espírito e em verdade?

Que tal pedirmos o Espírito Santo para nos ensinar a fazer isso? Sabemos que o Pai, o Filho e o Espírito Santo formam uma única pessoa. Jesus ainda nos prometeu que o Espírito Santo nos ensinaria todas as coisas. Então, meu amigo, que tal clamar o Espírito Santo nesse momento e pedir que Ele te ensine a ser um verdadeiro adorador, alguém íntimo de Jesus que todos os dias recebe sua visita em sua própria casa?

Já parou para pensar que Jesus quer estar na sua casa hoje?

Grande abraço fraternal,


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Vem aí: IV OLARIA!



O encontro que já mudou a vida de muita gente também pode mudar a sua! Entre em contato através do email marcioafp@hotmail.com para saber maiores detalhes.

Data: 20, 21 e 22 de maio.
Local: Inhumas GO




Leia Mais

Postagens mais visitadas

Ouça a Rádio Canção Nova



Seguidores

 

Sobre A Boa Semente!

A Boa Semente foi fundada em 2007. É uma criação do Grupo de Oração Semeador, da Renovação Carismática Católica da cidade de Inhumas GO. É um instrumento de evangelização sem fins lucrativos.

Sua principal missão é semear a Boa Semente através de reflexões diárias do evangelho. Você também pode fazer parte dessa família, entre em contato conosco e saiba como!

Os artigos são de responsabilidade de seus respectivos autores.

Deus te abençoe sempre!

Visite Meu Canto Secreto e descubra mais sobre o autor desse instrumento de evangelização. Mais uma criação Vocenanet.com VCN