Ocorreu um erro neste gadget

30/08 - Autoridade Que é Dom





Muito bom dia, meus queridos!

Não podemos iniciar nossa reflexão sem antes relembrar um trecho da leitura da Carta de São Paulo aos Tessalonicenses (1Ts 5,1-6.9-11):

  5Todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite, nem das trevas. 6Portanto, não durmamos, como os outros, mas sejamos vigilantes e sóbrios."


Devemos estar atentos às nossas ações de um modo ainda mais cauteloso do que podemos estar sendo atualmente. Somos, como acabamos de ler, filhos da luz. Ora, sendo filhos da luz, quem pode implantar em nós a escuridão? Nosso coração é terreno fértil pelo simples fato de ter sido preparado pelo próprio Pai antes mesmo do primeiro choro, anunciador da vida que se iniciou. Nos abramos à vontade, ao desejo do Pai de que sejamos luz, simplesmente.

A autoridade de Jesus despertava a atenção e a curiosidade daqueles que O observavam e procuravam. Jesus não agia com autoridade oriunda de si mesmo. Jesus agia conforme aquilo que o Pai o havia instruído. Não agia desta forma para chamar a atenção, mas o fazia por amor, mais puro amor. A autoridade de Jesus se opunha à autoridade dos opressores daquela época e se opõe aos atuais opressores. O desejo de Jesus é transformar opressão em liberdade e felicidade e, com maestria, Jesus cumpria com esta missão, e cumpre. 

Agir com a autoridade que o Pai lhe havia confiado causava as mais adversas reações àqueles que acompanhavam, quase sempre com espanto, a caminhada de Jesus. Quem não se surpreenderia ao ver um coxo se levantar e sair pulando ao chamado de um homem de origem humilde e acompanhado por pescadores, prostitutas, cobradores de impostos e mendigos? Tal espanto/preconceito é narrado de um modo muito claro em Jo 1, 46: "(...)De Nazaré pode sair coisa boa?", dizia Natanael a respeito de Jesus, o Nazareno. Numa comparação um tanto grotesca, é como se, hoje, Jesus caminhasse, partindo da periferia de uma grande cidade (ou de um pequeno distrito no interior) acompanhado por aqueles que costumam receber diariamente o nosso desprezo como recompensa por qualquer atividade.

Meus queridos, que fique claro que a autoridade espiritual não é, e nem pode ser confundida com autoritarismo. O Senhor não nos obriga a nada. O Senhor convida. Nós podemos, sim, agir com autoridade, autoridade divina, desde que, abertos ao chamado de Jesus, façamos aquilo que ele propõe, e de coração aberto. Queremos testemunhar milagres, maravilhas? Então façamos com que a vontade de Deus se realize em nós, nos presenteando com a autoridade, sendo radicais, sendo santos!

Caloroso abraço virtual!


Heitor A. Pereira
Leia Mais

27/08 - Parábola dos Talentos


 



Ola, queridos irmãos e irmãs!

O evangelho de hoje está em Mt 25,14-30 e fala a respeito da parábola dos Talentos. Essa parábola nos mostra sobre os dons de Deus, que nos são dado gratuitamente.

Podemos perceber que Deus dá diversos talentos aos seus servos, a cada um de acordo com a sua capacidade, Ele não importa quem é que seja essa pessoa, ela sempre terá mesmo que seja um só talento. Os talentos devem ser trabalhados para a construção e edificação do reino de Deus. O reino de Deus deve ser edificado a cada dia, e é o próprio Deus que nos dá os talentos para edificação de seu projeto para cada um de nós.

Esta parábola ainda orienta aqueles servos que têm a mania de enterrar os talentos, pensando que estão fazendo o bem para Deus ou tendo até mesmo medo de colocá-los em pratica. Sabemos que uma coisa é certa: todos os dons devem ser trabalhados, e multiplicados para a edificação da comunidade.

É muito importante destacar o servo que recebeu mais talentos, logo ele os multiplicou e fez com que o dobro do que tinha recebido fosse rendido. Aquele servo que é fiel, Deus sempre lhe concede mais do que o esperado, mas para isso é de extrema importância a fidelidade no pouco que Deus nos concede.

Aquele servo que recebeu apenas um talento talvez tenha até ficado com vergonha de usá-lo diante dos outros servos, pelo pouco que tinha. E então deve ter-se questionado: "Sou muito pequeno para as exigências do meu patrão". Não podemos ter medo de usar nossos dons mesmo que sejam pequenos.
Outro fato a ser mencionado é que devemos usá-los da maneira certa, muitas pessoas usam os talentos que Deus lhes da para ter honra própria mais, não podemos ser assim. Deus nos dá os talentos para serem usados da maneira que ele bem quer que seja.


Por fim a parábola dos talentos nos orienta sobre como fazer para que o Reino possa crescer. Ela fala sobre os dons ou carismas que as pessoas recebem de Deus. Toda pessoa tem alguma qualidade, sabe alguma coisa que ela pode ensinar aos outros. Ninguém só serve para escutar e ninguém só serve para falar, todos nós aprendemos com uns aos outros.

Assim hoje vamos praticar no nosso dia, nossos dons não os escondendo, deixando ele de lado, tratando com indiferença. Mesmo que ele seja pequeno simples e humilde, Deus precisa dele para edificação de todos. Para que seu reino não tenha fim.


Angélica Aparecida
Leia Mais

26/08 - A Vinda do Senhor é Inesperada






O evangelho de hoje se encontra em Mt 25,1-13 e ele cita a passagem das dez jovens que esperavam "o noivo", que poderia vir a qualquer momento.

A parábola contada hoje no evangelho é um alerta para nós como cristãos. Ela vem nos dizer da vinda inesperada de Jesus, pois nós não sabemos como, o dia, a hora e nem o local em que Ele virá. Entretanto, sabemos que devemos estar preparados para esta ocasião que há de chegar.

A preparação para a vinda de Jesus deve ser continua e reformulada a cada dia, vivendo como se a qualquer momento pudesse ser surpreendido pela vinda de Jesus.

Nós, hoje, somos convidados a ser como as jovens prudentes, que tinham óleo de sobra, para que estejamos sempre em espera. Este óleo de Sobra pode ser a comunhão com Deus, o preparo, a vigília, a confiança em Deus. 

O evangelho mostra ainda que não se pode deixar o preparo para cima da hora, pois vemos que as jovens imprudentes não encontraram o noivo, e depois de passado da hora, elas queriam entrar na festa, porém não foram reconhecidas, assim não entraram. A festa pode ser comparada com o reino de Deus em que só entra nele quem estiver com o “noivo”, que no caso é Jesus.

A vigilância deve estar sempre presente em nossas vidas, como hábito, assim como tomar café e escovar os dentes, fazemos isso todos os dias. Assim é nossa vida: estamos neste mundo de passagem, porém não sabemos quando vamos sair dele, sabemos que vamos sair, mas, não quando. Isso me lembra uma pregação feita no grupo algum tempo atrás, o pregador falava que não sabíamos se depois de dez minutos ainda estaríamos neste mundo, ele citava também a respeito do preparo que deveria ser continuo, e a constante busca de Deus.

Fica algo muito importante hoje; devemos estar preparados! Não sendo como as jovens imprudentes, que talvez tivesse pensado que na hora que o noivo chegasse pudessem comprar o óleo ou pegá-lo emprestado, buscando algo fácil demais. Desta forma não busquemos as coisas fáceis, pois elas vêm rápidas e nos levam a frustrações, vamos fazer o que tem que ser feito! Vamos vigiar e orar, pois os dias podem ser maus. Estando vigilantes, entraremos na festa!

Um grande abraço


Paulo Henrique
Leia Mais

25/08 - O Que Ofereceremos Quando Ele Vier?



Bom dia, amigos! É com muito prazer que estou hoje fazendo a reflexão do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo! Antes de qualquer coisa, vamos ler o que o Senhor vem nos falar hoje, que se encontra em Mt 24, 42-51 .
                             
Como era de costume, Jesus ensinava por parábolas, para que as multidões entendessem bem a sua mensagem. Hoje, o Senhor nos diz que ninguém sabe nem o dia, nem a hora em que Ele virá. Temos aí, então, dois pontos importantes a serem observados:
                           
  • No primeiro, o Senhor afirma que Ele virá.  É uma afirmação, uma certeza, e não uma condição. O Senhor virá, isto é certo, e no dia do nosso encontro com Ele, muitas coisas nos serão cobradas...
  • No segundo, o Senhor diz que ninguém sabe o dia, nem a hora em que Ele virá . Portanto, meus irmãos, toda hora é hora de vigília, de espera e de trabalho.
                            
No dia em que o Senhor vier, como nós estaremos? Será que eu vou estar pronta para recebê-lo? E se eu não estiver? Será que eu vou estar em paz com o meu irmão, com o meu vizinho? Ou será que é melhor deixar para pedir perdão amanhã, já que não vai fazer diferença mesmo? Porém, eu digo a vocês, amigos, que faz diferença SIM! E só tem um jeito, uma maneira correta de agir, que é fazendo a diferença HOJE.
                          
O próprio Jesus disse que o empregado infiel será partido ao meio e lançado à sorte dos hipócritas, e ali haverá choro e ranger de dentes . Ai do empregado que descuidar do seu trabalho para desfrutar de seus próprios prazeres, e se esquecer da vinda do seu Senhor.
                                
Pessoal, nós não estamos longe dessa parábola não. É só parar para pensar. Quanto você tem se dedicado a Deus? As suas atitudes, gestos, palavras e pensamentos O tem agradado? Nós não sabemos que dia Ele virá... mas, e se Ele viesse hoje? O que nós entregaríamos a Ele?
    
Amigos, o que peço a vocês hoje é que pensem na maneira que vocês estão vivendo para Deus, e que convertam seus corações... a tempo! A hora é agora e  Jesus está pronto para nos perdoar e nos acolher! 
                                
Só depende de nós!
                   
Que a Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês.
                        
Um grande abraço
             
                               
Samara Qualhato
Leia Mais

24/08 - Deus age a todo instante, é preciso estar atento!


Olá!

Refletimos hoje sobre o Evangelho de São João, Capítulo 1, versículos de 45 a 51. Nesta passagem, verificamos que os judeus tinham um certo preconceito com algumas cidades, na época, como era o caso de Nazaré. Eles acreditavam que o Messias seria um líder político e que ele sairia de uma cidade "importante".

Porém, a vinda de Jesus não foi bem do jeito que eles imaginavam... tanto que muitos não acreditaram que Jesus era o tão esperado Messias. Deus quis desfazer muitos padrões que os judeus viviam, através do nascimento de Jesus. Escolheu uma mulher simples para ser a Sua mãe, escolheu uma família "pobre" para ser a família de Jesus. Escolheu que Ele viesse de uma cidade "marginalizada" na época. Além disso, Jesus, em toda a sua vida, mostrou que os últimos seriam os primeiros, que Ele tinha vindo ao mundo justamente para os marginalizados e excluídos, não para os poderosos; mostrou que o Reino dos Céus é completamente diferente dos reinos deste mundo e que para herdá-lo não é preciso ter riquezas materiais nem poder, mas somente um coração puro e adorador. Como diz uma música do cantor Antônio Alves: "A matemática do céu é diferente".

Dessa forma, Natanael só acreditou que Jesus era o Cristo depois que o Senhor lhe falou que o havia visto debaixo da figueira, o que era algo milagroso. Ou seja, foi preciso um sinal, um milagre, para que ele acreditasse em Jesus.

Quantas vezes também nós deixamos de acreditar na ação diária de Deus em nossas vidas, e ficamos esperando acontecer um milagre para que creiamos. Muitas vezes ficamos céticos, esperando ver um sinal de Deus para acreditar que Ele cuida de nós... e olha que este sinal geralmente tem que ser muito visível, porque senão ainda insistimos em não acreditar. Isso mostra a fragilidade da nossa fé.

Felizes aqueles que crêem sem terem visto; aqueles que acreditam na ação poderosa do Senhor sem precisar que antes aconteça algum grande milagre em sua vida... porque Deus age nas nossas vidas o tempo todo, em pequenos detalhes. Ele fala conosco nas coisas mais simples da vida. E se ficamos esperando um grande milagre para acreditar nEle, deixamos de contemplar as maravilhas que Ele faz a todo instante.

Deus tudo vê, Deus tudo pode. Ele pode fazer grandes milagres em nós, mas também age em pequenas coisas do nosso cotidiano... é preciso estar com o coração aberto, escancarado, de olhos e ouvidos espirituais bem atentos, para que possamos identificar a Sua presença, o Seu zelo para conosco. E como é maravilhoso quando sentimos que Ele está cuidando de nós!

Desejo imensamente que a nossa fé seja fortalecida a cada instante e que saibamos contemplar a presença de Deus em nós em todos os momentos...

Grande e amoroso abraço,

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador
Inhumas/GO
Leia Mais

23/08 - O Tesouro Está Dentro de Nós

Meus queridos, bom dia!

No Evangelho de hoje, o Senhor nos convida a valorizar ainda mais aquilo que conhecemos como "Reino dos Céus". 

Mas, afinal, o que seria o Reino? Como ele pode se tornar, para nós, o tesouro narrado neste trecho do Evangelho?

Jesus, como sabemos, tinha o hábito de utilizar parábolas, comparações, para "explicitar" aquilo que o Pai lhe havia confiado. No trecho de hoje, temos duas comparações. Jesus compara o Reino a um tesouro escondido num campo e à pérola de grandessíssimo valor.

Encontrar este tesouro, hoje, é como se em meio à confusão do mundo, neste mar de ruídos de todos os tons, pudéssemos ouvir as suaves batidas do nosso coração, enquanto Jesus sussurra aos nossos ouvidos: "FILHO(A), EU TE AMO!". Encontrar este tesouro é como saber abrir um sorriso de gratidão a Deus mesmo quando tudo parece desabar. 

Quantas vezes nos deixamos levar por propostas, chamados, convites que nos parecem atraentes (de início), e acabam nos entregando às mãos daquele que insiste em tentar nos afastar do Pai. São pequenas coisas, desde palavras inconsequentes, até àquelas ações que nos transformam em objetos, acabam retirando de nós a humanidade, e nos "coisificando".

Saber que o Reino se "esconde" dentro de cada coração é o primeiro passo para que possamos "vender tudo e comprar este terreno".

É preciso deixar de lado aquilo que nos afasta de nós mesmos, que cria para nós máscaras. "Há um céu que começa em cada um de nós, há uma escolha e um desafio (...)". Por trás de todo desejo humano está escondida a grande vontade, o grande desejo que todos nós temos de preencher nossos vazios com o Amor.

É por isso que o céu começa dentro de nós. Nosso maior tesouro enquanto seres humanos somos nós mesmos, pois somos uma das maiores provas do amor de Deus, somos semelhantes a ele. "Dentro de você alguém lhe espera, do fundo do seu coração, Ele espera. Dia e noite por você, Ele te chama. Do fundo do seu coração Ele te ama (...)". Não precisamos de nenhuma riqueza que não esteja presente em nós. Ora, o Senhor habita em nós, nos enche  de amor, e isso nos basta. Se queremos riquezas, precisamos encontrá-las onde o Senhor as escondeu. No terreno mais fértil, que é o nosso coração.

Caloroso abraço!
Heitor Amaral
Leia Mais

Dizer "Sim" aos Projetos de Deus




Muito bom dia, povo de Deus!

Todos nós sabemos que, segundo os livros de história, os calendários da maior parte do mundo são divididos entre antes e depois de Cristo. "O verbo de Deus se fez carne e habitou no meio de nós!"

Porém, é necessário refletirmos num passo anterior, que foi crucial para que a história fosse assim dividida.

O anjo do Senhor veio ao encontro de Maria e apresentou todo o projeto do Senhor. Porém, era ela quem iria decidir entre aceitar ou não tal projeto. Deus sempre nos deu livre arbítrio e nunca irá violentar a vontade e individualidade das pessoas. Nós mesmos somos sujeitos de nossos atos e sempre colheremos frutos consequentes dessas atitudes.

Maria disse "sim" e todo o mundo recebeu as consequências dessa atitude. O filho de Deus veio ao mundo, trouxe mensagem de paz, de amor, de perdão, de doação aos mais necessitados, enviou o Espírito Santo e o mundo foi completamente transformado.

Acontece que, da mesma maneira que o anjo anunciou a vontade de Deus para Maria, o Senhor constantemente visita nossos corações de diversas maneiras para nos apresentar seus projetos de amor para nós. Se dizemos "sim", o nosso mundo pessoal se transforma completamente e, consequentemente, o mundo das outras pessoas que vierem a ter contato conosco. É uma reação em cadeia!

É necessário, então, termos maturidade suficiente para compreendermos que os projetos de Deus sempre refletirão o que, realmente, é melhor para nós e para a vida das pessoas que estão inseridas em nossa cadeia de relacionamento.

Nossos atos são sempre como bumerangues: sempre retornam a nós! Nada mais sábio que colecionarmos atos sábios, de amor, de paz, de perdão, de paciência, de santidade...

Que Deus nos abençoe em nossa reflexão de hoje!

Grande abraço fraternal,


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

20/08 - Ser Fiel no Pouco




Olá, queridos irmãos e irmãs!

O evangelho de hoje está em Mt 23,1-12. Ele nos fala sobre os fariseus que interpretavam as leis de Deus, mas não as colocavam em prática.

Vemos que eles usavam o nome de Deus só para honrarem a eles mesmos. Colocavam nos ombros das pessoas muitas leis, falavam sobre elas, mas não as praticam.

Faziam todas as ações só para terem honra própria. Os mestres da Lei e os fariseus conheciam tão bem a Lei de Moisés, mas a melhor coisa, eles não possuíam ou não cumpriam, que era a virtude de praticar o que eles mesmos ensinavam.

Dentro desse contexto, Jesus procura alertar:

"Por isso, deveis fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imiteis suas ações! Pois eles falam e não praticam."
(Mt 23,3) 

Antes de sermos exigentes com as pessoas, devemos ser exigentes conosco mesmos. Aliás, os que são exigentes com eles mesmos são pessoas que geralmente agem certas.

Infelizmente, são poucos os que agem assim, e o que mais se vê são pessoas numa busca pelo poder e pelas riquezas, colocando tudo acima de Deus. Tudo isso é fruto do egoísmo.

Assim também são alguns cristãos que se portam como os doutores da lei citados neste evangelho. Usam a palavra de Deus para obter honra e glória para si mesmos, não praticam o que ensinam e vivem uma fé que, como diz São Tiago, é uma fé morta:

“Assim como o corpo sem a alma é morto, a fé sem obras é morta.” 
(Tg 2,26) 

Temos que ter muito cuidado para que não vivamos uma fé morta, onde falamos muito de Deus, mas não damos testemunhos de vida. A cada dia temos que fazer um exame de consciência para sabermos de que forma estamos agindo.

O testemunho de vida deve estar presente em todos aqueles que servem a Deus, pois Jesus mesmo o recomenda quando fala para ‘fazer e observar’ o que ensinam os doutores da lei.

Assim, a nossa vida deve estar repleta de boas obras, pois as boas obras nos levam a Deus. Temos que renunciar o orgulho, a vaidade e o egoísmo, os quais são fontes de pecados que afastam as pessoas de Deus. O pior deles é o orgulho.

Percebe-se que atitude daquele ouve e pratica o que ensina é diferente das atitudes de outras pessoas que seguem a Deus por honra e gloria. Um bom exemplo disso são os servos que gostam de escolher funções dentro de seu ministério, isso vai contra o que ensina Deus:

“Quem é fiel no pouco Deus lhe confiará mais.”
(Mt 25, 23)

Assim, hoje busquemos então ser fiel no pouco e evangelizar todas as pessoas que Deus confiará a nós. Não usarmos o nome de Deus para honrar a nós mesmos, pois Ele não se agrada disso. E praticar bons atos, pois a fé é feita também de pequenos gestos.


Angélica Aparecida
Leia Mais

19/08 - Os Principais Mandamentos da Lei




O evangelho de hoje está em Mt 22,34-40, e nos fala dos principais mandamentos da lei de Deus.

Este evangelho em um de seus trechos relata a seguinte pergunta feita a Jesus pelos fariseus:

“Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?”
 Mt 22, 36 

Os fariseus, como pode se perceber em boa parte dos trechos bíblicos, sempre buscavam algumas contradições nas palavras pregadas por Jesus, mas como sabemos Jesus conhece o coração de cada um e tem a sabedoria divina, assim Ele lidou com autoridade em resposta aos fariseus.

Vemos também que antes disso Ele já havia calado os saduceus. E assim também o fez calando os fariseus com as seguintes palavras:

“‘Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento! ’ Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse:

‘Amarás ao teu próximo como a ti mesmo’”.
 Mt, 22, 37-39 

Jesus responde a pergunta aos fariseus, mas nos ensina muito mais que uma resposta convincente. Ele reafirma os mandamentos da lei de Deus, fortalecendo-os, e não os menosprezando. Estes dois mandamentos resumem toda a lei dos profetas, Jesus mostra que não era contra as tradições antigas, mas mostra-o que era possível aperfeiçoá-la mais ainda. Simplificá-la a ponto de ser decorada e impressa em nossa mente para que de forma alguma a esqueça.

Esta palavra que Jesus cita hoje serve para nossa edificação espiritual. É uma ordtigas, mas mostra-o que era possível aperfeiçoá-la mais ainda. Simplificá-la a ponto de ser decorada e impressa em nossa mente para que de forma alguma a esqueça. Esta palavra que Jesus cita hoje serve para nossa edificação espiritual.

É uma ordem dada por Deus a qual devemos segui-la, para que tenhamos a certeza de estar no céu aqui mesmo e depois quando não mais estivermos aqui. Deus deve ser amado sobre todas as coisas, sobre tudo, pois Ele nos deu a vida, o lugar onde moramos, o alimento, a família, os amigos, os animais domésticos e selvagens, as estrelas do céu e os grãos de areia da praia.

Tudo foi criado por Ele; e assim por gratidão e amor, devemos amá-lo acima de tudo e todos. Já o nosso próximo é dever amá-lo como nós mesmos. Acredito que ninguém queira o seu próprio mal, e assim Deus ama a todos com o mesmo amor, e não quer o mal a ninguém. Alem disso amando o nosso próximo, vários pecados deixarão de existir, como por exemplo: a mentira, a fofoca, o roubo, o assassinato, o aborto, o adultério, a desonra ao pai e a mãe, as brigas, intrigas inveja entre outros. Um fato é que quem ama não comete estas faltas.

Em resumo, amando a Deus em primeiro lugar e ao próximo como a nós mesmos; viveremos o amor. Assim seremos santificados, pois como é dito nas cartas de São João: “Deus é amor” (1Jo 4, 8b), e como dizem muito por ai; “Filho de peixe, peixinho é”.

Nós somos amor, mas quando praticamos os pecados essa essência que há em nós não aparece, ou seja, fica oculta. Assim neste dia, fica o convite a nós, para que possamos exercitar o amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a ti mesmo. Comecemos pelas pessoas de nosso convívio, amado-as e enxergando a presença de Deus nelas para que assim possamos viver melhor e com Deus ao nosso lado. E que também, seja um dia diferente para nós todos, e com a confiança de uma nova experiência com Deus a partir destes mandamentos.


Paulo Henrique
Leia Mais

18/08 - Muitos Chamados, Poucos Escolhidos

 
Muito bom dia, meus amigos!
                                
Cá estamos nós para mais uma reflexão da Palavra de Deus para nós hoje.
                           
Você já deve ter acabado de ler nossa passagem de hoje. Complicada, né? O pior é que ela reflete muuuuito bem o que nossa sociedade tem experiementado e vivido.
                                   
A palavra nos fala de um rei que prepara a festa de casamento do príncipe e pede que seus empregados - leia-se servos - se dirijam à cidade para chamar seus convidados. Estes, porém, nem dão atenção ao convite e continuam normalmente sua vida sem se importarem com o grande momento de alegria que o rei queria partilhar com eles. O pior é que o rei, incomodado com a falta de resposta, envia novos servos e estes são maltratados até a morte. O rei enfurecido, então, lança sua ira sobre aqueles que fizeram pouco caso de todo banquete que havia preparado e manda que sua guarda  mate os assassinos e queimem sua cidade. Em seguida o rei pede que outros servos saiam a convidar todos os que encontrarem pelo caminho e assim estes o fazem. Porém, algo um tanto intrigante acontece: uma pessoa é encontrada sem trajes adequados e é expulso do local.
                                               
É necessário refletirmos com bastante atenção e cuidado que nossa passagem de hoje merece. Ela é muuuito delicada...
                                          
Está muito na cara que o rei é o Pai Celestial e o príncipe é Jesus. O casamento não é nada mais nada menos que a união de Jesus com sua igreja (alguém tem alguma outra interpretação sobre isso?) e os convidados são aqueles que se dizem "amigos do Rei", ou amigos de Deus.
                                                    
Porém, o que se percebe em relação aos que se dizem "íntimos" de Deus é que estes não dão a mínima atenção à alegria de vossa realeza! Um banquete maravilhoso, digno de reis, é preparado e os tidos como amigos agem com desprezo e continuam com sua vida corriqueira. O pior é que alguns se sentem incomodados pelos servos do Rei e chegam a assassiná-los!
                                             
Meus amigos, meus amigos. Essa passagem de hoje me deixa muito incomodado. Será que nós, que nos auto-denominamos "amigos" do Rei, não estamos virando a cara e fazendo pouco caso do banquete que Ele diariamente prepara para nós?
                                
Será que nossos atos não estão incondizentes com nossas palavras? Será que não estamos, a exemplo dos "amigos" da leitura, traindo aquele que deseja festejar suas alegrias conosco?
                              
Pois bem, pra piorar ainda mais a situação, depois da traição de seus amigos mais íntimos, o Rei manda que convidem todos os que encontrarem pelas ruas e assim é feito. Porém, não adianta ser apenas convidado... é necessário se apresentar no banquete com trajes próprios para o momento. E o traje ideal para o banquete celeste é um coração contrito, arrependido e, declaradamente, em guerra contra tudo aquilo que desagrada o rei. Um coração amoroso, misericordioso e que muito se importe com a alegria dos outros.
                                               
Como você tem se preparado para o banquete? Aliás, que resposta você está dando ao convite semanal que o Senhor faz a você para o banquete do casamento que é celebrado em todas as missas, quando Jesus celebra seu casamento com sua noiva Igreja no altar, na comunhão? Você é um daqueles que fica na porta da capela, esperando a festa, o banquete do Rei acabarem para você entrar e começar a reunião do grupo?
                                          
Cuidado, meu amigo, muito cuidado e aproveito para pedir este mesmo cuidado a mim mesmo. Porque, a exemplo daqueles que não deram a mínima para o banquete real e aquele que estava sem trajes apropriados, podemos ser excluídos das celebrações reais por causa desse nosso pouco caso às coisas do Senhor.
                                                   
Que o Espírito Santo nos ilumine e nos faça refletir seriamente sobre tudo isso.
                                             
Grande abraço fraternal,


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

17/08 - Precisamos ser mais gratos a Deus!


Queridos irmãos,

Neste dia, o Senhor nos convida a refletir sobre uma de suas parábolas. É muito importante que você leia esta passagem, no livro de São Mateus, capítulo 20, versículos de 1 a 16-a, para que possamos partilhar um pouco sobre ela mais adiante.

Num primeiro momento, ao lermos esta parábola, temos a impressão de que aquele patrão foi injusto com os trabalhadores que ele contratou primeiro, já que estes receberam o mesmo valor que aqueles que começaram a trabalhar bem mais tarde.

No entanto, é necessário observarmos que o valor que ele pagou aos trabalhadores foi exatamente o valor que haviam combinado. Então, ele simplesmente cumpriu com o que prometeu. O que podemos pensar é que ele poderia ter pago um valor menor para os trabalhadores que começaram a trabalhar mais tarde, porém, aquele patrão decidiu ser bondoso, naquele momento, pagando a eles o mesmo valor pago aos demais; o patrão teve compaixão daqueles que estavam desempregados na praça, sem trabalho.

Dessa forma, não podemos dizer que o patrão foi injusto com os trabalhadores que começaram a trabalhar pela manhã, mas sim que ele foi bondoso para com aqueles que começaram a trabalhar mais tarde.

Além disso, devemos observar que o patrão quis mostrar aos trabalhadores a seguinte situação: "Os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos". Ou seja, aqueles que estavam já desanimados e humilhados por não terem sido contratados, foram ajudados pelo patrão, que lhes concedeu oportunidade de trabalhar e ainda pagou uma diária completa. Já aqueles que achavam que tinha tirado vantagem, por terem sido contratados primeiro, ficaram para receber por último, tendo recebido exatamente o que foi combinado, e ainda acharam pouco.

Assim é o Reino dos Céus: quem passa a vida querendo ser o primeiro, tirar vantagem de tudo, acabará sendo o último. Porém, aqueles que são humilhados, que colocam a sua confiança em Deus, esperam n'Ele e colocam-se de prontidão, a serviço do Pai, estes sim serão exaltados.

Observem que os trabalhadores que começaram a trabalhar mais cedo ficaram reclamando e resmungando, ou seja, não foram gratos por terem sido contratados, por terem arrumado trabalho naquele dia. Já pensaram que muitos naquele mesmo dia ficaram desempregados, não tendo ganhado nenhuma moeda para sustentarem suas famílias?

Portanto, hoje somos convidados a refletir sobre esta situação. Devemos agradecer a Deus pelas oportunidades que temos em nossas vidas, ao invés de ficarmos resmungando e reclamando daquilo que achamos ser o correto, sempre querendo tirar vantagem das situações.

Devemos agradecer a Deus por nos conceder, primeiramente, a oportunidade de viver mais um dia, e além disso, por nos proporcionar condições de estudo, de trabalho... ao invés de ficarmos sempre procurando algo para reclamar.

Comece agora a louvar a Deus! Louvemos por nossas vidas, nossas famílias, nossos estudos, nosso trabalho, pela saúde, por termos uma casa para morar, um cobertor para nos proteger do frio, por termos acesso à internet e podermos partilhar desta palavra hoje através do computador, enfim, pela alegria de ter Deus cuidando de cada um de nós...

Que este exercício seja diário nos nossos corações!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador
Leia Mais

16/08 - As Verdadeiras Riquezas

 
 
 
 
Muito bom dia, amados irmãos!

Devemos ser cautelosos na interpretação deste trecho do Evangelho, para que não sejamos conduzidos àquela falsa ideia de que apenas os pobres (materialmente falando) entrariam no reino do Céu. Podemos, de um modo bem direto, relacioná-lo a três verdades que por muitas vezes são esquecidas:

1ª - Ser rico ou pobre não depende unicamente de posses ou bens materiais, pois a verdadeira riqueza se manifesta no coração humilde, no coração que acolhe e exala o que há de melhor. que vem diretamente do Senhor e é o amor, unicamente.

2ª - Deus é, e sempre será, amor e infinita misericórdia, logo, posses (ou a ausência delas) não determina o quanto o Pai ama ou deixa de amar alguém. 

3ª - "Entrar" no reino, contemplar a Graça de Deus, não depende das riquezas que alguém tem em mãos, mas do modo com o qual esta pessoa utiliza o que tem, não se deixando dominar pelas riquezas.

O Senhor não impõe limites às nossas posses, mesmo porque são frutos do nosso trabalho (desconsiderando aqui toda e qualquer ação ilícita). O problema modo de administrar aquilo que, com suor e luta, conseguimos. Somos nós os administradores, e não os "administrados". Vivemos num mundo capitalista ao extremo, onde o que importa é o que tenho em mãos, aquilo que tem preço, e não importa o que tenho de melhor, o que posso oferecer como ser humano, como filho amado de Deus.

Será salvo aquele que souber que o ser humano não tem preço, mas tem valor, e altíssimo valor. Não há nada que possa nos comprar, não há nada mais valioso em nossas mãos do que nós mesmos. É isso que o Senhor tem para nós neste dia. Deus pode, sim, salvar um "rico", não é fácil, mas nada é impossível a Deus. A salvação não é "sorteio". Será salvo quem merecer, quem for digno.

A humildade deve brotar em nossos corações para que, com sinceridade, nos deixemos levar pela Graça. Somente quem se abandonar, quem deixar que o Senhor faça uma "revolução" em sua vida terá, sim, a vida eterna como herança. Seremos vistos como a "sobra" da sociedade, como aqueles que são loucos, como os últimos, mas o Senhor deixa claro que:

"30Muitos que agora são os primeiros, serão os últimos. E muitos que agora são os últimos, serão os primeiros. "

Que o Senhor nos cubra de bênçãos nesta semana, para que possamos reconhecer que a humildade é uma virtude necessária a todo cristão.

Abraço!

Heitor A. Pereira
Leia Mais

15/08 - Evangelizar



Muito bom dia, amados!

No inicio deste evangelho, notamos que Jesus conhece seus discípulos profundamente, não só o nome, mas sabe suas origens e conhece seus costumes. Por isso podemos dizer que Ele nos conhece antes mesmo de nascermos, que nosso nome está gravado em suas mãos Ele nos ama e permuta reinos por nós e nos chama pelo nome, "sois Meus" (Is 43).   

Assim, Ele quer restaurar Israel. E para isso conta com nossa ajuda, pois nos chama pelo nome e nos confere o poder de curar os enfermos, consolar os aflitos, restaurar e resgatar as ovelhas perdidas.
  
Note que, mais uma vez, Ele nos exorta a não irmos ou não frequentarmos lugares impróprios à nossa fé. Quando instrui seus discípulos lhes ordena a não entrarem no meio dos gentios e na Samaria. Se olharmos no rodapé de nossa bíblia, vamos ver que eram lugares de conflito, hostilidade e de origem semi-pagã.
  
Mais uma vez, Jesus se preocupa e se mostra como o Bom Pastor. Ele nos envia em missão, nos confere o poder necessário e nos aponta onde não devemos ir. É bom sempre lembrarmos que o poder vem de Deus e que somos apenas o canal para que o poder Dele chegue até as ovelhas. Esta missão passa pela "minha decisão", "eu" tenho que dizer o "meu sim" , por o pé na estrada e ser obediente.
    
Há muitas ovelhas perdidas precisando ser resgatadas. Portanto, amados, se Ele foi enviado com verdade para os ludibriados, com caminho para os desviados, como remédio para os doentes, como resgate para os cativos e como alimento para os que morriam de fome, eu e você como discípulos e missionários d'Ele no mundo de hoje, não podemos e nem devemos ser outra coisa senão aquilo que Ele é para nós.
  
Ele é enviado às ovelhas perdidas da casa de Israel, para que elas não se percam para sempre e tenham vida em abundância. Esta é a nossa tarefa hoje: Anunciar a Boa-Nova, e fazer isto primeiramente com as ovelhas de nossa casa. Mostre o poder de Deus para os seus e ai estará preparado para avançar para "águas mais profundas".
  
Que Deus seja visto em sua vida através de suas atitudes.     

Vá! Resgate, restaure, salve e cure! Diga a todos que o Reino de Deus está próximo.  

Paz e bem a todos!


 




Renato e Eloneide
Leia Mais

13/08 - Coração Puro e Limpo Como o de Criança




Olá, queridos irmãos e irmãs!


O evangelho de hoje está em Mt19,13-15. Ele nos mostra que devemos ter um coração puro para entrarmos no reino dos céus. Assim devemos ser como as crianças.

Este evangelho nos conta que as crianças foram ao encontro de Jesus, mas os discípulos não queriam deixar elas se aproximarem do Mestre. Mas, em contradição a isso, na mesma hora Jesus respondeu:

“Deixai as crianças, e não as proibais de vir a mim, porque delas é o Reino dos Céus”.
Mt 19,14

Podemos perceber que Jesus não faz como os discípulos pensavam, ao contrário, ele acolhia as crianças. Ele teve muita sabedoria ao dizer que o reino dos céus é das crianças, pois essas possuem o coração puro.

As crianças agem muito diferentemente dos adultos. Elas fazem as coisas sem saber o que é certo e errado, elas são indefesas, tudo é motivo de pergunta, são felizes, e não têm o coração como os dos adultos. Elas são seres humildes, carinhosos, cheio do Espírito Santo de Deus. A grande maioria não é capaz de fazer mal a ninguém, pois ainda não conhecem a malicia e o mundo.

Quando as pessoas vão se tornando mais maduras, começam a mudar os hábitos, como querer agir igual aos outros. As crianças normalmente aprendem o que os adultos ensinam, se inspirando na maioria das vezes em seus pais.

Hoje podemos refletir também a responsabilidade de muitas mães ao criar seus filhos. Muitas delas acabam abandonando, rejeitando, maltratando, agredindo, enfim acaba fazendo coisas ruins aos pequenos. As mães de hoje devem ensinar seus filhos sempre a seguir o caminho de Deus, para que quando eles estiverem mais velhos possam ter a alegria de ter um coração verdadeiro, como  tinham quando eram criança.


É falado “só entra no reino do céu quem tem o coração puro e limpo igual ao de criança”.

Assim devemos buscar a cada dia termos o coração da criança que um dia fomos, verdadeiramente cheia de amor. Temos que buscar, em Deus,  responsabilidade para sermos cristãos puros e cheios de amor.



Angélica Aparecida de Souza
Leia Mais

12/08 - O que Deus Uniu o Homem Não Separe I




O evangelho de hoje está em: Mt 19 3-12, nele é citado o matrimônio. Esse, sendo algo que jamais pode ser destruído pelo homem.

O matrimonio é um sacramento – sinal de Deus em nossa caminhada cristã – indissolúvel e uma marca indelével; que não pode ser desmanchado por mãos humanas.

No tempo de Jesus eram muito comuns os judeus desta época se divorciar de suas esposas caso pegas em adultério. Mas o problema ia além disso; Muitos casais se divorciavam por motivos banais, ou seja sem nenhum motivo comprovado; assim se o esposo não quisesse continuar o matrimônio ele pedia a carta de divórcio e o sacramento era desfeito.

Jesus é colocado a prova em relação a esse assunto. Esse caso não era bem resolvido entre os judeus desta época. Alguns estudos dizem que havia duas divisões entre esses judeus; uma em que o divórcio serviria somente em caso de adultério e outra na qual o divórcio serviria para qualquer motivo e podia ser feito quando bem entendesse.

Mas Jesus cheio de sabedoria mostra uma parte que passava por despercebido aos judeus daquela época, e que é muito importante ser citado:


[...] “Nunca lestes que o Criador, desde o início, os fez homem e mulher? E disse: ‘Por isso, o homem deixará pai e mãe, e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne’? (Gn 2, 24) De modo que eles já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe”.
Mt 19, 3-6

Este trecho que é quase a metade do evangelho de hoje, cita como que deve ser o casamento de acordo com a vontade de Deus, deve ser inseparável.

Acredito que em qualquer matrimônio possa haver alguns desentendimentos, pois cada pessoa tem sua identidade, ou seja, é diferente de cada um. Mas isso não é motivo para o divórcio ou para a separação conjugal. Muitos casais se casam com o pensamento: “se não der certo nós larga” e este pensamento não deve existir em um lar jamais, pois na união de um casal, eles se tornam uma só carne. E estes são co-criadores junto com Deus, pois Deus dá a vida e usa do casal para se formar uma nova vida dada pelo próprio Deus, que são os filhos. Dessa forma Ele é tão grande em amor que faz com que o homem, também faça parte da criação.

É muito importante pensar bem antes de se constituir o matrimônio. O mundo muitas vezes prega contra o matrimônio e muitos casais, hoje vivem somente em comunhão de bens sem nenhum sacramento. Esse fato abre uma ferida no sacramento tornando-o apenas tradicional, sem nenhum motivo concreto para a vida. É sabemos como é citado no catecismo da Igreja que “o vinculo matrimonial é estabelecido pelo próprio Deus” (pág 448) e não pelos homens.

Voltando ao evangelho, Jesus usa de uma natureza radical para afirmar a questão do casamento que leva seus discípulos a questioná-lo se convém ou não se casar; Vale à pena ressaltar a respeito do ultimo trecho do evangelho


“[...] existem homens incapazes para o casamento, porque nasceram assim [...] se fizeram incapazes disso por causa do Reino dos Céus”.
Mt 19, 12

Jesus ressalta outros pontos que não foi citado acima. Mas esta parte é muito incessante, pois fala do celibato. Jesus fala que por causa do Reino dos céus, muitos não se casariam. Algo que iria alem da compreensão, e Ele afirma isso:

“Quem puder entender entenda”.
Mt 19, 12b

Por fim, Compreendendo melhor destes sacramentos de que Jesus nos fala hoje, que possamos então buscar nos conhecermos melhor, sendo capazes de descobrir nossas vocações. E se já vivemos em alguma vocação possamos sempre cultivar o amor, pois é este que faz perdurar nossa vocação.

Um grande abraço.




Paulo Henrique de Souza
Leia Mais

12/08 - O que Deus uniu, o homem não separe II





Muito boa tarde, meus amigos!

Que a paz de Jesus esteja com todos!

Vamos a mais uma reflexão do Evangelho do dia?

Então para começarmos bem, vamos fazer a leitura do Evangelho de hoje tirado do livro de São Mateus 19, 3-12. Pegue sua Bíblia para fazer a leitura e só depois prossiga na reflexão!

Complicado o nosso tema de hoje, hein?! Digo isso porque na leitura de hoje Jesus vem falar para nós sobre o Sacramento do Matrimônio. Como ainda não sou casado e portanto não tenho experiência neste assunto (hehe), vamos falar sobre o que a Igreja nos ensina...

Durante toda a narrativa do Evangelho percebemos o quanto Jesus foi testado pelos fariseus e mestres da lei, pois eles queriam ver Jesus falando algo que fosse contraditório ao que Ele mesmo ensinava e também contrário à palavra de Deus, que até naquele instante era formada apenas pelo Antigo Testamento.

Pois bem, a leitura de hoje é mais uma tentativa dos fariseus de testar a pessoa de Jesus. Eles se aproximam do Mestre para perguntar se era permitido ao homem despedir a sua mulher. Jesus, na sua infinita sabedoria e conhecimento da palavra, responde com a passagem do livro do Gênesis que diz que o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne (Gênesis 2, 24).

Porém, querendo pegar Jesus, os fariseus se voltam para Ele e o indagam dizendo que Moisés havia dito que o homem poderia dar certidão de divórcio e despedir a sua esposa. Mais uma vez, Jesus, de forma muito clara e simples, diz que Moisés havia dito aquilo pois havia dureza de coração, e que no início não era assim, como podemos comprovar pela leitura do Gênesis.

E ainda faz uma verdadeira catequese, dizendo que há homens que foram criados incapazes para a vocação do matrimônio. Outros, por opção própria, não assumem esse compromisso. E por fim, outros, por opção ao Reino de Deus, a uma vida de servidão pela obra do Pai, também são incapazes de casar.

Diante isso tudo fica um questionamento em nossas cabeças: mas e aí, Jesus diz que não pode haver divórcios, então o que fazer com aqueles que já foram casados e que por um motivo ou outro vieram a se separar, porém estão mais felizes agora do que antes?

Como ajudar essas pessoas que se encontram em situação de divórcio, que não podem receber o sacramento da eucaristia e nem viver o sacramento da confissão?

Meus irmãos, como Jesus mesmo disse, há casos de matrimônio que ocorreram de forma ilegítima e, portanto, são considerados nulos. Nesses casos, após a análise da igreja, pode haver a separação do casal. Entretanto, muitas pessoas se separaram e nunca procuraram um padre para conversar e expor a situação, para se saber se é caso de nulidade ou não.

Porém, existem casais que se separaram mas na verdade não havia nenhum tipo de ilegitimidade na união... Nesses casos há o pecado, pois foram contra a lei de Deus, contra a doutrina da Igreja. Todavia, não é por isso que vão deixar de buscar a Deus e viver na fé católica, pois hoje em dia, existem até grupos de oração em que participam apenas pessoas que são separadas e vivem em segunda união. Muitos até estão servindo a Deus através de algum trabalho e ainda respeitando as condições da Mãe Igreja.

O que podemos tirar para as nossas vidas sobre tudo isso, e principalmente para os solteiros, é pensar muito, mas muito mesmo, antes de tomar a decisão de casar... E a partir da leitura de hoje, procurar se preparar muito para contrair uma união em Matrimônio, procurando conhecer muito bem a outra pessoa, procurando ter um namoro correto, santo, respeitando a outra pessoa e buscando discernir o que Deus tem para o casal. É no tempo do namoro que se conhece os gostos, as qualidades, as manias, os defeitos, o jeito de ser do outro... É no tempo do namoro que vamos descobrindo se damos certo com a personalidade da namorada ou namorado e se é com essa pessoa que queremos passar o resto de nossas vidas, pois Jesus foi claro ao dizer que o que Deus uniu o homem não separa...

Portanto vamos refletir bem sobre essa leitura de hoje e vamos buscar seguir o caminho certo até se chegar no Sacramento do Matrimônio. Vamos procurar escutar a voz de Deus para sabermos qual a nossa verdadeira vocação, se Deus nos quer casados ou se Ele tem um chamado maior para nós, como por exemplo ser padre. Desde já, sonhe e peça a Deus a graça de encontrar a pessoa certa para ser a que vai te acompanhar até o fim da vida, se essa for a vontade de Deus!

Que o Senhor abençoe a vocação de cada um e dê o devido discernimento sobre qual vocação seguir...

Grande abraço!



Danilo Lopes
Leia Mais

10/08 - "Quem perde a sua vida por mim, a encontrará!"





Olá!!!

A passagem do Evangelho desta quarta-feira é: João 12, 24-26. Convido você a lê-la, antes mesmo de continuar a leitura desta reflexão, para que possamos refletir melhor...

Pronto? Viu que linda passagem? Hoje Jesus vem nos falar sobre o verdadeiro sentido das palavras viver e morrer.

Muitos pensam que viver é "curtir a vida", fazer muita farra, aproveitar o tempo como se não houvesse amanhã, buscando seus próprios interesses, buscando aquilo que acredita que te faz feliz... e muitos se perdem nessa busca incessante, porém, ao final percebem que não se sentem realizados, completos, verdadeiramente felizes...

Sabe por que isso acontece? Porque essas pessoas só pensam no agora, na própria vida, querem aproveitar a vida e pronto, e continuam sendo apenas "grãos de trigo"; não aceitam "morrer", ou seja, mortificar a carne, para vivificar o espírito, portanto, não dão frutos... e terminam frustrados...

É por isso que Jesus diz: "Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna." Ou seja, não fomos criados para este mundo, fomos criados para herdar a vida eterna, para o céu. Se somos imediatistas e ficamos só aproveitando essa vida como se nada mais existisse, acabaremos por perdê-la, ou seja, perderemos a vida eterna, a nossa herança divina. Por outro lado, se vivemos esta vida de acordo com os preceitos de Deus, sem egoísmos, amando-nos uns aos outros, estaremos cada dia mais próximos daquilo que Deus tem guardado para nós...

E aí vem a grande questão a respeito do fazer "pouca conta de sua vida neste mundo" para conservá-la: servir a Deus... Como já foi dito diversas vezes em dias anteriores, aqui no site, servir a Deus requer renúncia. Às vezes renunciamos ao nosso descanso para servir aos irmãos, renunciamos ao nosso tempo para nos dedicar às obras de Deus, renunciamos a festas, a viagens, a muitas coisas, para assumirmos o compromisso de evangelizar. Isso é ser cristão evangelizador de verdade... Isso é "perder a vida" terrena, para encontrar a vida eterna.

Não estou dizendo que devemos deixar de fazer tudo na vida, para ficar só rezando. Mas estou dizendo que devemos deixar de fazer aquilo que não convém, para dar testemunho da Palavra... estou dizendo também que devemos deixar de fazer, às vezes, aquilo que desejamos (em nossa vontade humana), para fazer aquilo que Deus deseja e espera de nós.

E, assim, servindo a Deus de todas as maneiras possíveis, o Pai nos honrará, como o próprio Jesus nos promete nesta passagem de hoje.

Que esta reflexão sirva de incentivo a todos nós para buscarmos cada dia mais servir, e não ser servidos... amar, e não ser amados... doar, e não receber... e buscar as coisas do alto.

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Leia Mais

09/08 - Como Crianças Humildes, Inocentes e Sinceras

Meus irmãos, bom dia!

O Evangelho de hoje nos leva a refletir sobre uma das maiores virtudes de um cristão: a inocência. Precisamos ressaltar que esta inocência é fruto da nossa inteira dependência de Deus, assim como as crianças são inteiramente dependentes de seus pais. 

Ora, se não nos deixarmos conduzir pelo Senhor, se não começarmos a depender do Senhor para que possamos dar um passo, seremos como aquela ovelha que se perde. Porém, grande é a nossa alegria por saber que o Senhor não nos esquece, não nos abandona, e mesmo quando estamos perdidos, quando nos distanciamos das demais, o Senhor não deixa de nos procurar.

Ah, quantas coisas nos acontecem todos os dias... Quem de nós se deixa conduzir pelo Senhor? Quem de nós procura proteção no Senhor? Uma criança não faz absolutamente nada, nenhum movimento sem a ajuda dos pais. Nossa vida deve ser guiada pela mão do Senhor, que é o Pastor de todos nós. Seremos dignos de entrar no Reino se, antes de tudo, nos entregarmos ao Pastor que conhece cada ovelha pelo nome.

Outra grande virtude das crianças que, sem dúvida, deve estar presente em nós é a sinceridade. Entregar-se ao Senhor de corpo e alma não é tarefa fácil, pois exige renúncia. somente agindo com sinceridade poderemos recusar aquilo que o mundo nos oferece. 

A sinceridade brota do coração humilde.

Peçamos fervorosamente que o Senhor nos presenteie com estas virtudes tão importantes: inocência e humildade. Somente através destas virtudes poderemos nos abrir ao chamado de Deus a nós, ovelhas tão amadas por Ele.

Um grande abraço, amados!

Heitor A. Pereira
Leia Mais

07/08 - Seguindo os Passos do Mestre




Muito bom dia, meus amigos!

Iniciando nossa reflexão, temos hoje três situações interessantes vividas por Jesus em nossa passagem de hoje:
  1. Após a multiplicação dos pães, Jesus se preocupa até o último instante com o povo que acabara de alimentar materialmente e fisicamente, ficando com eles até o último instante e pedindo que seus discípulos partissem na sua frente;
  2. Jesus sente necessidade de subir ao monte para orar, logo após realizar um grande trabalho espiritual;
  3. Pedro, confiando na voz do Mestre, segue uma ordem absurda aos olhos humanos após receber uma ordem do Senhor.
No nosso primeiro tópico, temos um fato interessantíssimo! Jesus acabara de pregar para uma grande multidão no deserto. Depois de ter oferecido um banquete espiritual, promove o primeiro grande milagre da multiplicação dos pães. Mas, algo realmente bonito e que geralmente nos passa despercebido, está no final desse acontecimento. Ele poderia ter partido dali, como grande parte da maioria das pessoas que se sentem "estrelas" faz, saindo de mansinho sem que ninguém percebesse. Porém, Ele ainda continou lá até que todos tivessem ido embora.

Em seguida, Ele parte para o monte para orar. Olhem só, Ele tinha acabado de fazer um grandiosíssimo trabalho social e de evangelização. Tinha se doado ao extremo. Ele próprio sabia da grande necessidade pessoal de novamente se abastecer do Espírito Santo para continuar o processo de anunciação da Boa Nova. E o que Ele faz? Ele corre para os braços do Pai. Simbolicamente falando, quando temos na Bíblia alguém subindo no monte para orar, significa que a pessoa está querendo se aproximar mais de Deus, se abastecer do Espírito Santo para buscar novas empreitadas na fé.

Quando, já de madrugada, Ele termina sua oração pessoal, vai ao encontro de seus discípulos. Detalhe: Ele vai andando sobre as águas! Quando o vêem, seus discípulos entram em pânico e pensam tratar-se de algum espírito do além, algum fantasma.

Imaginem a situação... Estavam no meio de um vendaval em alto mar, o barco balançando de um lado para o outro; perigo de naufrágio e, de repente, alguém andando sobre as águas.

Jesus, então, se apresenta, tentando acalmá-los. É quando aparece na cena o nosso amigo Pedrão... Ele, sim, conhecia a voz do Mestre e era capaz de fazer qualquer coisa, se a ordem viesse de Sua voz. Assim acontece com a ovelha que conhece bem seu pastor, escuta sua voz e vai para onde ele as guia.

Pedro pede que se fosse Ele mesmo, que ordenasse que seu discípulo fosse ao seu encontro caminhando sobre a água. Assim, então, acontece e Pedro nem pensa duas vezes para pular na água e sair andando. Porém, no meio do caminho ele pensa no absurdo que estava acontecendo e, ao mesmo tempo, sua fé é minada. Consequentemente ele começa a afundar e clama ajuda ao Senhor, que estende sua mão e o socorre.

Pessoal. Devemos seguir o exemplo de Pedro, sobre o que fazer e o que não fazer. Seguir seu exemplo de seguir as ordens de Jesus, por mais absurdas que pareçam ser e não deixar que nossa fé seja abalada, quando estivermos seguindo tais ordens.

Porém, existe um grande problema nesse processo todo. Para escutarmos a voz de Jesus, é necessário antes de mais nada sermos íntimos dEle. Intimidade só vem através de várias experiências pessoais... não vem apenas de um encontro ou outro. É um processo diário!

Você se sente íntimo de Jesus? Você conversa com Ele todos os dias? Essa sua conversa é diálogo ou monólogo? Você deixa Jesus falar com você ou é só você quem fala?

É hora de você começar a se aproximar mais do Mestre. Ele quer falar no seu coração o segredo do caminho verdadeiro à felicidade. Tenho certeza de que é isso o que você mais quer, não é verdade?

Então, pra que ficar perdendo tempo?

Que o Espírito Santo possa te iluminar, te preencher e te fazer cada vez mais amigo íntimo de Jesus!

Grande abraço fraternal,


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

06/08 - Jesus Transfigurado no Meio de Nós





Olá, queridos irmãos e irmãs!


O evangelho de hoje nos fala de quando Jesus foi até a montanha para orar. Sabemos que a montanha, em quase todos os trechos bíblicos, foi um lugar de maior intimidade com Deus. Este caso não foi diferente, em se tratando de Jesus.

Hoje o evangelho nos fala sobre a transfiguração que ocorreu em Jesus: em seu rosto como também a mudança nas suas roupas, diante de seus discípulos; Pedro, Tiago e João. O que é citado no evangelho “e foi transfigurado diante deles” (Mt 17,2). Enquanto estava rezando, ele entra em contato com o Pai, e o amor entre eles é tão grande que chega a alterar a sua aparência, ou seja, Ele é transfigurado.

Seus discípulos ficaram perplexos por ver seu rosto mudar tanto assim, principalmente quando aparece Moises e Elias para conversarem com Jesus. Pedro fala que era bom se eles ficassem lá que ele ia fazer três tendas uma para Ele, para Moises e uma para Elias, mas bem quando Pedro falava e uma voz da nuvem dizia “Este é meu filho amado o qual eu pus todo o meu agrado. Escutai-o!” (Mt 17,5)

A força da voz do Pai deve foi uma experiência esplendorosa para os apóstolos, a ponto de ficarem assustados. Mas Jesus lhes diz:

“Levantai-vos e não tenhais medo”.(Mt 17,7)


Escutar e ter obediência! É a melhor maneira que devemos fazer. Escutar a Palavra que Jesus veio nos dar. Escutar com os ouvidos, mas, principalmente, escutar com o coração. Só assim podemos ficar transfigurados.


Hoje, o rosto de Jesus aparece mais desfigurado que transfigurado. Desfigurado em tantos rostos das pessoas por causa da pobreza extrema e de outros vários problemas. Jesus aparece de outra forma no rosto de crianças doentes, abandonadas, nos jovens desorientados, perdidos, no dos excluídos da sociedade; nos rostos de desempregados, de idosos abandonados até mesmo pela família.

São muitos os desafios que as pessoas que querem seguir Jesus têm que enfrentar. Mas mesmo assim não devemos ter medo. Existem pessoas que querem levar a vida do seu próprio jeito, sem escutar, sem ter obediência. 

Devemos saber que Jesus é transfigurado no meio de nós. Não podemos deixar de lado o amor que ele nos dá. Jesus ama o pobre, o rico... ama  todos! Temos que ter a solidariedade com os irmãos, e não esquecermos a obediência para vivermos o amor de Cristo!

Angélica Aparecida de Souza
Leia Mais

05/08 - O caminho exige renúncia





O evangelho de hoje está na seguinte passagem bíblica: Mt 16,24-28. Para seguimos Jesus temos que despojar tudo aquilo que nos afasta de Deus e Ele sendo o bom pastor, nos alerta que o caminho é difícil e longa é a caminhada.

Isso pode ser encontrado no seguinte versículo:

“Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga.” Mt 16, 24

Para sermos verdadeiros cristãos devemos tomar nossas cruzes e seguir o caminho que nos leva a Deus, como é mencionado este caminho é cheio de pedras, obstáculos e muito estreito. Imagine agora, caminhando neste caminho e ainda carregando nossa cruz. Parece-nos algo impossível. Mas acreditem isso não é impossível, pois temos Jesus como nosso intercessor junto do pai, que está sempre disposto a nos ajudar (1jo 2,1b). O mais difícil de nossas vidas é renunciarmos a nós mesmos, pois quem pode fazer isso só pode ser nós, ninguém mais pode. Afinal eu não posso beber água por alguém que tem sede, esperando matar a sede desta pessoa.

A renúncia é um ato de quem deseja muito algo para sua vida. E nela deixam-se de lado tudo que se está a sua volta, estando disposto a fazer tudo por este algo, e esse algo passa a se tornar um tesouro inestimável.

Este ato deve fazer parte de nossas vidas, onde Deus deve ser este tesouro, o centro de tudo e todos, que nos faz renunciar aquilo que não vem Dele. Assim estaremos também honrando o primeiro mandamento da lei de Deus;

“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo no teu espírito.” (Dt 6,5 ou Mt 22,37)

Este versículo assume toda essência do cristianismo, e também de toda a renúncia que Jesus fala no evangelho de hoje, O próprio Cristo quando estava em jejum no deserto, usou este versículo para repreender o tentador. (Mt 4,7-10)

Caso nós não renunciarmos aquilo que não vem de Deus, nós buscamos as coisas que vem do mundo e Jesus fala ainda no evangelho de hoje;

“[...] De que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, mas perder a sua vida?” Mt 16, 26.

Este é um conselho que Jesus nos dá para a nossa salvação. Acredito que conselhos de amigos sejam muito bons para nossas vidas. E se tratando do mestre Jesus é melhor nem discutir.

Em resumo, possamos a cada dia renunciar aquilo que não nos leva a Deus, e vigiar nossa conduta para que não seja uma conduta de insensatos, mas sim de sábios (Ef 5,15) os quais estão sempre dispostos a renunciar aquilo que nem mesmo sabe-se de fato que não se agrada a Deus.

Um grande abraço a todos!


Paulo Henrique de Souza
Leia Mais

05/08 - Renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e Siga-me!


Muito boa tarde, filhos e filhas amados de Deus!

Desculpe-me pela demora na postagem da reflexão do Evangelho do dia!

Hoje o Senhor nos convida a refletirmos os versículos 24 a 28 do capítulo 16 do Evangelho de São Mateus. Clique em LITURGIA DIÁRIA para fazer a leitura da palavra e ter contato direto com Jesus...

Viu que linda e profunda a leitura de hoje?

Gosto muito de ler o Evangelho, principalmente porque ouvimos Jesus falando diretamente ao nosso coração! E como são tocantes as suas palavras! Jesus falava o essencial e tudo o que Ele dizia, todas as palavras que saíam de sua boca eram como flechas certeiras que atingiam o seu alvo!

Na passagem de hoje, a primeira fala de Jesus aos seus discípulos é algo muito sério e importante! Jesus, enquanto mestre e verdadeiro Filho de Deus, nos orienta de todas as formas na maneira como devemos seguir o caminho a Deus. Jesus começa a passagem com uma condicional, na qual Ele diz: "SE alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga".

Jesus é muito claro naquilo que Ele fala... Percebemos então que a condição para seguirmos Jesus é renunciarmos a nós mesmos, tomarmos a nossa cruz, para então seguirmos. E o que seria renunciar a si mesmo? Você tem alguma idéia do que seja?

Pois bem, Jesus vem falar de renúncia... Renunciar significa deixar pra trás, abandonar, deixar de fazer parte, colocar à margem. E renunciar a si mesmo é deixar pra trás, deixar de lado as nossas próprias vontades, os nossos egoísmos, os nossos quereres, para dar lugar somente à vontade de Deus!

É tirar os olhos do nosso umbigo e voltarmos o nosso olhar para Deus! É confiar na Sua bondade, na Sua graça, no Seu amor e desejar que seja feita a vontade d'Ele em nossas vidas!

Então agora a gente se pergunta: ah, então eu tenho que deixar de fazer as coisas que eu gosto, tenho que deixar de ir nos lugares que gosto de frequentar, tenho que deixar de ter meus sonhos e ficar somente na igreja, rezando?!?

Não meu irmão, também não é assim... Não é isso que o Senhor quer de nós! Ele quer que nós deixemos de lado todas aquelas coisas que no fundo não vão servir de nada pra nos dar a verdadeira felicidade e o verdadeiro sentido de viver... É por isso que Ele questiona os discípulos: "de que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro mas perder a sua vida? Que poderá alguém dar em troca de sua vida?"

Na verdade, não é difícil isso que o Senhor nos pede... Você pode até me dizer o contrário, que no fundo é difícil sim, porque além de renunciar a nós mesmos Jesus nos pede para tomarmos a nossa Cruz, ou seja, sofrermos tudo o que for necessário para alcançarmos a Cristo. Mas sabe porque você acha difícil?

Porque o pecado que habita o mundo e que infelizmente habita em nós nos fez pensarmos assim!

Nos fez acostumarmos com as coisas erradas e estragadas desta vida e acharmos que são elas que vão dar sentido à nossa existência e vão nos tornar felizes... Aí, pensando assim, fica difícil de largar elas pra trás e abraçar a nossa cruz para seguirmos a Jesus... Quanta inocência de nossa parte!

Por isso meu irmão, vamos aproveitar essa reflexão de hoje e vamos parar um pouquinho pra pensar no que nós devemos renunciar nesse dia... Antes disso, responda aí na sua consciência, você tem buscado seguir o caminho de Jesus? Você tem procurado estar perto d'Ele? Você tem rezado diariamente, assim como você conversa com seu melhor amigo? Você tem feito coisas boas, coisas que agradam a Deus? Você tem optado em fazer coisas que mais te aproximam de Deus, como por exemplo, participar do Grupo de Oração, ou você tem feito coisas que te deixam mais longe d'Ele?

Então, na medida em que você for respondendo, vai analisando aquilo que você pode e precisa renunciar para estar mais perto de Jesus e para estar definitivamente buscando o caminho d'Ele... Uma coisa eu te falo, você não se arrependerá em momento algum de ter decidido por tomar a sua cruz e seguir o caminho de Jesus, mesmo que seja difícil...

E por fim, pra te ajudar nessa decisão de renunciar a algumas coisas e buscar seguir Jesus, não esqueça do que Ele mesmo disse: "porque o Filho do Homem virá na glória do seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada um de acordo com a sua conduta. 28Em verdade vos digo: Alguns daqueles que estão aqui não morrerão antes de verem o Filho do Homem vindo com seu Reino".

Você quer ver, com os seus próprios olhos, Jesus voltar aqui na Terra, na Sua forma gloriosa, e lembrar de você por todas as boas coisas que você tenha feito durante a sua vida? Cara, eu quero viu, e muito!!!

Que o Senhor te abençoe nessa busca, nessa decisão, nessa renúncia de cada dia!

Grande abraço!

Tenha fé e perseverança!


Danilo Lopes
Leia Mais

04/08 - Profissão de Fé de Pedro - Edificar Minha Igreja




Bom dia, amados irmãos,

Que o amor de Jesus e Maria inundem nossos corações nesta quinta-feira, e que o Espírito Santo possa inundar todo nosso ser, trazendo força, sustento, paz e todas as bênçãos que somente o Senhor pode nos dar.

No evangelho de hoje, vemos Pedro anunciar que Jesus é verdadeiramente o Messias, o Senhor dos Senhores, e a partir deste anúncio Jesus confere a Pedro a autoridade para conduzir a Sua igreja.

Podemos perceber dois fatos muito importantes nesta passagem do Evangelho. A primeira, sobre a fé com que Pedro declara que Jesus é o Senhor. Esta fé e a autoridade demonstrada foram a chave para que Jesus lhe confiasse a direção da Igreja quando Ele não mais estivesse presente. E Pedro, somente conseguiu expressar a sua fé graças à ação do Espírito Santo de Deus, que lhe deu a certeza de que Jesus era realmente o Messias esperado, já que Pedro estava repleto da graça do alto.

Nós podemos também, como Pedro, resplandecer em graça do Espírito de Deus. Podemos sentir a ação de Deus através de seu Espírito que dá a certeza das obras do Pai. Como aconteceu com Pedro, nós, filhos abençoados do Senhor, precisamos deixar nosso coração aberto para a ação divinal em nossa vida. Peçamos que o Espírito Santo então reine em nossos corações de modo admirável.

Outro ponto importante para refletirmos neste evangelho é que Jesus deixa de forma expressa a Sua Igreja nas mãos de Pedro, ele que foi o primeiro Papa da Igreja Católica, confirmando que o Senhor nos deixou a Sua igreja, Católica Apostólica Romana, para divulgarmos e vivenciarmos o Evangelho de Deus.

Por isso amados, devemos sempre ter a consciência de que estamos seguindo somente aquilo que o Senhor nos confiou através de Sua Igreja, que é uma grande bênção para todos nós. Pedro foi sim, aquele que esteve junto com Jesus e através do qual o Senhor iniciou a Sua igreja, mas nós devemos nos alegrar por sabermos que mesmo não convivendo com Jesus, como Pedro o fez, de forma presencial, também cremos e buscamos seguir aquilo que Ele nos pede na Sua palavra.

É nosso dever continuarmos na mesma missão que Jesus inicialmente designou a Pedro. Somos hoje os confiados do Pai, para semearmos a boa nova, para sermos pescadores de homens, como o primeiro Papa da nossa Igreja começou tempos atrás.



Klênia e Marcos
Leia Mais

Postagens mais visitadas

Ouça a Rádio Canção Nova



Seguidores

 

Sobre A Boa Semente!

A Boa Semente foi fundada em 2007. É uma criação do Grupo de Oração Semeador, da Renovação Carismática Católica da cidade de Inhumas GO. É um instrumento de evangelização sem fins lucrativos.

Sua principal missão é semear a Boa Semente através de reflexões diárias do evangelho. Você também pode fazer parte dessa família, entre em contato conosco e saiba como!

Os artigos são de responsabilidade de seus respectivos autores.

Deus te abençoe sempre!

Visite Meu Canto Secreto e descubra mais sobre o autor desse instrumento de evangelização. Mais uma criação Vocenanet.com VCN