Ocorreu um erro neste gadget

Abandonar as Amarras



Evangelho - Jo 20,2-8

Bom dia, meus queridos!

Muito tempo se passou desde o nosso último diálogo nas terças-feiras, mas espero que tenhamos mantido o nosso hábito de refletir e vivenciar a Palavra mesmo sem o auxílio das palavras e reflexões postadas aqui, no blog.

E neste tempo tão festivo, no qual celebramos a alegria de acolher o Cristo vivo, como homem, o Senhor nos convida a ressuscitar, abandonando o que nos prende e nos impede de vivenciar a graça, a alegria de servir e amar ainda mais ao nosso Deus. 


"Viu as faixas de linho deitadas no chão
e o pano que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, 
não posto com as faixas,
mas enrolado num lugar à parte." (Jo 20, 7)


Mesmo após a celebração do Natal, ainda podemos ver e ouvir o que o mundo entende como Natal: "Saldão de ofertas", "liquidação", "promoção!!!", "Super descontos para queimar o estoque do Natal!". O nosso mundo transformou a celebração natalina numa grande feira, forçando-nos a esquecer o verdadeiro sentido da vinda do Senhor. Esta é uma das faixas que nos impedem de abandonar a prisão do pecado: a nossa atenção desnecessária aos bens.

A nossa atenção desnecessária aos bens materiais nos impede de vivenciar a simplicidade, o convívio... Não existe outro momento durante o ano em que todos se reúnem para celebrar e confraternizar, certo? O tempo do Natal é propício ao convívio, à alegria da partilha, do diálogo. Somos convidados a esquecer as desavenças e preparar-nos para um novo ano que se aproxima. Abandonar as faixas, as amarras, nos permite caminhar livremente. Não seria este o momento para procurar alguém a quem perdoar ou pedir perdão?

Abandonar as amarras é também surpreender àqueles que amamos e que caminham conosco. Talvez pareça um pouco repetitivo, mas poderíamos, neste novo ano, nesta oportunidade que é dada a cada um, fazer com que aquilo que não foi bom até agora seja mudado, transformado...

Acima de tudo, precisamos cumprir com a nossa missão, afinal, Jesus deixou o túmulo e as amarras para cumprir, com fidelidade, a missão que o Pai lhe confiara. Antes mesmo de pensar em ser melhor por algo ou alguém, precisamos pensar em ser, no mínimo, inteiramente consagrados ao Senhor. Para que possamos vivenciar inúmeras alegrias neste ano e durante toda a vida, precisamos permitir que o Senhor aja através de nós, permitir que a vontade do Senhor se realize. Somente abandonando as amarras, o que é velho, poderemos nos abrir à nova vida que Jesus nos traz. Como começar? Com um sorriso, um  abraço, sendo você mesmo onde quer que você esteja. O Senhor tem para nós uma vida nova, e para que ela possa ser testemunhada, você só precisa aceitar.

Como este é o nosso último diálogo do ano, desejo felicidades, e que neste ano que se anuncia nós possamos vivenciar, sinceramente, todas as graças que o Pai nos prepara.

Grandioso abraço!

Heitor A. Pereira
Leia Mais

Está cansado? Abandone-se em Jesus!


Olá, amados irmãos!

Mais uma vez estamos aqui no blog "A Boa Semente" para refletirmos sobre a Palavra de Deus para nós.

A passagem do Evangelho de hoje está em Mateus 11: 28-30. É uma passagem curtinha, mas com uma beleza e uma profundidade muito grandes.

Hoje Jesus vem nos falar que nEle encontramos refúgio, encontramos descanso. E isso é tão real para aqueles que crêem nessa palavra, que parece indescritível... bom mesmo é poder viver esse descanso em Deus.

Digo isso porque é exatamente o que estou vivendo agora: depois de um dia intenso de trabalho, depois de ir à novena de natal, mesmo sem tomar banho, cá estou para ler e refletir sobre a Palavra de Deus. E como é boa a sensação de poder descansar espiritualmente nos braços de Jesus nesse momento... quanta paz!

Ainda ontem na novena de natal, refletíamos sobre a questão dos frutos da conversão. E eu manifestei naquele momento que, a meu ver, um dos grandes frutos da conversão é a certeza de não estar sozinho, é a certeza de que Jesus está caminhando junto conosco, nos fortalecendo, nos dando o descanso, nos dando paz e confiança de que tudo está em Suas mãos.

Estamos no tempo do Advento, tempo de conversão. E a conversão nada mais é do que voltar-se para Deus, fixar os olhos nEle e seguir em Sua direção. Nessa caminhada, o Senhor nos acompanha e nos segura nos momentos mais difíceis, por isso nEle encontramos esse refúgio, essa fortaleza, esse descanso.

Como é bom caminhar lado a lado com Jesus! Como é bom contar com a intercessão e com os exemplos de fé e fidelidade de Nossa Senhora! Como é bom ser igreja!

Se você se sente cansado e fatigado, se você sente que seus problemas estão além de suas forças, tente olhar agora para a cruz de Cristo e perceba que Ele sofreu por você, em expiação aos nossos pecados! Portanto, não há nada impossível para Deus! Ele é a nossa força!

A paz de Jesus esteja em nossos corações! Amém!

Anaíle Flores de Paula
Grupo de Oração Semeador
Leia Mais

Não podemos servir a Deus e ao dinheiro!


A passagem do evangelho segundo São João (capítulo 2, versículos 13-22), nesta quarta-feira, fala sobre a atitude de Jesus de expulsar os vendilhões do templo.

A meu ver, esta é uma passagem bastante difícil de se analisar, porque é complicado imaginar Jesus nervoso, expulsando pessoas, derrubando mesas de cambistas e tudo mais. Mas como a própria Palavra diz: "O zelo por tua casa me consumirá", e foi este zelo que levou Jesus àquela atitude.

Cristo foi contra o costume dos judeus de venderem animais na porta do templo para serem sacrificados, além de outras práticas comerciais que eram realizadas na época, num local que deveria ser usado somente para a adoração a Deus.

Queridos, misturar dinheiro e religião é sempre algo polêmico. É óbvio que toda religião precisa de dinheiro para se sustentar, para pagar suas despesas diárias, para levantar seus templos, para ajudar aos mais necessitados que batem à sua porta. Mas o problema começa quando se extrapola os limites do necessário. Como a própria Campanha da Fraternidade nos ensinou no ano de 2010, não podemos servir a Deus e ao dinheiro. Portanto, o dinheiro não pode ser buscado a qualquer custo por nenhum cristão, como se fosse a sua própria felicidade, muito menos pode ser um objetivo de uma organização religiosa, como infelizmente vemos por aí.

Dessa forma, com a expulsão dos vendilhões do templo, Jesus quis mostrar que a religião não pode ser usada para obtenção de lucro! A religião existe para levar pessoas para mais perto de Deus! Jesus quis mostrar que as práticas dos judeus da época estavam erradas e Ele veio ao mundo justamente para denunciar o pecado e se entregar em favor dos pecadores. Por isso Ele disse que destruiu aquele templo e o levantaria em 3 dias: para mostrar que o verdadeiro templo é Cristo ressuscitado, e através dEle fomos redimidos.

Hoje também nós somos todos templos de Deus Pai, do Filho Redentor e do Espírito Santo. Portanto, cuidado com o que você faz com sua vida, pois dentro de você há alguém muito importante e especial.

Da mesma maneira, devemos ter cuidado com o que fazemos com as outras pessoas, com os nossos irmãos, pois também eles são templos do Santo Espírito, e nada desagrada mais o Pai do que ver seu filho ser maltratado, assim como, se agradamos e fazemos o bem a um filho de Deus, também estamos agradando ao Pai.

Pensemos nisto, meus irmãos! Cuidemo-nos uns dos outros, como Cristo cuida de cada um de nós e sejamos, sempre, verdadeiros adoradores!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador Inhumas/GO
Leia Mais

Servir Humildemente


Amados, bom dia!!

Iniciemos a nossa reflexão do Evangelho.

O Senhor nos ama (muito) e nos confia a missão de sermos anunciadores, certo? Sim! Somos chamados a ser anunciadores da palavra de salvação que só o Senhor tem para nós. Somos chamados a servir, sempre. 

Estar a serviço do reino não faz de nós seres superiores. O Senhor, como já vimos, ama a todos, igualmente e incondicionalmente. Eis o erro com o qual sempre nos deparamos na caminhada cristã: nos vemos como superiores. 

Como? 

Quem nunca ouviu, em algum momento, alguém dizer: "Não faço isso, pois sou da Igreja (...)" ou "Viu o que eu fiz/faço? Eu coordeno (...)." Muitos são os servos que se deixam levar pela vaidade, pelo autoritarismo. Somos servos, não? Devemos agir com humildade, com a confiança depositada no Senhor, e não em nossas próprias palavras ou atitudes. 

Nenhum valor terá nossa caminhada se fizermos dela um instrumento de repressão de novos servos, transformarmos nossa "experiência" num elemento de coerção utilizado por nós para afastar quaisquer pessoas que queiram transformar a fé em obras. 

Somos convidados a servir. Sim! Não há nada mais gratificante que o serviço, a doação à Deus. Como o Senhor nos diz: (Sb 2,23-3,9) 

"9Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que perseveram no amor ficarão junto dele, porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos. " 

Sejamos, sempre, acolhedores. Que saibamos servir de bom coração, pois somente através da doação seremos dignos do banquete que o Senhor nos prepara, na eternidade.

Grande abraço!!

Heitor A. Pereira
Leia Mais

AMOR à obra de Deus


Olá!!!

Vamos ler a Palavra de Deus e refletir sobre ela? É só clicar aqui para ler e depois refletir junto comigo!

Na passagem do Evangelho de São Lucas, proposto para esta sexta-feira, vemos que Jesus foi à montanha para rezar, e ali passou a noite toda em comunhão com Deus. Depois, ao amanhecer, desceu a montanha, onde muitos vinham ao seu encontro para ouvirem a Sua palavra e para serem curados e libertados.

A Palavra no diz que "A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos." E que força era essa, meus irmãos? Era a força do amor! Era a unção do Espírito de Deus que era transmitida a todos pelo simples toque em Jesus.

Todos nós conhecemos a passagem no evangelho segundo São João 14: 12, em que Jesus nos diz: "Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai."

No entanto, nem sempre é isso que acontece conosco, não é verdade? Muitas vezes não conseguimos realizar a vontade de Deus, não conseguimos servi-Lo como deveríamos. Por quê? Acredito que o que falta para nós é ter mais AMOR à obra de Deus, mais zelo, mais perserverança... é necessário subirmos a montanha para orar! O que isso significa? Significa ter ânimo para deixar tudo que se tem para fazer, parar um pouco, e orar, com muita fé. É necessário tirar um tempo para se dedicar inteiramente a Deus, ainda que seja um tempo pequeno, mas que seja só para Deus...

O amor transforma tudo, meus irmãos! Mesmo quando estamos cansados, abatidos, se servimos com amor, a obra de Deus acontece, porque Ele é o próprio amor. E aí acontecem as curas e milagres, porque é Ele que está presente, transformando as nossas vidas.

Portanto, que neste dia e neste fim de semana que está quase se iniciando, possamos refletir continuamente sobre esse SERVIR COM AMOR. Tudo que fazemos sem amor, sai mal feito... se fazemos para Deus, que nos ama incondicionalmente, mais ainda devemos fazê-lo com toda a dedicação e amor que há dentro de nós.

Que o Espírito Santo seja derramado em nossos corações!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Grupo de Oração Semeador
Inhumas/GO
Leia Mais

Perseverar e Anunciar


Muito bom dia, meus queridos!

Hoje, no trecho do Evangelho Segundo São Lucas, o Senhor, mais uma vez, nos revela a missão à qual fomos confiados. Ao comparar o Reino a uma semente de mostarda, tão pequena, Jesus nos revela a grandiosidade da missão, a importância do anúncio constante, para que a sementinha possa germinar e crescer, muito.

Somos bombardeados todos os dias por anúncios publicitários, vozes e imagens que tem o intuito de transformar aquele anúncio num desejo comum à maioria daqueles o ouviram/viram. São tão persuasivos que, às vezes, nos flagramos cantando seus "jingles"... Precisamos ser firmes, persuasivos, também no anúncio do Reino. Não basta somente dizer o quanto ser tem fé, ou que o que importa é a participação, mas a perseverança é necessária, para que a semente possa germinar e crescer segura e visível a todos.

Jesus nos confiou a missão de ser fermento. Como vimos no trecho do Evangelho, o fermento deve se misturar à massa até que haja uma mistura homogênea, uniforme. Viver constantemente aquilo que o Senhor ensina, recomenda, é o modo pelo qual conseguiremos fazer com que o anúncio salvador seja feito sempre, para que mais e mais pessoas tenham conhecimento do Amor, da Misericórdia.

Se nos deixamos iludir por tantas propagandas e anúncios, como não permitimos também que a Palavra seja para nós motivo de mudança de atitudes e algo a ser repetido e anunciado como algo realmente valoroso? O que Deus quer de nós é a nossa fidelidade, nossa constância.

Sejamos sinceros conosco e com o Senhor, que confia em nós. Que possamos permitir que a semente, mesmo pequenina, germine e possa frutificar. Que sejamos fermento no mundo, permitindo que mais e mais pessoas conheçam àquele que nos salvou.

Santo Antônio de Sant'Anna Galvão, rogai por nós!

Grande abraço!!!

Heitor A. Pereira
Leia Mais

Coragem!

Muito bom dia, amados irmãos!

Lc 10,1-9

Hoje, dia de São Lucas Evangelista, o Senhor nos convoca à missão de um modo muito veemente, desde a leitura da Carta de São Paulo a Timóteo , dizendo:


" 7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez mas de fortaleza, de amor e sobriedade. 8Não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus."

De fato, o Senhor não nos deu um Espírito de timidez, mas de coragem, ação! Ao convocar os discípulos e enviá-los à missão, Jesus confia a eles muito mais do que o anúncio da Palavra, mas a responsabilidade de transformar os Seus ensinamentos em motivo de conversão para aqueles que os conhecessem. 

Porém, por muitas vezes nos deixamos levar pelo sentimento de inutilidade, pelo desespero, pelo medo... Nos esquecemos que Jesus confiou a todos nós a missão de cuidar de Sua messe, que é muito grande. Todas as vezes que nos deixamos levar pelo desânimo, pelas acomodações propostas pelo demônio, nos colocamos como fracos, como trabalhadores que não merecem o trabalho que o próprio Senhor nos confiou. Ora, se Jesus nos confia esta missão, com certeza Ele sabe que podemos cumpri-la! O desânimo não cabe a nós. Já não somos aqueles que andavam perdidos, pois o Senhor nos acolheu, nos preparou para que, assim como fomos buscados por algum servo, possamos buscar e tornar viva a fé daqueles que não acreditam em si, fazer tudo isso iluminados pelo Espírito de Fortaleza, Amor e Sobriedade.

Sejamos, sim, verdadeiros anunciadores corajosos da Palavra. Que a exemplo de São Lucas, possamos anunciar a Verdade do Evangelho, o Amor presente, que é o próprio Jesus.

Grande abraço!!


Heitor A. Pereira
Leia Mais

Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus



Muito bom dia, meus amigos!

A paz do Senhor esteja sempre com todos nós!

Na passagem de hoje, no evangelho de Mateus 22, 15-22, os fariseus se ajuntaram aos herodianos para preparar uma armadilha para Jesus. Inventaram uma pergunta na qual qualquer resposta ofenderia alguém e causaria uma enorme confusão. Entretanto, com a enorme sabedoria de nosso senhor Jesus Cristo, tal armadilha serviu de grande ensinamento a ser utilizado principalmente nos dias de hoje.

É lícito pagar impostos ao governo romano?

Essa pergunta poderia ser colocada da seguinte forma: O que é de César e o que é de Deus? Fariseus e herodianos eram as lideranças locais nos povoados da Galiléia. Bem antes, eles já tinham decidido matar Jesus (Mc 3,6). Agora, a mando dos Sacerdotes e Anciãos, eles querem saber de Jesus se ele é a favor ou contra o pagamento do imposto aos romanos, a César.

Pergunta esperta, cheia de malícia! Sob a aparência de fidelidade à lei de Deus, buscam motivos para poder acusá-lo. Se Jesus dissesse: “Deve-se pagar!”, poderiam acusá-lo junto ao povo como amigo dos romanos. Se ele dissesse: “Não se deve pagar!”, poderiam acusá-lo junto às autoridades romanas como subversivo.

“Dai, pois, a César o que é de César" : A moeda com a imagem de César.

“Dêem a Deus o que é de Deus!”, isto é, pratiquem a justiça e a honestidade conforme o exige a Lei de Deus, pois pela hipocrisia vocês estão negando a Deus o que lhe é devido.

 Louve-mos ao senhor, para nos dar sabedoria e discernimento, para separar-mos o que é de César e o que é de Deus!

 Marcos Melo
Leia Mais

Purificar Nossos Corações


Bom dia, amados!

É com grande alegria que, prestes a celebrar a festa de nossa mãe, Nossa Senhora Aparecida, estamos aqui hoje refletindo aquilo que o Senhor nos diz. 

É interessante e necessário, antes de mais nada, recordarmos o que o Senhor nos diz na primeira Leitura deste dia, da Carta de São Paulo aos Romanos (1, 16-25), onde, de um modo muito claro somos exortados, direcionados a viver  a unidade na fé, sem que criemos ídolos, pois o lugar de destaque, único, é do Senhor. Isso já nos remete àquela errônea ideia de que os Santos da nossa Igreja são colocados por nós num lugar acima de Deus. Como disse, é uma ideia errônea, pois os Santos (que não cessam de interceder por nós) são mediadores, aqueles que se tornaram exemplos de fé e modelos de fraternidade cristã.

No trecho do Evangelho segundo São Lucas (11, 37-41), nos deparamos com uma comparação simples, porém, de um significado extraordinário. Ao sentar-se à mesa com um fariseu para tomar sua refeição, Jesus não deixa de observar a maneira com que o fariseu se prepara para a refeição, assim como o fariseu se espanta, ao ver que o cuidado que ele tinha na preparação não existia em Jesus. O Senhor transforma estas constatações em ensinamentos, pois o fariseu temia as impurezas que ele poderia ingerir, sendo que as maiores impurezas já estão presentes em seu coração e não dependem, em momento algum, daquilo que ele ingerir ou não.

A nossa caminhada reflete muito bem esta realidade. Somos cercados pelo medo constante... Nossos pais e avós cultivaram em nós o medo, na tentativa de nos preparar para o que pudéssemos encontrar: "Não faça isso, pois Deus castiga", "(...) o Papai do Céu não gosta, e vai fazer (...)". Acabamos guardando estas maneiras de "fugir dos perigos" conosco. Se estamos vivos somos sujeitos a pecar, errar... Não são condições externas que nos levarão ao pecado. Elas podem até nos influenciar, mas o pecado (para que seja pecado) depende da nossa consciência e vontade.

Estar num determinado lugar ou conviver com alguma pessoa, por exemplo, não quer dizer que isso seja um pecado, um erro. Estar enclausurado, longe de tudo e todos também não quer dizer que não se possa pecar, errar. 

Jesus nos diz que, antes de mais nada, precisamos nos preocupar com o que há dentro de nós. O nosso maior tesouro é o nosso coração, e se em algum momento este tesouro se manchar e toda a sua beleza estiver escondida em meio às impurezas, cabe a nós a redescoberta de seus valores inestimáveis.

Que possamos estar atentos à nossa realidade, nossos desejos e ações, para que não criemos para nós ilusões e possamos encontrar a riqueza na simplicidade e no amor.

Grande e caloroso abraço!

Heitor Amaral
Leia Mais

Pai Nosso


Bom dia, filhos de Deus!

Vamos ler a Bíblia? Clique aqui e veja a passagem do evangelho desta quarta-feira...

Hoje Jesus vem nos ensinar a rezar como convém, assim como ensinou aos seus discípulos. Esta é a passagem em que Jesus ensina a oração do "Pai Nosso". É uma oração extremamente profunda, que às vezes rezamos sem refletir bem, no módulo "automático", mas não é isso que Deus deseja de nós. Ele deseja uma oração sincera... Então, vamos por partes?

"Pai, santificado seja o teu nome." Primeiramente, Jesus nos ensina a exaltar, respeitar e honrar o nome de Deus, que é o criador de tudo e de todos; Ele nos ensina que não devemos colocar o nome de Deus em vão, porque Ele é Santo e digno de todo louvor e adoração. Quantas vezes profanamos o nome de Deus em piadinhas e brincadeiras, que parecem inocentes, porém, desagradam o Senhor.

"Venha o teu reino." Nesta parte, Jesus nos ensina a desejar o Reino dos Céus, porque foi para isso que fomos criados. Não somos deste mundo, aqui estamos como peregrinos rumo à nova Jerusalém. Portanto, devemos desejar e buscar as coisas do alto, e nos desprender dos prazeres passageiros deste mundo.

"Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos..." Aqui Jesus quer nos ensinar a ser dependentes do Pai, porque Ele sabe de tudo de que necessitamos. Não devemos ter preocupações exageradas, ficar juntando riquezas materiais, apegados ao dinheiro. Deus providencia tudo que precisamos, cuida de nós, porque Ele nos ama. Devemos confiar n'Ele, buscá-Lo em primeiro lugar e tudo o mais nos será acrescentado.

"...e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores..." Aqui está, na minha opinião, a parte em que mais caímos. Perdoar... um ato de amor, de quebra de orgulho e egoísmo, tão difícil ao coração humano. Jesus nos ensina a pedir o perdão do Pai pelas nossas falhas, da mesma forma que perdoamos àqueles que nos ofendem. O grande problema é que sempre queremos que Deus nos perdoe, mas nunca queremos nos perdoar uns aos outros. Queremos que Deus seja misericordioso conosco, mas não o somos com quem está ao nosso redor. E Jesus nos ensina a pedir ao Pai que aja conosco da mesma forma que agimos com as outras pessoas... Será que temos sido merecedores de perdão?

"... e não nos deixes cair em tentação." Por fim, Jesus nos ensina a pedir a proteção do Pai, pois Ele tudo pode. Sabemos muito bem que o "encardido", como dizia o Pe. Leo, quer a todo momento nos tentar, nos fazer sair do caminho de retidão com Cristo. Portanto, precisamos pedir forças para Deus, para que saibamos discernir as ciladas e sermos firmes na nossa caminhada.

Agora que já refletimos sobre cada parte desta oração tão profunda e importante, que o próprio Jesus nos ensina, pare por um minutinho e reze o "Pai Nosso"... mas rezemos de uma maneira diferente: mais atentos, mais conscientes do que estamos falando e com muito mais fé. É isso que Jesus quer de nós neste dia...

Que o nosso Pai esteja nos abençoando e nos protegendo em cada momento de nossas vidas!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Leia Mais

Escolher a Melhor Parte



Muito bom dia, meus amigos!

Que bom podermos nos encontrar aqui novamente para partilharmos do alimento diário para nossa alma: a Palavra do Senhor. Hoje então partilharemos sobre a passagem do evangelho segundo São Lucas, capítulo 10, vs. 38-42.

Particularmente falando, a passagem de hoje sempre me fez refletir muito a respeito do que seria ser "escolher a melhor parte", conforme Jesus disse à Marta, quando essa insistia que Jesus pedisse a sua irmã para ajudá-la no serviço braçal de sua casa...

Geralmente nos preocupamos muito mesmo em relação a como servir melhor na messe do reino de Deus. Preocupamo-nos em como pregar melhor, como movimentar nossa comunidade ou grupo de oração, como fazer com que aquele evento seja maravilhoso e inesquecível e, quanto mais nos preocupamos com tais coisas, geralmente nos esquecemos que precisamos ouvir do próprio Senhor o que Ele espera que façamos.

Sabe, é uma questão até mesmo de lógica. A maioria de nós nos auto-denominamos como servos do Senhor. Vestimos a camiseta de discípulo, de apóstolo e queremos mudar o mundo com nossa pregação, com nosso testemunho, com nossas ideias e com tudo aquilo que ficamos a defender.

Porém, muitas vezes acabamos defendendo, na verdade, nossas próprias ideias e acabamos querendo provar para as pessoas que nossos projetos, nossos serviços, nossa entrega de vida são bons o suficiente para que possamos arrastar outras pessoas pela mesma coisa ou intenção.

Quero fazer uma pergunta incisiva nesse momento: são os projetos de Jesus ou os seus próprios projetos que você tem defendido? São projetos que nasceram em sua mente depois de muita análise ou foram direcionamentos recebidos a partir de momentos de experiência espiritual, aos pés de Jesus?

Meus amigos, como vimos no evangelho de hoje, não irá adiantar muita coisa se nos colocarmos a fazer tudo quanto é espécie de serviço, até mesmo dentro da igreja, se o direcionamento para fazer tal coisa não tiver vindo, realmente, de Jesus.

É lógico que Marta estava cheia de boas intenções e até se sentiu injustiçada porque ela estava fazendo o serviço tod sozinha...

Interessante, né? Será que você já ouviu falar de alguém que se sentiu muito injustiçado porque acabou tendo a sensação de fazer todo o serviço do grupo de oração ou da comunidade sozinho(a)?

Eu insisto em dizer que a melhor parte que podemos escolher será, sempre, dedicarmos parte de nosso dia para ficarmos aos pés de Jesus e ficarmos verdadeiramente íntimos de Jesus.

Para quem conhece um pouco de bíblia, sabe muito bem que quando o irmão de Marta e Maria morreu, as duas acabaram dizendo a mesma coisa, exatamente a mesma frase. Porém, sabemos muito bem que a intimidade que Maria gerou aos pés de Jesus fez com que suas palavras tocassem profundamente o coração do Senhor, com sua sinceridade, a ponto de fazer com que lágrimas escorressem pelo rosto de Jesus.

Somente aos pés de Jesus você descobrirá o que realmente Ele espera que você faça, pois Ele próprio dirá a você a partir de visualizações, de palavras bíblicas ou outra maneira profética.

Quer experimentar? Que tal começar por agora?

Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Deus em primeiro lugar!


Bom dia!

Continuamos hoje a refletir sobre o caminho de Jesus rumo a Jerusalém, tendo em vista que a passagem do Evangelho de hoje é a continuação da passagem de ontem. Você já fez a leitura? Então, vamos refletir juntos!

Como o Heitor Amaral disse ontem, Jesus estava a caminho de Jerusalém, sabendo que lá seria recebido primeiramente com palmas, depois seria humilhado e crucificado e, então, ressuscitaria, para a glória do Pai. Nesse caminho, algumas pessoas O seguiam, dizendo que iriam aonde quer que Ele fosse.

Jesus alertava de que Ele não tinha sequer onde "repousar a cabeça"; portanto, quem quisesse segui-Lo deveria ter a consciência de que Ele não tinha nada de material para oferecer, porém, tinha a maior riqueza espiritual que poderia oferecer a alguém.

Certo de que o que Ele tinha para ofertar era maior do que qualquer coisa, Jesus chamava alguns para segui-Lo. No entanto, um pediu para ir primeiro enterrar seu pai, o outro pediu primeiro para se despedir de sua família... Vê-se que as pessoas ainda estavam muito apegadas às suas vidas, às suas famílias.

De forma alguma Jesus quis desmerecer a família, meus irmãos! A família é a "menina dos olhos" de Deus, porque é na família que aprendemos a ser gente, que somos evangelizados em primeiro lugar, que aprendemos o valor do perdão e a importância de amar. Porém, não podemos ser apegados a nenhum bem material nem mesmo a nenhuma pessoa, ainda que seja uma pessoa da família. Porque Deus deve estar em primeiro lugar nas nossas vidas!

Muitas pessoas deixam de servir a Deus porque dizem que não têm tempo, que têm cuidar da família e tudo mais. Essas pessoas acabam colocando a família no trono que é de Deus, endeusando os filhos, o marido, a esposa, colocando a família acima de Deus. Esquecem-se de que o maior presente que podem dar à sua própria família é exatamente ser uma pessoa de Deus, é ser um servo, alguém que ora e que é capaz de levar os seus familiares também para mais próximos de Deus.

Portanto, irmãos, devemos sempre nos lembrar de que o primeiro mandamento é: "Amar a Deus sobre todas as coisas". Isso significa colocar Deus em primeiro lugar e não colocar as pessoas como "desculpa" para não servi-Lo. Devemos ter um equilíbrio: tempo para cuidar da casa, dos filhos, do esposo, tempo para trabalhar, tempo para descansar, mas também ter tempo para servir a Deus! Afinal, é um absurdo arrumarmos tempo para tudo na vida, e não conseguirmos reservar nenhum tempo para o Senhor, que é o Autor da nossa vida, o grande motivo de nossa existência.

Que possamos refletir hoje então sobre quanto tempo de nosso dia estamos reservando para Deus! Será que temos sido capazes de doar 1 hora do nosso dia que tem outras 23 para outras coisas? Será que temos doado pelo menos 15 minutos? Ou será que não temos oferecido nada do nosso tempo para Deus?

Que o Espírito Santo ilumine nossa reflexão e nos toque para fazer a vontade do Pai, sempre!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador
Inhumas/GO
Leia Mais

Caminhando Para Jerusalém


Meus irmãos, bom dia!

Com muita alegria façamos a nossa reflexão, pois, como vimos neste trecho do Evangelho segundo São Lucas, é necessário que a caminhada aconteça, passo a passo. 

Jesus, como vimos, estava a caminho de Jerusalém. Lá seria, primeiramente, exaltado, recebido em meio a cânticos e gritos: "Hosana!". Mas logo em seguida, seria traído, preso, condenado, açoitado, corado, humilhado e, finalmente, crucificado. Jerusalém também foi o palco da cena que fundamenta a nossa fé: a Ressurreição. Jesus tinha pleno conhecimento de todos estes fatos que estavam prestes a acontecer. O mistério da salvação dependia destes fatos. Jesus, com todo o Amor e consciente da missão que o Pai lhe confiara, segue em direção àquela cidade que se transformará no altar do sacrifício do Cordeiro.

"51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém"

Partir para Jerusalém não era uma simples decisão. Não o fazendo, Jesus daria um ponto final à nossa história. Ele precisava fazê-lo para que a missão fosse cumprida da maneira que o Pai o havia confiado.

Jesus confiou. Ele poderia ter seguido por outros caminhos, os apóstolos poderiam ter optado por ficar em seus locais de origem, mas não o fizeram. Colocaram-se a caminhar. O pó da estrada que se acumulava sobre cada um era o prenúncio de que a missão ainda se iniciava. Desistir? Jesus pensou em deixar tudo, pedindo ao Pai que o afastasse do cálice da crucificação, porém, antes mesmo de se deixar levar pelo medo, pediu que a vontade do Pai fosse realizada. Os apóstolos, mesmo depois de fugirem, se esconderem (com exceção de João), retornaram para que a missão de edificar a Igreja de Jesus fosse cumprida.

E quanto a nós? 

Vivemos num mundo cheio de contradições, contratempos... Deixaremos que isto nos impeça de viver aquilo que o próprio Deus designou para nós? Deixaremos de caminhar? Não podemos deixar  que as dificuldades deste mundo nos impeçam de saborear as graças do céu. O Senhor nos molda, nos prepara... Como diamantes, seremos lapidados. A caminhada exige que tomemos uma decisão, apenas. Se confiarmos, desejarmos, o Senhor nos fará vencedores. Assim como Jerusalém foi o palco da grande Vitória sobre a morte, a Nova Jerusalém nos espera para que ela seja palco da eterna alegria de viver com o Senhor. Basta confiar, e caminhar!

Grande abraço!


Heitor A. Pereira
Leia Mais

Corações abertos para seguir Jesus


Olá!!!

Vamos ler a Bíblia e refletir sobre a Palavra viva de Deus para nós?

A passagem do Evangelho de hoje está no livro de São Mateus, capítulo 9, versículos de 9 a 13.

Nesta passagem, Jesus é questionado por estar comendo com os "pecadores". Naquela época, o ato de sentar-se à mesa com alguém era algo tido como sagrado. Escolhia-se muito bem com quem se sentar à mesa... E Jesus estava sentado com cobradores de impostos, que eram muito mal vistos pelos judeus, e com outras pessoas que eram consideradas "pecadoras", ou seja, eram marginalizadas.

Então, os fariseus se escandalizam com essa atitude, porque para eles o bom judeu deveria estar no meio das pessoas mais bem vistas da sociedade, não no meio dos marginalizados.

E Jesus responde a eles: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes." Esta mensagem é tão clara, que nem preciso dizer muito... Jesus veio para salvar quem estava perdido, para exaltar os humilhados, para confundir os fortes estando no meio dos "fracos". Ele nasceu de uma família pobre, sem "status", quis escolher como discípulos pessoas extremamente simples, sem estudos, consideradas como "pecadoras" e excluídas por causa disso... Simplesmente porque essas pessoas eram as que tinham o coração mais aberto e cheios de FÉ.

Jesus quer mostrar que a vontade de Deus é que ninguém seja discriminado ou marginalizado por sua posição social, por sua aparência, por seu grau de estudo. Jesus quer mostrar a todos que o mais importante é o que está dentro do coração, não o que está perceptível a nossos olhos humanos.

O que Deus quer de nós, meus irmãos, é um coração aberto, de carne, não de pedra. Ou seja, um coração misericordioso, capaz de se importar com as mazelas de quem está do nosso lado, capaz de se compadecer diante da dor do irmão e de se doar para promover o bem a todos que estão à nossa volta. Um coração capaz de sair do próprio comodismo, do individualismo e desejoso de praticar as mesmas obras que Cristo praticou. Afinal, ser cristão é exatamente isto: amar como Jesus amou, sorrir como Jesus sorriu, servir como Jesus serviu, enfim, viver como Jesus viveu.

Jesus nos chama a todo instante: "Segue-me!" Por mais que nos sintamos indignos, pecadores, incapazes, nada disso importa para Ele. O que importa é apenas a nossa abertura de coração e a nossa fé.

Você é cristão? Mostre isso ao mundo! A lâmpada não existe para ficar escondida, mas sim para ficar sobre a mesa, iluminando tudo que está à sua volta... Você e eu somos este feixe da luz de Deus que precisa atingir o coração de muitos que ainda caminham longe do amor do Pai...

Deus abençoe nossa caminhada! Amém!

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador
Inhumas/GO
Leia Mais

Ouvir e Praticar



Amados, bom dia!

Quando nos deparamos com este trecho do Evangelho, instantaneamente imaginamos, da parte de Jesus, uma cena de repúdio à sua família. Ora, Ele é o Amor, então como poderia desprezar aquela que o teve em seu ventre e que tanto o amava? Jesus jamais agiria desta forma. Precisamos refletir cada palavra deste trecho do Evangelho para que descubramos o segredo desta mensagem.

No versículo 21, Jesus deixa claro que aqueles que ouvem e praticam a Palavra serão chamados filhos de Deus e, logo, seus irmãos. Maria, ao dizer SIM à vontade de Deus já era praticante da palavra, logo, fazia jus àquela missão que lhe fora confiada. Neste contexto se resume toda a reflexão. Quer ser chamado(a) filho(a) de Deus? Então, com sinceridade, pratique aquilo que pregar.

"21Jesus respondeu: 'Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática'."

Não podemos nos iludir e deixar que tudo se perca. Seria muito fácil ser cristão se isso se resumisse apenas à participação dominical na Missa. Doar uma ou duas horas da semana é relativamente fácil. Mas não é o bastante. Talvez você se coloque a serviço da comunidade e, sempre que possível, realiza trabalhos em favor de pessoas necessitadas, talvez você participe da Missa com frequência, talvez você faça o que muitos não fazem e imagine estar fazendo muito, mas acredite: tudo isso não é suficiente. Precisamos deixar cair as máscaras que nós mesmos criamos, ser mais sinceros conosco e com Deus. A ação do cristão é nula se esta não for acompanhada de uma vida de oração. Como? Mantendo diálogos com  o Senhor, fazendo da vida uma oração constante. Todo momento é oportuno. 

Se quisermos ser chamados de filhos de Deus, irmãos de Jesus, precisamos nos transformar, fazer com que  a nossa vida seja transformada em testemunho. Sem vaidade, apenas o desejo de fazer a vontade do Pai, pois somente desta foram poderemos ser contados entre aqueles que "ouvem a palavra de Deus, e a põem em prática".

Grande abraço!



Heitor A. Pereira
Leia Mais

As discípulas de Jesus



O evangelho de hoje está em Lucas 8,1-3 e narra a presença das mulheres ao redor de Jesus.

Este evangelho menciona várias mulheres que foram curadas e que por amor e gratidão seguiam Jesus. Estavam ao lado do mestre para da maneira que pudessem dar o apoio necessário. Entre elas percebemos a presença de mulheres muito ricas e de grande importância como Joana, mulher de Cuza funcionário de grande prestigio de Herodes.

As mulheres na caminhada de Jesus tiveram papel de estrema importância; ambas ajudavam Jesus e seus discípulos com seus bens que possuíam, dando o sustento para a obra de Deus.

Normalmente a mulher é mais dócil a presença de Deus, aceita com mais facilidade a renuncia que Deus exige de cada um para que a cura ocorra, é também importante mencionar que ela não se intimida em demonstrar gratidão a Deus, costuma não ter o coração de pedra.

É importante lembrarmos que na época de Jesus as mulheres eram discriminadas e vista como um objeto de procriação ou do lar. Jesus não as discriminava, encontravam elas algo novo, palavras que exaltavam que as faziam sentirem-se como dignas das promessas e tendo parte do reino de Deus. A gratidão era tamanha que elas o seguiam onde fosse, o escutava e aprendia com Ele.

Temos muitas mulheres hoje que são dóceis a Deus, quantos testemunhos ouvimos de mulheres que converteram suas famílias pela oração e a fé. Estamos rodeados de mulheres cheias de gratidão a Deus; podem estar disfarçadas de: mães, esposas, irmãs, sogras, religiosas e outras mais.

O fato é que vivemos em um mundo que banaliza o amor a Deus, e às vezes ainda banaliza também o respeito verdadeiro a Mulher. Em conseqüência disso não percebemos quanto devemos as mulheres que seguiram Jesus.

Assim devemos agradecer a cada dia por Deus ter colocado muitas mulheres cheias de fé, para sustentar muitos esposos, filhos, irmãos e entre outros no caminho da salvação. Se você que lê esta mensagem é uma mulher deste jeito, parabéns! Continue firme! Se não, te convido a se inspirar em uma das mulheres citadas acima. O mundo precisa de homens e mulheres que sigam a Jesus aonde ele for. Vamos segui-lo sem medo!
Leia Mais

Chamados à Vida




Muito bom dia, meus queridos!

Hoje o Senhor nos convida a ser diferentes. Como?

Como no trecho do Evangelho segundo São Lucas, estamos como mortos... Isso mesmo! Se permitimos que tantas atrocidades aconteçam é porque estamos mortos espiritualmente. E, acredite, esta morte é ainda pior que a morte física, pois continuamos vivenciando estes acontecimentos, mas inertes.

A principal diferença é que, no fato narrado, Jesus se compadeceu depois de se deparar com o cortejo fúnebre, e, conosco, Ele foi a vítima. Esta é o grande segredo: se Jesus foi a vítima, aquele que sofreu fisicamente as consequências de nossos atos, então que motivos nos levam a agir como mortos, mortos espirituais? Como poderemos fazer com que nossas ações sejam transformadas, a ponto de deixarmos de lado este espírito de acomodação e partirmos para a ação, o anúncio? A receita já nos foi dada. Aquele jovem se levantou assim que o chamado de Jesus chegou aos seus ouvidos, assim como Lázaro, que já estava morto há quatro dias. Se recorda? Jo 11,1-44. Eles atenderam ao chamado de Jesus à vida.

O Senhor veio e nos fez o chamado, há mais de vinte séculos. E este chamado é ainda mais atual a cada dia que passa. Os apóstolos prosseguiram com a missão de anunciar o Evangelho a todos os povos, perpetuar a Eucaristia, anunciar. Nós somos frutos das sementes lançadas pelo próprio Jesus às mãos dos apóstolos, para que estes dessem continuidade ao "plantio". Se somos chamados à vida, então, vivamos!!! Deixemos a as amarras, a acomodação. Jesus nos espera, quer que sejamos firmes. É por isso que este chamado se torna atual a cada dia, pois o Amor de Deus é imutável e incondicional.
Então, vamos todos atender ao chamado de Cristo: "EU TE ORDENO: LEVANTA-TE!"

Grande abraço!


Heitor A. Pereira
Leia Mais

Construir a Casa Sobre a Rocha

              
Muito bom dia, meus amigos!
               
Vocês não têm noção da alegria que sinto cada vez que vejo que o sábado chegou... novo dia para banquete espiritual na missa e, mais uma vez, reencontrar meus amigos na nossa reunião do grupo de oração.
                 
Olha... muito densa... muito importante e essencial essa nossa passagem de hoje! É interessante como Jesus fez com que no decorrer da semana refletíssemos sobre a necessidade de buscarmos fortalecer o ser espiritual que existe em cada um de nós. E é importante termos sempre essa noção e, a exemplo do que a Jordana nos disse ontem, enxergarmos além do que os olhos materiais podem ver.
                     
Quando li o evangelho para começar a refletir sobre ele, tenho que confessar que fiquei meio com medo de não conseguir me expressar da maneira correta, pelo fato de tantas passagens importantes em um único e pequeno trecho do evangelho. Então fui tomar banho e conversar com Deus... e senti Ele, mais uma vez, agindo em minha vida.
                         
Meus amigos, dentre as principais mensagens no Evangelho de hoje, podemos destacar:
  • Conhecemos se uma pessoa é boa ou má, se é de Deus ou não, a partir de seus atos: "não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons";
  • Uma maneira que facilmente podemos identificar pessoas espirituais é através da verdade mostrada por Jesus de que "a boca fala do que o coração está cheio". Pessoas com visão espiritual, dão conselhos e dizem coisas repletas de Deus, são guiadas pelo Espírito Santo;
  • Quem ouve as palavras de Jesus e as coloca em prática, dificilmente são abalados, pois possuem seus alicerces construídos na rocha da fé.
Não vou debater aqui todas essas facetas do nosso Evangelho de hoje. Quero apenas falar de algo que, de certa maneira, é essencial para a vida espiritual de qualquer cristão que se preze: construir a casa sobre a rocha.
             
Como dito anteriormente, no decorrer dessa semana Jesus veio trabalhando em nós a grande necessidade de buscarmos alimentar e fortalecer o ser espiritual que existe em nós. Infelizmente, a grande maioria das pessoas esquece que somos muito mais do que a matéria que carregamos e desprezam o lado que faz parte de nossa essência. 
        
Não acredito de maneira alguma que somos obra do acaso. Creio em um Deus que sonhou conosco, fez lindos projetos de amor e deseja que somos muuuuito felizes mesmo. Também não acredito de maneira alguma que "tudo já está escrito" e que somos meros fantoches nas mãos de uma força maior. 
         
Deus fez todo uma planejamento de amor, de vitória e de felicidade. Entretanto, Ele nos dá a liberdade de vivermos do modo como bem queremos e desejamos. Mesmo sendo perigoso isso, Sua bondade é tão grande que Ele deixa darmos nossos próprios passos.

É aí que entra a importância de decidirmos por coisas que possam atrair coisas boas para nossas vidas. Se nos aproximarmos de Deus, só alcançaremos frutos de vida eterna! Se buscamos nos aprofundarmos na vivência do Espírito Santo; se praticarmos sempre boas ações; se pararmos de nos importarmos com nossos próprios umbigos, deixando de sermos tão egoístas; se nos deixamos ser sensibilizados pelas necessidades alheias sem nenhum interesse em ajudar... Dessa maneira estamos fazendo o que Jesus fala de "construirmos a casa sobre a rocha". Verdadeiramente nos tornamos pessoas de fé inabaláveis!
               
Já repararam tantas pessoas que começaram firmes na caminhada e, na primeira decepção com pessoas, desistiram da caminhada e nunca mais voltaram? Infelizmente, meus irmãos, a casa da fé dessas pessoas ainda não tinham alicerce formado sobre a rocha.
        
É hora de acordarmos de vez para que tenhamos uma fé madura! É hora de assumirmos definitivamente que nossa alma grita por alimento espiritual, que é nossa necessidade primária estarmos mais próximos de Deus e que Ele tem inúmeros projetos de amor para nós, que Ele quer nos usar como verdadeiros instrumentos de amor e paz.
          
Porém, Deus não vai violentar ninguém, nem obrigar-nos a fazer coisas contra nossa vontade. É preciso partir de nós.
            
Nesse dia de hoje, que convidar você a somar forças comigo e com todos os outros leitores que querem mesmo viver vida de oração. O que podemos fazer para termos cada vez mais nossa base estrutural sólida?
              
Que o Espírito Santo nos inspire ações concretas de compromisso com o Senhor!
              
Grande abraço fraternal,
           
                
Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Árvore Boa, Bons Frutos.




Muito bom dia, meus amigos!

Para mim é sempre motivo de muita alegria estar aqui com vocês, agora aos sábados, refletindo o Evangelho do dia.

Tenho todos os motivos do mundo para que meu sábado seja sempre motivo de muito alegria e dia de dar graças ao Senhor: é um dos dois dias em que tenho mais tempo para minha vida familiar, que reencontro meus amigos de caminhada, que me reabasteço para a luta diária, através do grupo de oração e da missa.

E, falando em luta diária, hoje Jesus vem conversar conosco a respeito dos frutos que temos produzido...

Antes de continuarmos nossa reflexão, gostaria que você fizesse uma revisão em seu interior a respeito dos atos que você tem praticado, coisa que estou aqui fazendo no momento em que escrevo:

  • Seus atos têm sido atos de amor ou de ódio?
  • Nos momentos em que você está sozinho, são atos guiados pelo Espírito Santo ou são atos cheios de trevas e escuridão?
  • As coisas que você pensa sobre as outras pessoas podem ser ditas em voz alta?
  • Os atos que você faz quando não está em um grupo social podem ser reveladas aos outros sem nenhuma censura?
  • Você tem o hábito de se preocupar com a vida daqueles que são mais necessitados, mesmo você não conhecendo tais pessoas, sem mesmo nunca tê-los visto?
  
 Bem, essas são algumas reflexões que podemos fazer a princípio...

Jesus hoje nos fala que nenhuma árvore boa pode produzir maus frutos e vice-versa. Sendo assim, como conhecedores do amor de Deus e já tendo vivido a experiência de provar do amor de Jesus pessoalmente, a coisa mais normal que nos acontece é pararmos de pensar que nosso umbigo está no centro do universo e passarmos a nos preocupar com o bem estar daqueles que nos cercam e, até mesmo, daquelas pessoas que nem mesmo chegamos a conhecer, mas que é de nosso conhecimento que passam necessidades. São crianças carentes que moram nas periferias de nossas cidades; idosos abandonados em abrigos; presos excluídos da sociedade; famílias passando necessidade, sem ter o que comer, vestir e, em algumas vezes, até mesmo onde morar. A partir do momento em que conhecemos Jesus, é como se Ele realmente começasse a habitar em nossos atos.

Como o próprio mestre fala, somo como árvores. Porém, mesmo sendo árvores boas, muitas vezes nos deparamos fazendo ações que não gostaríamos de realizar. Sabemos perfeitamente o que precisamos fazer para sermos sempre instrumentos do amor de Deus e, infelizmente, muitas vezes nos deparamos fazendo coisas que depois nos causa um imenso remorso em nosso interior, o que acaba gerando afastamento da luz e tornando nossos atos mais cheios de escuridão.

Amigos, se não combatemos as pragas que vêm danificar nossos frutos, corremos sério risco de não termos nenhum de nossos frutos aproveitados, no momento da colheita. Bem sabemos que o produtor, quando colhe, separa os frutos bons dos ruins, porque esses podem acabar estragando aqueles.

É vontade de cada um de nós sempre produzirmos os melhores frutos possíveis. Se atualmente o que temos produzidos são frutos sem doce, amargos, lindos por fora e cheios de bichos por dentro, desbotados... o momento agora é o de buscarmos tratamento para recuperarmos o sabor de termos frutos sadios.

É necessário buscarmos confissão, buscarmos estar cada vez mais em intimidade com o Senhor na eucaristia e na nossa oração diária... diria até diálogo diário, pois orar nada mais é que conversar com o Senhor.

Que o Espírito Santo possa nos levar a fazer um profundo mergulhar em nosso interior e que, depois de refletidos e analisados nossos atos, possamos verdadeiramente produzir os frutos mais gostosos que podemos oferecer aos nossos irmãos, em Cristo Jesus.

Grande abraço fraternal,


Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Cego Guiando Cego




O evangelho de hoje está em Lc, 6, 39-42 e vem nos alertar da conduta das pessoas que querem ajudar o próximo, mas não percebem que elas mesmas é que precisam de ajuda.

Jesus hoje conta uma parábola aos seus discípulos, nela ele fala dos cegos que guiam outros cegos, onde ambos caem no mesmo buraco um após o outro.

Jesus cita os cegos sendo aqueles que estão no trabalho de Deus. Os quais por sua vez, são os que não vivenciam o que costumam ensinar.

Neste caso Jesus cita os cegos, pois eles desconhecem a visão e a luz, não vêem e muito menos sabem onde se tem buracos pelos caminhos. Assim são também os servos de Deus que pregam para os quatro cantos do mundo a palavra e não a vivem, e ainda se acham os donos da razão. Estes vivem uma verdadeira cegueira espiritual.

E muito importante fazer um exame de consciência para verificar se também não estamos sendo cegos, ou se temos alguma trave no olho, ou algo parecido. Às vezes somos nós mesmos que precisamos de tratamento e acabamos julgando que é o nosso próximo que precisa.

Um bom exemplo de pessoa espiritualmente cega é aquela que; convidada para algum encontro, retiro ou noite de louvor, ela afirma que “não, agora não.” “...Chame o fulano ele deve estar precisando mais do que eu. Afinal de contas, ele está meio desviado mesmo...”.

Acredito que não seja errado chamar o irmão que “precisa” de ir ao encontro, mas devemos acima de tudo examinar a nós mesmos, pois quem nos garante que é nós que precisamos ir ao determinado encontro. Assim, diante de tantas desculpas, traves, ciscos nos olhos; as pessoas deixam de enxergar o quanto se está sem Deus, sem testemunho e graça. Vivem uma vida muito vazia onde sempre falta algo para se completar.

Para finalizar, podemos dizer que neste evangelho aprendemos que é de grande importância julgar a nós mesmos primeiro, para Depois querermos ajudar o nosso irmão. A vigilância de nos mesmos deve ser constante e precisa em cada dia de nossa vida. Pois quem pode estar com a trave no olho pode ser qualquer um, inclusive eu.

Vamos assim ser autocríticos, onde não se passará nenhum cisco em nossa vida por despercebido, julgando somente eu mesmo, o meu irmão terei a certeza de quem o julgará será o próprio Deus.


Paulo Henrique
Leia Mais

Dóceis ao Projeto de Deus, Como José



Muito bom dia, meus amigos!
                  

                   
O Evangelho de hoje nos leva a refletir sobre a necessidade de sermos dóceis ao projeto de Deus em nossas vidas. Hoje comemoramos a natividade de Jesus, o cumprimento da promessa de Deus a seu povo de que uma virgem conceberia e traria ao mundo um menino e este seria, para sempre, sinal da presença de Deus em nosso meio.
                        
Porém, quero chamar nossa atenção a um detalhe que geralmente fica à parte da celebração da festa de hoje: os ouvidos e olhos espirituais de José.

                              
Meus irmãos, Deus já havia traçado o projeto de salvação do mundo desde o primeiro momento em que a desobediência entrou no mundo através da sedução da serpente:
               
"E porei inimizade entre ti (a serpente) e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar."
Gn 3, 13
              
Porém nada disso teria acontecido, teria se cumprido, se José não tivesse sido dócil ao Espírito Santo, se não tivesse um coração sensível para escutar a voz de Deus e os desígnios Dele para o mundo.
                          
A lei daquela época dizia que se uma mulher fosse pega em adultério, deveria ser apedrejada até a morte! Maria já se encontrava noiva de José quando recebeu o anúncio do anjo Gabriel. Diz a tradição que ela ainda era uma adolescente e uma simples rejeição pública de Jose, naquela circunstância, poderia significar a morte de Maria e o não cumprimento das diversas profecias que apontavam a nossa libertação e salvação do mundo.
                       
É necessário que sigamos o exemplo de José! Não adianta nos enganarmos, nos iludirmos e fixarmos nossos olhares, nossos pensamentos apenas nas coisas materiais. São Paulo nos diz em sua carta aos efésios que estamos em uma guerra espiritual e que não é contra homens de carne que devemos lutar (Ef 6,12). Portanto, é necessário exercitarmos diariamente nossa vida espiritual.
                     
A primeira coisa que devemos fazer é alimentarmos, fortificarmos o nosso eu espiritual. Como? Através da meditação diária que fazemos nesse blog, através de compromisso com a oração pessoal, através do jejum, através do rosário, através da confissão de nossos pecados e, principalmente, através da comunhão com o Senhor, realizada na Santa Missa!
                            
Você tem  praticado essas coisas? Todas elas? Nenhuma?
                      
Não adianta apenas você desejar ser uma pessoa em sintonia com Deus. É necessário ter atitude de filho do céu!
                      
Você já parou para pensar em quantos projetos de Deus já foram abortados, paralizados por você pelo simples fato de você não ter agido conforme o Espírito Santo?
                    
Tenho clamado muito o derramamento do Espírito Santo para todos nós, porém a graça maior que tenho pedido é que todos nós possamos ter, cada vez mais, olhos e ouvidos espirituais eficazes e um coração bem sensível à necessidade de nossos irmãos.
                    
Que o Espírito Santo possa guiar nossa semana e fazer de nós cada vez mais dóceis à sua ação!
                  
Grande abraço fraternal,
                 
                     
Márcio Gomes Pacheco
Leia Mais

Independência ou morte?

Bom dia, queridos irmãos!

O Senhor hoje nos convida a refletir sobre a passagem do evangelho de São Lucas, capítulo 6, versículos 20-26. Vamos ler?

Nesta passagem bíblica, Jesus nos diz que bem-aventurados são aqueles que agora sofrem, que agora padecem na fome e na pobreza, que são insultados e perseguidos por causa do nome de Cristo, porque a recompensa destes está no Reino dos Céus. Por outro lado, "ai" daqueles que são ricos e cheios de farturas, orgulhosos e individualistas, que só gostam de ser elogiados e bajulados, porque a consolação deles já ocorre na vida terrena e não herdarão o Reino dos Céus.

Queridos irmãos, o Senhor não quer dizer nesta passagem que somente os pobres vão para o céu ou todos os ricos vão para o inferno. O Senhor quer nos dizer hoje que não devemos nos apegar às riquezas terrenas, às bajulações humanas, não devemos ser individualistas e querer tudo para si mesmo.

Não é o fato de ser rico ou ser pobre que determina se a pessoa será salva ou não. O que nos faz ganhar a salvação de Deus é fazer a Sua vontade, é cumprir os Seus mandamentos. E qual é o primeiro mandamento? Amar a Deus sobre todas as coisas! Então, o que Jesus vem nos falar hoje é que não podemos fazer do dinheiro o nosso deus, ou seja, viver a vida inteira em busca de acumular riquezas cada dia mais. Devemos amar a Deus sobre todas as coisas, principalmente, acima do dinheiro, o que significa dividir o que se tem, partilhar aquilo que lhe foi dado, cumprir o mandamento do amor, da caridade. E aqui entramos no segundo mandamento, que junto com o primeiro resumem todos os dez: amar ao próximo como a si mesmo, que significa sair do individualismo, olhar para quem está do lado, para os mais necessitados.

Portanto, é melhor sofrer agora com o pouco que se tem, confiando em Deus e na Sua misericórdia, do que viver iludido na sua riqueza e se esquecer de Deus. Porque a vida eterna será daqueles que partilharam, que sofreram pelo Nome de Jesus, que fizeram a vontade de Deus, que tiveram o seu coração voltado para o Senhor e para o próximo.

Nós não fomos criados para este mundo, não pertencemos a este mundo. Somos cidadãos do céu e devemos fazer por merecer este céu. A vontade de Deus é que todos os seus filhos, sem exceção, se voltem para Ele, porém, Ele nos dá liberdade de escolher entre fazer a Sua vontade e simplesmente ignorá-la.

Hoje comemoramos o Dia da Independência do Brasil. Que bom seria se pudéssemos comemorar não só essa independência política, mas também a independência do povo brasileiro das drogas, do álcool, do apego ao dinheiro, da sensualidade excerbada, da pornografia, da inferiorização da mulher (principalmente nas letras das músicas), da corrupção, do consumismo, de tudo que causa a morte física e também a morte espiritual do nosso povo... com certeza seríamos um povo muito mais feliz, mais voltado para a vida plena que está em Deus.

Que o Senhor nosso Deus abençoe esta nação! E que cada um de nós, cristãos, possamos fazer a nossa parte, para mostrar àqueles que ainda não conhecem o amor de Deus, o quanto é bom viver como filhos autênticos do Pai Eterno.

Anaíle Flores de Paula Pacheco
Membro do Grupo de Oração Semeador
Inhumas/GO/Brasil
Leia Mais

Novos Pela Ação do Espírito!



Meus queridos, muito bom dia!

Às vésperas de mais um "aniversário" de emancipação política do nosso país, nos deparamos com um belíssimo trecho do Evangelho segundo São Lucas. Também muito valioso é o trecho da carta de São Paulo aos Colossenses (Cl 2, 6-15), no qual São Paulo nos leva a refletir sobre aquilo que temos valorizado, sobre o que tem sido, para nós, confiança. Depositar a confiança no Senhor é essencial, é mais que necessário para que possamos ser, verdadeiramente, servos. Estamos cercados por ideias, "sábios", pessoas que têm dentro de si o desejo de fazer com que seus nomes sejam tidos como salvadores, pessoas aptas a disseminar ideais contrários à Verdade, que é Jesus.

Ao permanecer em oração por uma noite, Jesus reafirma aquilo que, desde o início de sua missão, havia sido confirmado: o Pai o enviou para que a Verdade do Reino fosse anunciada. Os apóstolos são aqueles que recebem a missão de anunciar o Reino e continuar os passos do Senhor, quando Ele retornasse para junto do Pai. É por este motivo que Jesus permanece em oração (em plena comunhão com o Pai), pois não fazia nada por si, apenas aquilo que lhe cabia, como Filho do Altíssimo. Os escolhidos dariam prosseguiram com a missão de anunciadores do Reino. Hoje, nós somos estes anunciadores, somos nós os escolhidos pelo Senhor para que o todos os povos conheçam a Verdade.

Porém, é comum encontrar pessoas que não se deixam encontrar pelo Senhor. É comum encontrar irmãos que se iludem, desistem, transformam suas tribulações em motivos para o afastamento. Não basta somente dizer a quem quiser e puder ouvir que se é um cristão autêntico. Assim como os apóstolos fizeram de suas vidas uma oblação ao Senhor, façamos de nossos corações oferta a Deus, com simplicidade. Não cabe a nós o julgamento dos irmãos, não nos cabe a desconfiança, mas nos cabe o direito de permitir que o Senhor habite em nós, para que nossos atos testemunhem aquilo que o Senhor deseja, e assim, contagiar àqueles que nos cercam. 

O Senhor quer fazer de nós novos seres, quer que haja em nós o desejo mais puro completo de salvação. Que pela ação do Espírito Santo, assim sejamos!

Ótima semana! 

Heitor A. Pereira 
Leia Mais

As Três Peneiras de Socrátes





Augustus procurou Sócrates e disse-lhe:
- Sócrates, preciso contar-lhe algo sobre alguém!
Você não imagina o que me contaram a respeito de...
Nem chegou a terminar a frase, quando Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou:
- Espere um pouco Augustus. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?
- Peneiras? Que peneiras?
- Sim. A primeira, Augustus, é a da VERDADE. Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro?
- Não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram!
- Então suas palavras já vazaram a primeira peneira.
Vamos então para a segunda peneira: a BONDADE.
O que vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito?
- Não, Sócrates! Absolutamente, não!
- Então suas palavras vazaram, também, a segunda peneira.
Vamos agora para a terceira peneira: a NECESSIDADE.
Você acha mesmo necessário contar-me esse fato, ou mesmo passá-lo adiante? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Melhora alguma coisa?
- Não, Sócrates.. Passando pelo crivo das três peneiras, compreendi que nada me resta do que iria contar.
E Sócrates sorrindo concluiu:
- Se passar pelas três peneiras, conte!
Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar.
Caso contrário, esqueça e enterre tudo.
Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia entre irmãos.
Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz!
************************
Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passá-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras porque:
Pessoas sábias falam sobre idéias;
Pessoas comuns falam sobre coisas;
Pessoas medíocres falam sobre pessoas
*************************
Leia Mais

Jesus é o senhor do Sábado




O evangelho de hoje esta em: Lc 6, 1-5 e nele é citado a observância do sábado, e Jesus vem mostrar que ele é o senhor de tudo e de todos.

Quase igual ao evangelho de ontem, Jesus é provado também pelos fariseus no evangelho de hoje, pois Ele tendo fome havia colhido espigas de trigo junto com seus discípulos em dia de sábado. Como sabemos os judeus eram cheios de costumes que seguiam a risca, não se importando com nada mais do que isso. Assim na primeira oportunidade os fariseus o põem a prova, mas Jesus não se intimida com isso e responde a risca.

 E ele respondendo aos fariseus cita a parte mais importante deste evangelho, que está quase no final, a qual Jesus diz:

 “O Filho do Homem é senhor também do sábado”. 
Lc 6, 5 

 Jesus responde bem aos questionamentos, suas palavras vão além do esperado. Neste trecho percebemos todo o senhorio de Jesus sobre o tempo, a vida, os fatos, e acontecimentos.

 Em nossa vida, às vezes colocamos tantos empecilhos para seguir Jesus que acabamos nos perdemos no meio do caminho. Um bom exemplo é quando certa pessoa participa de um ministério e quer colocar tudo perfeito, organiza tudo em um cronograma; chegando a grande hora, o espírito santo quer acrescentar algo a mais naquele momento, mas a pessoa inflexível diz: não está no roteiro, vamos deixar para outra hora! Vai ficar tarde! Temos que ajeitar outros assuntos ainda! Inventam mil desculpas. Mas Deus queria agir naquele momento, e assim vai tudo por água abaixo.

Temos que entregar o nosso tempo a Deus ele é quem cuida de nós e sabe o que precisamos. Devemos acreditar no senhorio do senhor sobre a nossa vida, aguardar a vontade Dele, pois o tempo de Deus é diferente do nosso, não sejamos como os fariseus que eram inflexíveis a vontade de Deus, mas sim prudentes como a serpentes, sendo ainda capazes de examinar o que é bom e torná-lo parte de nossa vida.

Assim vamos neste dia, vamos ouvir mais a voz do senhor que fala até mesmo em dias que julgamos que ele não nos fale, e com isso abrir nosso coração a sua vontade.


Angélica Aparecida
Leia Mais

O Velho e o Novo


Queridos, irmãos e irmãs.

O evangelho de hoje está em: Lc 5, 33-39 e vem falar do novo e do velho na construção espiritual de cada dia que vivemos.

Jesus, naquela época, vivia em uma sociedade muito tradicional e conservadora, cercada de preceitos e leis que eram determinantes para a vida de todos. Ele veio e trouxe muita discordância com estas leis que oprimiam o povo; uma lei fácil de ser lembrada é a da vigilância do sábado, são muitas as passagens que falam a respeito.

A questão do jejum é citada neste evangelho. Os fariseus, os discípulos de João Batista e os mestres da lei davam grande valor à prática do jejum, ambos eram muito fieis a essa tradição. Dessa forma pelo fato dos discípulos de Jesus não praticarem tais atos fervorosamente como eles, Jesus é posto a prova. Mas Jesus responde ao questionamento:

“Os convidados de um casamento podem fazer jejum enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, naqueles dias, eles jejuarão”. Lc 5, 34-35

Devemos ter em mente que; Jesus não se põe contra o jejum, nem ao mesmo nega seu valor, mas, mostra que sua missão se situava em algo muito maior do que tais práticas. Sua missão se centrava em levar as pessoas a viver o amor.

As pessoas viviam como que escravas de costumes que as impediam de viver o amor, e de fato agradarem a Deus. Pensavam que serviam e seriam perdoadas por Deus fazendo grandes sacrifícios, mas Deus só queria o amor. Na verdade tais atos de sacrifícios podiam até mesmo afastar de Deus, pois mortificavam o corpo e Ele não se agrada Disso.

Assim somos nós quando nos deixamos nos levar por qualquer coisa que nos afasta do amor, para as pessoas daquela época eram as tradições. Já hoje em dia as pessoas vivem afastadas de Deus por causa de outras tradições como; do alcoolismo, da prostituição, da libertinagem, filosofias e ideologias mundanas e entre outras.

Jesus fala ainda no evangelho da roupa nova com remendo velho e vice-versa, este trecho vem mostrar que misturar o novo com o velho pode acarretar em desastre, pois o remendo novo não se fixaria em uma roupa velha muito bem, correria o risco de rasgar-se e deixar a roupa inútil.

A boa nova de Jesus era a roupa nova e o remendo novo, ambos eram novos. Para se costurar este remendo novo em uma roupa velha, esta roupa velha deveria passar por uma transformação voltando ser nova de novo. Isso quer dizer que para se aceitar a boa nova de Deus o primeiro passo é renunciar as coisas velhas e deixar em nós somente coisas novas.

No final Jesus fala do vinho novo e o vinho velho, e dos odres novos e odres velhos. O caso é o mesmo do citado a respeito da roupa nova. Não podemos misturar as coisas, pois seria desastroso; não viveria nem um nem outro.

Assim neste dia vamos pedir a Deus a graça de sermos capazes de tornarmos pessoas novas a cada dia, pois Jesus é novo e com isso buscamos o mesmo.


Paulo Henrique
Leia Mais

Postagens mais visitadas

Ouça a Rádio Canção Nova



Seguidores

 

Sobre A Boa Semente!

A Boa Semente foi fundada em 2007. É uma criação do Grupo de Oração Semeador, da Renovação Carismática Católica da cidade de Inhumas GO. É um instrumento de evangelização sem fins lucrativos.

Sua principal missão é semear a Boa Semente através de reflexões diárias do evangelho. Você também pode fazer parte dessa família, entre em contato conosco e saiba como!

Os artigos são de responsabilidade de seus respectivos autores.

Deus te abençoe sempre!

Visite Meu Canto Secreto e descubra mais sobre o autor desse instrumento de evangelização. Mais uma criação Vocenanet.com VCN